quarta-feira, 25 de março de 2009

QUE ALBUFEIRA QUEREMOS DAQUI A 25 ANOS?

Fotografia da Albufeira que encantou meio mundo e que o Programa Polis/Câmara deu a última machadada!



O tempo corre depressa, de tal maneira, que quando damos pelos males, já estão espalhados.

A cidade e o Concelho de Albufeira, numa deriva insensata, foi conduzida para uma perda de qualidade, cujos planos e custos de recuperação são extraordinariamente caros e outros raiam o impensável.

Uma vila branca em mar azul, tranquila, acolhedora e funcional, foi transfigurada, as fachadas das suas casas características foram ocupadas por neons e fotos gigantes de apelo ao fast food, numa total degenerescência dos valores e tradições de uma terra que começou a sua saga turística com base na simplicidade em todos os aspectos.

Casas, ruas, espaços públicos, praias, matas, tudo foi dilacerado em nome de um progresso duvidoso, comprometedor, obtuso e, nalguns casos, a merecer condenação por gestão danosa.

O poder de quem governa, a força financeira de quem investe e as entidades fiscalizadoras, combinaram-se numa harmonia de interesses, revelando um total desinteresse pelos valores e sustentabilidade futuras de uma cidade, cuja população foi claramente espezinhada e afastada das decisões que a si diziam respeito.

As forças que se alternaram no comando do Concelho, PS e PSD, responsáveis pelo que foi feito e pelo desastre a prazo, não reconhecem nem têm intenções de mudar o curso da situação, porque têm clientelas para servirem.

A população do Concelho, mesmo aqueles que nos últimos 30 anos se instalaram à procura de soluções para as suas vidas, começam a perceber que o caminho que seguimos não é o melhor, são muitos os factores negativos que recaem sobre as suas condições de vida e que há necessidade de respostas urgentes e um planeamento que lhes transmita segurança e futuro.

A gravidade da situação, impõe mudanças na responsabilidade política, obriga a que procuremos ajuda junto do saber e da experiência, a Universidade e Gabinetes Técnicos de Engenharia e Arquitectura, para estabelecermos novos parâmetros de desenvolvimento e as correcções necessárias.

Albufeira está necessitada de um estudo global de religação do novo ao velho e destes à linha de costa, em completa integração paisagística e respeito pelos valores e pelas pessoas.

Desde o urbanismo ao trânsito, desde o ordenamento às infra-estruturas rodoviárias, desde a segurança aos espaços verdes e equilíbrio ambiental, desde a saúde e os cuidados continuados ao desporto e às suas organizações, desde a cultura ao centro histórico, desde os estacionamentos às creches e centos de dia, desde as praias bem estruturadas e preservadas ao Ensino de vários graus e formação profissional, passando pelas carências gritantes das freguesias, tudo tem de ser reavaliado e repensado para uma nova visão e dimensão.

Não faz sentido que uma cidade turística que é submetida a pressão mais alta em escassos 3 meses do ano, devido à má gestão dos solos fique congestionada, não faz sentido que sendo a sua vocação a actividade balnear tenha graves problemas de poluição, não faz sentido provocar o desespero de locais e visitantes pela falta de estacionamentos, não faz sentido a falta de estruturas de ensino, creches e qualificação profissional dos nossos jovens e o recurso a mão-de-obra estrangeira desqualificada com reflexos na qualidade do serviço prestado, não fazem sentido os precários serviços de saúde prestados, não faz sentido o crescimento descontrolado para termos uma dezena de milhar de habitações para vender e a cujos preços as famílias trabalhadoras não podem chegar sem que lhes sejam criadas alternativas, não faz sentido o desinvestimento no centro histórico e baixa da cidade que afastaram os investidores de nome e maior capacidade de atracção, não faz sentido o abandono a que foi votada a zona das Areias/Sá Carneiro, afundando-a, como não fez sentido ter fechado ruas e eliminado estacionamentos sem antes ter garantido condições de funcionalidade.

Depois do falhanço do Programa Polis/Câmara, continuamos a pagar a factura da degenerescência funcional da cidade.

Precisamos de planos urgentes, que tracem linhas para além de uma geração, privilegiem as pessoas, habitantes e visitantes, que requalifiquem urbanisticamente e sustentem e diversifiquem os negócios existentes, dando-lhes qualidade estrutural e tecnológica, que defendam o património e o ambiente diversificado do Concelho.

Só a mudança pode evitar as situações de ruptura!


Luis Alexandre

18 comentários:

Anónimo disse...

é pá se este homem que já está a fazer propaganda politica se candidatar á camara eu voto nele se não me esquecer

Anónimo disse...

hahahahaha ganda noia

antonio disse...

não sendo este senhor da terra como pode ele falar de albufeira a não ser atraves de fotografias antigas, temos de evoluir e para evoluir umas vezes fazemos bem outras mal nunca conseguimos agradar a todos muito menos a pretensos candidatos ao poleiro

Insatisfeito disse...

