domingo, 22 de março de 2009

NEM SEMPRE O DINHEIRO É TUDO


Desde os anos setenta do século XX que visito a vila de Albufeira do Distrito de Faro, hoje cidade sem que haja qualquer motivo aparente, para que Albufeira seja cidade, tal como acontece com outras vilas que passaram a cidades e aldeias que passaram a vilas, como Santa Luzia do concelho de Tavira, para só citar dois exemplos que muito bem conheço, para além de dezenas de casos, todos eles sem qualquer justificação, a não ser arranjar pequenos e grandes tachos políticos. Tudo isto não passa de uma saloiada das muitas que nos trouxe a chamada Democracia, que vivendo de aparências transformam localidades rurais em falsas cidades onde deveria valer a pena viver, independentemente da sua classificação territorial administrativa. Ora, Albufeira, a vila de Albufeira dos Pescadores que conheci, valia incomensuravelmente muito mais do que a ridícula cidade de Albufeira que não passa de uma monstruosa injecção de betão e cimento armado disposto de forma irregular e sem qualidade de vida para os seus habitantes e muitos visitantes que tem ao longo do ano, sobretudo nos meses de Junho, Julho e Agosto, embora já não venham como antes.

Mas, Albufeira, é o 2º ou 3º Concelho mais rico do País, daí que teria obrigação de aplicar bem o dinheiro dos seus munícipes, que pelo que lemos na imprensa local tal não se verifica como escreve em editorial o nosso Director, Aleluia que relata a completa degradação da Freguesia de Paderne, outrora :”referenciada como a capital da cultura do concelho de Albufeira” e hoje uma pequena freguesia que passou de uma população de 500 habitantes há 40 anos, para menos de 100 habitantes actuais, onde 50% têm mais de 60 anos, na sua maioria viúvos. Isto revela como o investimento municipal é mal orientado para coisas e causas que não servem nem beneficiam as populações. O que lucra Paderne com os gastos de 60 mil contos com o fogo de artificio no final de cada ano em Albufeira ? O que enriquece Paderne com as constantes onerosas visitas de algumas dezenas de apaniguados a Cabo Verde, à Áustria, à BTL, aos shows de Verão, Outono, Inverno e Primavera, com cachet milionários pagos a artistas vulgares e “famosos” das Revistas Cor de Rosa, de baixíssimo perfil humano, cultural e porque não dizer, moral, que custam milhões?

No final de cada ano são muitas centenas de milhares de contos, para melhor se perceber, gastos em coisas superfulas que nada acrescentam ao progresso e desenvolvimento do Concelho de Albufeira, especialmente das suas pequenas freguesias rurais de onde fogem os jovens que ali não encontram isentivos para se fixar, onde não há empregos, casas condignas para morar, centros de formação, campos para a prática de desportos, caminhos para circular, acessibilidades facies de utilizar e mais que tudo, perspectivas de melhores dias no futuro que cada vez se apresenta mais negro, quando os eleitos municipais e locais e seus amigos andam num forrobodó ao longo dos 365 dias do ano e durante os 4 anos de mandato sem dar satisfações a ninguém, iludindo os cidadãos nos períodos eleitorais com falsas promessas, que não são minimamente cumpridas.

Paderne, espelha este cenário confrangedor de promessas não cumpridas há 7 anos quando se prometeu que seria concretizado um Acesso directo à Via do Infante, que estou certo estaria feito, pago e repago, com os gastos em viagens, banquetes, bombas e bexeninas, prendas e folclore demagógico de cabazes de Natal e outras bijuterias, campanhas jornalisticas de Assessores de Imagem, concertos musicais de produção megalómana de custos astronómicos pagos a artistas portugueses e estrangeiros de duvidosa qualidade e de escolhas sempre discutíveis. Em 7 anos, não seriam só os Acessos de Paderne à Via do Infante, com as verbas mal gastas, pagar-se-ia uma enorme Autoestrada em todo o Concelho de Albufeira. A contrário, ressalta ali mesmo ao lado no Concelho de Loulé, a Freguesia de Boliqueime que respira saúde e “dispõe de todas as condições para um desenvolvimento harmonioso”, com a criação de um empreendimento que ultrapassa os 160 milhões de Euros (32 milhões de contos), saindo 40 milhões de euros (8 milhões de contos), dos cofres da Câmara Municipal de Loulé, que ao que parece não vai em processos demagógicos.

