quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

ENTREVISTA DO PRIMEIRO MINISTRO À SIC. O CONTADOR DE HISTÓRIAS.

A propósito da entrvista dada à SIC, em que o PM se procura explicar e safar airosamente das suas responsabilidades sobre o encobrimento político das falcatruas dos grandes banqueiros e especuladores de todos os matizes, gostaria de tecer algumas considerações.

O PM, na actual realidade política, olha à sua volta e só se vê a si próprio e como a situação de crise o livrou das trapalhadas do Orçamento e da inevitável revisão em baixa do crescimento da economia, cujos factores se vêm acumulando de anos atrás, ganhou novo ânimo e reforçou o estilo autoritário, que na minha opinião não tem nada que ver com coragem para enfrentar o futuro.

O Engº Sócrates goza da fraqueza da chamada oposição, que na realidade são apenas alternativas de poder, porque as políticas e os resultados são no essencial os mesmos.

A coragem demonstrada, na opinião de alguns comentadores e dos seus sequazes, e o pedido da maioria absoluta, são um caminho óbvio para quem tem tanta habilidade em aproveitar-se das situações.

De uma política continuada de desinvestimento na saúde, no ensino, na segurança, nas míseras reformas, nas pequenas e médias empresas e com os desempregados, o clique de Setembro, deu oportunidade de adaptação do discurso e o que não era possível passaram a ser prioridades.

Depois de acorrer aos amigos da banca, distribuindo generosamente avales de milhares de milhões, sem questionar as suas lideranças e façanhas e mantendo à frente do Banco Central regulador a mesma figura, é que passou à definição de um programa de apoios aos sectores mais carenciados da sociedade e mesmo assim não se livra da acusação de que os dinheiros disponibilizados não chegam às micro e pequenas empresas.

Para ridiculo, este Governo, ainda se gabou de ter baixado os juros, quando o que está a baixar são os taxas Euribor enquanto os Bancos aumentam os seus spreads para se recapitalizarem à custa de uma população e empresas altamente fragilizadas.

Daqui a uns meses, no decorrer das várias eleições e perante multidões de desempregados, esfomeados, empresários falidos e milhões de super endividados, vamos assistir a estes herois apregoarem o "déja vue", de que as dificuldades do País vêm de fora e que eles estão a fazer todos os esforços para resolverem os problemas.

A democracia parlamentar burguesa está falida e os seus Partidos em completa agonia para salvarem um sistema corrupto e delapidador da riqueza produzida, suficiente para alimentar a humanidade.


Luis Alexandre

presidente da ACOSAL

7 comentários:

Anónimo disse...

esse srº foi das piores coisas que podia ter aparecido em Albufeira quando veio cá dar o POLIS há camara socialista da altura. mas voltar para ver esta linda merda só se vier atado e mesmo assim tenho duvidas . devia de ser responsabilizado ele e os executivos camarários pelo lindo trabalho que se fez em Albufeira. e eu +e que devia de lhe dar o castigo que ele logo via se não se arrependia da bela merda que fez

Anónimo disse...

O Sócrates vai voltar a esta terra a convite do Presidente Desidério para inaugurarem juntos todas as obras do POLIS. Os dois têm lata para o fazer.

Anónimo disse...

Que venham e tragam a imprensa é para verem o que é bom.

antonio cerdeira disse...

"Uma pedrada no charco. Bom ritmo de trabalho que fazem deste blogue uma referência da cidade."

Assisti interessado à entrevista do Engº José Sócrates à SIC e reconheço-lhe um segundo fôlego e muita convicção na sua política.

O tom sereno, trabalhado pelo pelo produtor de imagem, com que representou o seu papel de 1º Ministro, lembrou-me a primeira impressão deixada pelo Prof. Cavaco Silva, quando da sua primeira maioria absoluta.

Ambos precisavam de convencer o País a aceitarem os seus pacotes de medidas, sem contestação e vendo na postura hirta, de Estado, o registo de homens predestinados.

Como a terra tem Leis que os céus desconhecem, estes homens que se julgam sábios e raramente têm dúvidas, são confrontados com aqueles momentos em que os números do descontentamento lhes destroçam a divindade e a militância.

Como Cavaco fez dois mandatos até ao tabu da situação desistimulante, a força de Sócrates está em repetir tal proeza, como homem de fé e pouco mais.

Sócrates sabe que falhou nos objectivos para o País mas, a força de companhia de sapadores e minas e armadilhas que o acompanham, obriga-o a manter a voz de comando. Outros PMs fugiram por menos.

A epopeia trágica deste Povo de marinheiros, que a História lhes reserva o escorbuto, a acusação de remarem mal, de comerem e beberem de mais e se refugia no conforto dos "Lusiadas" para apagarem tanta mágoa de verem os capitães de voragem e de uma viagem apontarem para o naufráio iminente.

Anónimo disse...

o socrates é o tal das premessas e da falta de memoria, teem que lhe oferecer o magalhães

Anónimo disse...

Esta porcaria, devia era dar mesmo o berro. Preocupado não estou, pois a crise que se vive agora, já a vivo a alguns anos, chegar ao fim do mês com os tostões contados é um habito comum a muitos portugueses. Agora estão a chamara crise porque os grandes gestores geriram mal, ganharam fortunas , gastaram fortunas em luxos? Os bancos estão na falência? Problema deles, eu tenho que gerir a minha casa com o que tenho, eles gerem com o que têm, com o que não têm e com o nosso. Os culpados da crise que se lixem, fizeram a bosta que se desenrasquem agora.
Nós estamos habituados a viver com pouco, eles que comecem a aprender a viver com menos tambem.

Anónimo disse...

É assim mesmo que se fala! Venham ver como vive quem trabalha honestamente, quem não investe na bolsa com o que rouba aos outros, quem não vive de comisões extra ordenado e de luvas e verão o que é bom!

são muitos cabelos brancos e depressões nervosas a sério!

E ainda gozam com a nossa cara e pôem looks autoritários para nos dizer que a situação actual é normal, é internacional e, claro com as medidas tomadas pelo governo (quais? as injecções de dinheiro na banca?) a situação social do país vai melhorar...

Barda m....