Oh António sendo assim eu posso falar porque eu sou nascido e criado nesta cidade. E o que eu te digo é que se evoluímos foi na direcção da grande merda que esta cidade se tornou. Destruíram.

"Umas vezes fazemos bem outras mal"

eu digo "Num dia fazem merda no outro dia merda fazem" é a herança que o PS do falecido Catuna nos deixou e que o Sr Desidério agravou, esse palhaço de Boliqueime, desenhadorzinho barato que nunca mais vai pra terra dele

Anónimo... disse...

Vá lá que meteram uma foto... Assim o Sr. Luis sabe que tivemos em tempos um coreto. Na foto não se nota, mas eu digo-lhe... também havia um lago com peixinhos e algumas moedas :) Outros tempos... Eu também tinha um 2 Cavalos e agora ando de Citroen C4 e tinha uma moradia terria com a casa de banho na rua e agora uma belissima vivenda com espaço para os meus filhos brincarem. É a vida.

Maria R. disse...

Bem .. se calhar as notícias que correm que Albufeira é um dos concelhos com mais qualidade de vida, baseadas em estatísticas feitas á população não são verdadeiras ... Realmente vindo do INE deve mesmo ser uma fraude .. ou se calhar quando interrogam os cidadãos de Albufeira sobre as infraestruturas que têm ou se estão satisfeitos com o que a cidade ofereçe.. mentem.. Vivi 18 anos da minha vida na velha cidade .. sem estradas .. com o caos do mês de Agosto na baixa .. com falta de sítios para os jovens estarem .. de tal modo que a maior aspiração da classe mais nova era ir estudar para Lisboa e libertarem-se da cidade que apenas oferecia praia e mais praia e discotecas 3 meses por ano .. a única coisa que não mudou foi a existencia dos eternos insatisfeitos e críticos que apenas possuem blá blá blá e nada de conteúdo .. falam muito mas ideias ou aplicabilidade prática do que dizem .. nada ...

Anónimo disse...

O estudo que o sr. fala não é do INE mas dum jornal e dum Instituto qualquer onde os trabalhos se calhar até são paggos e vale a pena lê-lo com atenção para se perceber como é superficial e bom para propaganda. O ano passado eramos os primeiros e num ano fomos comidos ou pagámos menos ? Eles já sabem que não temos um jardim ? o parque da alfarrobeira foi inaugurado em cima do estudo e mesmo assim foi contado para dizerem que temos qualidade de vida ? E os esgotos a boiarem no cetro tambem entram para a qualidade de vida ? e a falta dos estacionamentod?e a malta que não consegue dormir ?
Grande treta que enfiam na malta.

carlos

Anónimo disse...

Este gao e um estupido que escreve como se soubesse o que diz,,,, ..... É só palermice que sai desta boquinha ...
Oh imbecil, vai-te deitar ao mar que és um tretas de merda que só tens aspiraçoes políticas... Eu tenho culpa, por vir aqui ler as porcarias que escreves, mas sou hmano e curioso, mas que me dá uma vontade de te partir os queixos lá isso..... Olha ve la se algum dia te esqueces da tua ambição politica e escreves alguma coisa sobre os comerciantes ( que foi o trampolim que utilizas-te para chegares ao poder) . Quem não te conhecer que te compre

Um Padernense indignado

jesimões disse...

Inauguração do Jardim da Meia-Laranja,1934...
Setenta e cinco anos depois, sob o pretexto de "funcionalizar" o Jardim para os novos tempos, adequar o espaço às "enxurradas" que nos visitam, descaracterizaram-no de tal forma, que hoje é uma inexistência...
A isto, e só a isto chama-se IN-COM-PE-TÊN-CIA (e eu acrescentaria ainda: IN-CUL-TU-RA) dos que tiveram e têm o poder de decisão.

Carlos disse...

ESTE BLOG É UMA MERDA...

josoaresm@gmail.com disse...

Disse o Senhor Todo Poderoso:

"Uma campanha eleitoral faz-se no dia a dia, hora a hora, é um trabalho de verificação das coisas, perceber como as instituições funcionam, ver como andam as obras em termos de "timing", saber como é que as coisas devem ser feitas"...

Avisou o Senhor Todo Poderoso:
"Se alguém cai aqui de páraquedas e pensa que vai dizer às pessoas o que devem fazer..."

O Desidério de Boliqueime plos vistos não caiu cá de páraquedas. Deve ter escorregado por algum cano de esgoto. Desde que está na Câmara que as nosssas praias não param de mostrar a trampa que ele, festivaleiro e pimbaleiro remeloso não cuida! As citações atrás são do discurso da sua candidatura. E veja-se como algém se apresenta! Diz ele que ser "quem ele é" é fazer a verificação das coisas, "timing", SABER COMO AS COISAS DEVEM SER FEITAS..." O senhor é autista e já não enxerga para lá do seu rancho laranja! Então porque é que não "verificou as obras polis"? Então porque é que a Escola EB1,2 da Guia está fora do "seu (dele) timing", prometida há 8 anos!? Então porque é que não sabia que as coisas no Ribeiro só podiam ser feitas com outras entidades?

