domingo, 8 de março de 2009

COMÉRCIO E RESTAURAÇÃO FORA DAS MEDIDAS!

foto "Algarve Reporter"
O Executivo de Albufeira, de forma atabalhoada e sob a pressão da realidade, com o aumento exponencial dos desempregados, mais de mil em apenas um mês, totalizando 2688 registados, e o aumento dos salários em atraso e um número crescente de famílias em incumprimento das suas obrigações, decidiu-se a tomar medidas de apoio social em obediência a determinadas condições.

Ainda que tardiamente e depois de declarações infelizes do presidente da Câmara, já há algo de concreto no terreno, embora pareçam deixar de fora parâmetros de actuação que podem contribuir para manutenção da estruturação das famílias.

Contudo, estas medidas deixam de fora o tecido empresarial, onde as micro e pequenas empresas do Comércio, da Restauração e Serviços, são apenas contempladas com a isenção da taxa de publicidade para este ano, que representa muito pouco nas responsabilidades financeiras das empresas.

A ACOSAL, a primeira entidade a reclamar um Gabinete de Crise para o Concelho e que influenciou a decisão da proposta da CDU na Assembleia Municipal, adiantou a necessidade da intervenção camarária na atenuação de outras taxas, como forma de sustentação dos empregos e dos próprios empresários e suas famílias.

Depois de uma época menos boa de 2008, um Inverno cada vez mais longo e fraco de receitas para fazermos face às despesas, os níveis de endividamento e incumprimento aumentaram e podem, face a um previsível verão recessivo, descambar em falências e um aumento substancial dos problemas sociais.

Uma Câmara que gere um orçamento milionário de 93 milhões de euros e tem em Banco mais 30 milhões do ano passado, tem folgas suficientes para ajudar à sustentação do tecido empresarial do Concelho, que são a sua razão de existir e a base das suas receitas.

O desmoronamento da coluna vertebral do Concelho pode ter consequências catastróficas no futuro, logo faz todo o sentido, todo o esforço na preservação das empresas e do emprego.

O Estado também pôs à disposição das empresas sistemas de apoio como o MODCOM e o PME INVESTE III, que estão completamente desajustados da sua situação concreta, obrigando-as a apresentarem-se sem máculas, o que é de todo impossível para a grande maioria, castigada por esse monstro cada vez mais dilatado da sazonalidade.

Sem ajudas locais e nacionais, sem um esforço conjunto de todas as partes, não auguramos nada de bom para os próximos tempos e as entidades vão ter de assumir as suas responsabilidades de falta de visão e acção atempada.

Em Albufeira, há muitos comércios e restaurantes em grandes dificuldades financeiras, alguns encargos estão a ficar para trás, com a banca, facturas de fornecedores, salários, gás e outros e estamos à espera de quê para se definir um plano de ajudas?

Não é momento para vergonha, mas de acção!

As teorias económicas das mortes saudáveis para a renovação do sistema, que alguns agentes de poder avançam, poderão não matar a fome a muita gente e evitar explosões sociais.

Há muitos responsáveis que não estão à altura das leituras que o momento exige.

Luis Alexandre

Presidente da ACOSAL e Membro do Forum Albufeira

10 comentários:

Anónimo disse...

Com o robalo a 60 euros e o bitoque a 15 ainda querem ajudas da camara?

Anónimo disse...

voces acham que todos restaurantes vendem caro ? se me disserem que há muitos vá lá aceito mas as pessoas teem fazer pele vida e está muita gente a trabalhar nstes trabalhos que precisam do emprego e sempre ouvi dizer que ums só andorinha não faz primavera.

carlos

Anónimo disse...

Se os comerciantes da Restauração não quisessem levar tudo de uma só vez, talvez tivesse mais clientes, assim como mordem muito só comem uma vez. Não se admite os preços praticados na grande maioria dos restaurantes, e muitas vezes as condiçoes de serviço e qualidade fica muito aquém do preço praticado, bem como a prontidão e simpatia do serviço... É como no seu Quiosque, tudo pela hora da morte, e depois queixam-se que não vendem!!!!!
Enfim, a crise não justifica tudo..
Mas como o meu pai dizia,
""""Faça o mal quem o fizer, paga sempre a minha mulher"... Ou seja quem tem a culpa é a Camara e o seu Presidente,.... É ele quem cobra o preço muito alto, serve mal, é antipático etc etc etc.
Este Luis Alexandre é o maior demagogo, hipócrita que Albufeira, já viu.... Vá pregar lá para o sítio de onde veio, ou lá não tem lugar porque o conhecem bem e sabem de todos os seus podres?....
O que voce quer é protagonismo...
Agora,lá porque está á frente de uma Associação, Já pensa que é gente importante e cheia de poder que pode escrever todas as baboseiras... ...
Quando os Associados dessa ACOSAL, se aperceberem do tipo de pessoa que os representa, dão-lhe um Chuto no traseiro e recambiam-no rápidamente, para outras paragens......

Anónimo disse...

Até parece que o homem é que é o culpado do estado a que isto chegou.
Culpem os verdadeiros protagonistas.

Anónimo disse...

ele não é o culpado mas como dizem os gatos fedorentos só fala fala fala fala e não consegue dizer nada

Anónimo disse...

Peço toda a atenção dos comentadores, para a noticia do CM de hoje: casas vendidas a metade do preço e uma é nos Salgados. De um milhão só pedem metade.
Não é para adivinharem mas será o proprietário:
um comerciante ?
um proprietario de restaurante?
um chinês ?
um político ?
um comentador ?
ou
um pobre diabo que deita fora dinheiro ganho com o suor dele ?
Dada a ninharia de dinheiro em causa eu inclino-me: ou um comerciante ou um proprietário de restaurante!
Porra, falhei mesmo ?

Anónimo disse...

Alguns destes comentários são importantes.
Outros...
Seria bom que alguns comentadores deixassem o insulto para as ocasiões oportunas, e dessem o seu contributo com base nos factos.
Só vem aqui ler quem quer...
A opinião de uns não é obrigatoriamente a de todos.
E só come gato por lebrte quem não tem paladar...
Elevação, meus senhores. Elevação!!

Xico do Páteo

Anónimo disse...

repetindo....
Haverá comerciantes com dificuldades. Calculo que sim. Da restauração também. Mas quem passa as licenças?? Quem permite aberturas de lojas por tudo e por nada, iguais umas às outras, sem ordenamento nem ´lógica de funcionalidade??
Queremos determinados produtos, e temos de ir a Faro ou Portimão! Não há farmácias em locais afastados do centro da cidade...
E sobre os empresários da restauração muito havia que dizer.
Em especial daqueles que passam o verão em Albufeira e o inverno no Brasil!
Será que esses também vão ser beneficiados com as medidas??
Meus senhores TENHÃO VERGONHA!

Nico

Albufeira a mudar disse...

Para um universo de micro e pequenas empresas do comércio, da restauração e bebidas e serviços, que ultrapassa as mil no Concelho, estão todos no Brasil?
Falem com as Associações e Sindicatos, com os Bancos, com os grandes distribuidores de produtos no Concelho, informem-se e deois comentem com alguma base sustentável.

Anónimo disse...

Perguntem aos Rest de Comida a Peso ou de Fast Food se estão em crise... Com a falta de dinheiro até facturam mais este tipo de negocios.