Este deve ser o bom investimento numa zona industrial e de serviços de dimensão europeia, cativando dezenas de Empresas que criam, supõem-se, mais de 1000 postos de trabalho, sobretudo ocupados por jovens profissionais e licenciados que infelizmente têm de emigrar por falta de respostas dos governantes centrais e autárquicos que mal baratam o dinheiro dos contribuintes naquilo de mais negativo para a economia nacional. Tão próximos e tão distantes estão as Freguesias de Paderne e Boliqueime, enquanto uma tem uma história brilhante e se afunda nas dificuldades, a outra renasce das cinzas, quando há 50 anos se batia para ombrear com a Vila de Paderne despromovida em 1910 e que por este andar, quando se comemorar os 100 anos da Republica em 2010, o Concelho de Albufeira terá menos uma Freguesia, porque Paderne, morreu.

MANUEL AIRES

14 comentários:

Anónimo disse...

Para quem apenas visita Albufeira, mais parece um residente, "mas daqueles mal informados e com cataratas", ou será que os bufos taxistas, e sedentos de protagonismo, todos os dias o injectam com o veneno que Têem com fartura nos alambiques lá de casa,para o sr. vir para aqui escrever estas doidices????
Onde á que Paderne só tem os habitantes que o Sr. aqui afirma????
E que tem o sr, a ver com Albufeira se nem sequer é de cá, ou será que era vizinho do Luis Alexandre e anda a escrever por aqui para lhe tirar o lugar????


Um Padernense insultado

Anónimo disse...

muito bem dito sr. anonimo das 19.48 acho que anda tudo a ver se arranjam um tacho .andam todos a querer a cadeira do disiderio

Anónimo disse...

Este Padernense fingindo-se insultado não quer ver a realidade porque como anónimo revela a sua cobardia escondendo o nome como quer esconder as maselas dum concelho que se devia afirmar pela positiva mas infelizmente é dos mais mal geridos de Portugal, apesar de se banhar em dinheiro e ter conspurcado as àguas das Praias. O Dr. Manuel Aires não se esconde e dá a cara ao contrário dos anónimos que não são mais que a voz dos donos que lhes dão uns trocados para ofender as pessoas de valor que eles não têm. Quanto às informações sobre Paderne é só perguntar ao Director da Avezinha de onde o dr. manuel aires transcreve o que aqui se lê. Quanto aos bufos do taxi e do Luis Alexandre não os conheço, porque trabalho em Albufeira hà 26 anos mas não conheço ninguém de Paderne, onde se calhar só moram bufos apeados à espera de boleias. Sempre ouvi dizer que os cães ladram e a caravana passa. Obrigado dr. manuel aires por mais este belo texto. Fernanda Freitas.

firmino disse...

Vê-se que o que está escrito incomoda a bufaria do PSD que vem pegar pelo engano dos números dos habitantes. E o dinheiro que voa em festas e artistas em fimde carreira não falam? O sr. bufo venha sempre comentar que é bem vindo e ajuda a medir o nervosismo desse lado. A verdade assusta? Pois claro.

Anónimo disse...

O senhor FIRMINO tem toda a razão a bufaria do PSD anda assustada porque sabem os crimes que cometem, porque o que está escrito é tudo verdade e fora aquilo que se não diz. Não há nenhum engano nos numeros de habitantes de Paderne eu assino o Avezinha e o senhos Martins Aleluia é que forneceu esses numeros que eu lá li e como lia sempre lá este cronista já tinha conhecimento do abandono em que está o concelho de albufeira que é o meu.
Luciana Sobral

Anónimo disse...

O senhor FIRMINO tem toda a razão a bufaria do PSD anda assustada porque sabem os crimes que cometem, porque o que está escrito é tudo verdade e fora aquilo que se não diz. Não há nenhum engano nos numeros de habitantes de Paderne eu assino o Avezinha e o senhor Martins Aleluia é que forneceu esses numeros que eu lá li e como lia sempre lá este cronista já tinha conhecimento do abandono em que está o concelho de albufeira que é o meu.
Luciana Sobral

Anónimo disse...

freguesia de paderne com cem habitantes !!! então como é que me atribuiram o numero quatro mil e tal quando há quatro anos pedi o meu cartão de eleitor

Anónimo disse...