Mas eu vou mais longe: vocês acham que num passeio à Austria que ele promove o nosso turismo? A um país que não tem rotas para Portugal? Vocês acham que é com o "Albufeira Anima" e com as festas para encantar os votantes de cá (nós de cá é que ainda vamos votando, não é?!) que o turismo de fora nos vai beneficiar? Deculpem. Isto é tudo uma parolice pegada. E, como se tivesse alguma autoridade sobre quem está cá ou vem de fora, vai já falando dos que caiem de "paraquedas"! Não sr. Desidério, os que caiem de paraquedas não vêm para dizer ao povo "o que devem fazer" (palavras suas". Há quem tenha os mesmos direitos que o Sr, e, já agora, muito mais actualizado e renovado porque não traz ideias saloias de paternalismo para o povo. Mais: o povo pode estar descansado pois com os que aí vêm, vai haver respeito pelos filhos dos outros. Diga lá alguma coisa sr. presidente, sobre a sua filha, o seu filho e os Arrifes, o seu sobrinho e os projectos com porta aberta.... Não, sr Desidério. O Sr vai ter que ter muito cuidado com a sua língua, pois um cidadão que teve juízo, não pode tolerar que o seu principal governante local misture a família com benesses que o cargo torna apetecível. Desta vez não vai escapar pois vai ter gente à altura do seu "poder" primário. É triste e feio o que o sr. tem para apresentar em Albufeira...

Anónimo disse...

Não vou comentar sobre a campanha política que para aqui vai. Est´s tudo mais que decidido, os candidatos são todos uma merda, o cheiro é que é diferente.

Quero é responder à pergunta do que será Albufeira daqui a 25 anos:
com as obras abençoadas do polis e pelo que as chuvadas já fizeram é obvio que vamos ter uma baixa de Albufeira comparada a Veneza. Pode ser que assim ainda recuperem os barcos de madeira que serviam de postais da nossa praia dos pescadores para levarem os turistas de bar em bar

Linus Boy disse...

Bem devo dizer que o Português deste artigo me deixou siderado...muito bom memsmo!!!

Apenas um comentário a este artigo...devo andar a ver mal pois o concelho de ALbufeira aparece bastantes vezes como um dos que apresenta uma melhor qualidade de vida em Portugal...será que ando a ler mal?

PS: Desculpas pelo português mais
simples....

PS2: Rotas da Austria? ainda la fui o ano passado com escala só à ida...esse senhor deveria informar-se melhor....

Maria R disse...

Apenas dois comentários:
. para o Sr Carlos / Anónimo - primeiro sou uma senhora. Não é hábito escreverem neste forum eu sei .. é pena .. em segundo lugar o estudo é mesmo do INE e eu particeipei nele. Visite o site do Instituto Nacional de Estatistica - se sabe o que é - e encontrará o estudo realizado em 2008. Ou então visite qq site das 3 principais estações de televisão que o mesmo consta como noticia.
. o meu segundo comentário,consite numa questão. O forum procura averiguar e divulgar questões políticas? Ou a sua existência prende-se unica e exclusivamente com a vida pessoal do sr Desidério Silva? Se é este o caso será mais interessante comprar uma revista cor de rosa .. e mais produtivo também ..

Anónimo disse...

Eles 'andem' ai... D. Maria, aqui não se pode ser do contra, que vêm logo os cordeirinhos atacar e mandam logo SMS ao Sr. Luis a perguntar o que acha da defesa que lhe fazem do coiro. Depois veremos quem andara ai pelas ruas da cidade de bandeirinhas e sorrisos pra toda a gente. No tempo que a senhora fala, muitos nem deviam saber o que era Albufeira... Sem estradas, sem equipamentos Desportivos, com apenas 1 ciclo e 1 secundária, Sem pavilhões, Com frequente falta de água, etc.
O Desidério e o Catuna (sim, que por vezes até no falecido batem) não são/foram perfeitos, mas há alguma Obra feita.
Muita mais poderia ter sido feita, claro que podia, mas não podemos agradar a gregos e troianos. E quanto ao David, um jovem que está na Assembleia da Républica, ainda agora apareceu e já lhe andam a colocar rotulos. Deixem as pessoas trabalhar e mostrar serviço. Que eu tenha reparado, ainda nenhum deles lhe faltou a ética e começou a desbaratar sobre o Sr. Luis. Faça politica limpa, critique sim senhor, mas deixe de chamar super homens, dizer que enriquecem no poleiro, etc etc... Ao dizer isso só me faz pensar uma coisa... Queres poleiro para enriquecer também. Sirvam a poupulaçao.

Mosse Debe disse...

Mosse Debe este blogue serve a população e haver quem fale do que não se falava é servir, os anonimos é que não servem ninguem tu anonimo sabias dos 10 milhoes pros cavacos e ias ficar calado ?então não és dos nossos.

Anónimo disse...

Moce Debe, não te esqueças da FACEAL

Deb moss disse...

lol... ser anonimo ou ser moss deb qual é a diferença? ah ah ah