sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

política à moda de albufeira (57)


O PSD e o seu frágil candidato, quando ganharam as eleições em 2001, regozijaram-se por ter chegado ao bolo do orçamento camarário mas nunca pensaram que a vida política e o desfrute fosse tanto e tão fácil.

Depois da debandada dos ditos socialistas que encheram o papo de regalias e iniciaram a descaracterização da cidade e do concelho, contaria o PSD com oposição que não veio a acontecer no primeiro mandato e muito menos no segundo. A confusão e a vergonha da família dita socialista paralisou-lhes a actividade e passaram aos actos de colaboracionismo para não perderem o contacto com o poder das decisões.

A dupla Desidério Silva/Carlos Silva e Sousa, percebendo as fraquezas dos adversários, obrigaram-nos à humilhação de vegetarem quaisquer benesses para as suas actividades bem como se recusavam a responder às suas questões postas nos órgãos autárquicos.

A vida política resumia-se a esta pouca vergonha, com os apaniguados laranjas, os que eram e os que passaram a ser, a tratarem de dominar e usar todos os aparelhos sociais e económicos, os grandes interesses económicos a cortarem a bel-prazer, usando e abusando da protecção do poder, deixando à deriva os interesses colectivos e estratégicos para o desenvolvimento harmonioso do concelho.

Assim se compreendem os gastos injustificados da autarquia, serviços pagos a peso de ouro, derrapagens milionárias de custos de obras, licenciamentos abusivos, tentativas de pagamentos de legalidade duvidosa, estudos encomendados aos amigos e pagos principescamente, subsídios chorudos sem prestação de provas, ofertas de terrenos para pagamento de favores e o despesismo e ineficácia das intervenções Polis no subsolo, entre outros.

Sem oposição, o poder passeou a sua arrogância sem despudor e levou a sua presença à frente do município até ao seu terceiro mandato e supõe-se continuar de mãos livres, para persistir na mesma linha política de actuação.

Com o cenário criado com a putativa fuga de David Martins, com o apagamento e atordoamento das fileiras do PS, cabe ao FORUM ALBUFEIRA e às forças democráticas, a enorme tarefa de vigiar os passos dos senhores dos anéis e defender os anseios da população do concelho.

2 comentários:

O Engenheiro disse...

Á muito que prevejo uma candidatura independente recheada de figuras deste bloco de analistas e comentadores de fim de semana. Aí sim, é que tudo terá credibilidade.

Anónimo disse...

boas verdades aqui escarrapachadas... é pena o Estado não funcionar na fiscalização das câmaras...