Boa!!!! Sr anónimo das 20:35...

Agora respondam , Oh senhores ludibriados pelo vendedor de banha da cobra (luis Alexandre) e pelo Pseudo-escritor sedento de um Tacho Manuel Aires)) Ah pois éee????

firmino disse...

A bufaria está sempre atenta e venham sempre, disfarçam as acusações graves que estão apontadas e aproveitam-se dos números que todos sabemos estaren enganados.
Só fazem alarido e ainda não vi aqui escrito um comentário que prove o contrario.
Moços vão dar banho ao cão que a vossa conversa é nada.

Meo Comandante disse...

Paderne é uma freguesia portuguesa do concelho de Albufeira, com 55,64 km² de área e 3 504 habitantes (2001). Densidade: 63,0 hab/km².

em 8 anos perderam.se cerca de 3400 habitantes lol
Acho que é porque não meteram carros antigos lá expostos tambem.

Anónimo disse...

Este meo comandante está de serviço, e é pago pela bufaria da confraria da camara municipal para estar atendo às criticas, mas não tem sorte porque melhor que os numeros que escreve não pode desmentir a pouca vergonha de tanto enriquecimento sem justificação dos mandantes enquanto cada vez há mais miséria, desempregados e comerciantes pobres em Albufeira, no Algarve e no País onde eles comem tudo e não deixam nada. Em Outubro o povo vai dizer quem tem razão e saber como entraram pobres e saiem milionários no dizer da drª Maria José Morgado, vice procuradora geral da republica. Confrade João

Anónimo disse...

para mim bufaria são alguns que escrevem neste forum que fazem queixinhas porque há obras na ribeira e que falam mal da camara e polis mas esqecem-se que antes do polis a av. da liberdade era uma rua com carros e hoje é um centro comercial ao ar livre querem estacionamentos mas há verdadeiras lojas no meio da rua , era melhor antes ou agora? não estou a favor da merda que o polis fez mas para algumas lojas e bares , restaurantes apesar de estarem contra devem estar muito satisfeitos por terem esplanadas maiores que o que tinham antes e algumas nem as tinham, mas o maior problema é a crise internacional que se vive e em especial na inglaterra onde a libra está quase ao preço do euro o que faz com que os bifes estejama cortar nas férias, e já agora baixem um pouco os preços que praticam e tavez alguns residentes vão comprar ou beber uns copos na vossa avª , se eu estiver errado nalgumas coisas que disse aceito respostas. cumprimentos V. P. A. M. filho nscido e criado nesta cidade

Anónimo disse...

Oh VPAM eu escrevo aqui e não sou bufo do teu patrão e não percebo toda essa raiva contra os comerciantes ou vens do blogue vizinho onde odeiam e gostam às cegas das grandes superfícies ?
E a baixa sem estacionamentos melhor seria que tivessem os carros porque vendiam mais. Tu vens fazer recados e nem sabes como ?

carlos

Anónimo disse...

o que é um bufo?
como penso que não se está a referir ao bufo da familia dos sapos nem ao bufo real da familia das aves, só se pode tar a referir ao bufo delator, informador, queixinhas,denunciante etc...
como não conheço nenhuma referencia a bufo da familia dos mentirosos só posso concluir que o problema do anónimo contra os bufos é a verdade.
acaba por ser um bom elogio aos taxistas que por sinal até estão á margem destas guerras politicas.
a malta quer é o melhor para a cidade, ou será que o PSD o PS o PP o PCP etc... querem o contrário?
o anónimo que fala dos bufos deve ser o unico a querer mal de Albufeira porque não quer que se informe, denuncie ou se queixe do que possa estar mal na nossa terra.
Cumprimentos
Paulo
(não dou mais pistas de quem sou porque anónimos que falam mal dos outros são piores que o bufo dos sapos, um bicho que provoca intoxicações quando comido por outro)