sábado, 7 de março de 2009

JUSTA REIVINDICAÇÃO DE APOIO AO SECTOR

Restauração pede redução do IVA para 7 por cento
06.03.2009

a O presidente da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), Mário Gonçalves, defendeu ontem a redução do IVA e a baixa da taxa social única para salvaguardar o sector da crise económica.
Em declarações à Lusa, o responsável defendeu a redução do IVA de 12 para 7 por cento "em harmonização com Espanha", e a baixa da taxa social única de 23,75 para 20 por cento, "também como se pratica em Espanha". Mário Gonçalves falava, em Portalegre, à margem de um encontro com empresários do sector da restauração e bebidas, em que também participaram representantes da Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo e da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE). Embora considerando que os apoios já disponibilizados pelo Governo são "interessantes" e "importantes", o responsável declarou que "trocaria" as medidas governamentais pela redução do IVA e pela baixa da taxa social única. Outra das medidas que Mário Gonçalves preconizou passa por uma revisão de custos no sector dos cartões de débito e de crédito. "Em Portugal pagamos mais de 600 por cento do que paga a média europeia com cartões de crédito e débito". O mesmo responsável apelou ainda aos municípios para que "aliviem" os empresários, este ano e no próximo, no pagamento das licenças para as instalações de esplanadas e reclamos luminosos.
De acordo com Mário Gonçalves, o sector, que emprega actualmente 350 mil pessoas, também está em "crise", mas "curiosamente" neste período de dificuldades económicas tem vindo a registar um "aumento" do número de empresas.

(in Público)


Comentário FORUM ALBUFEIRA:


No Algarve, "a procissão ainda vai no adro", quanto a reflexos negativos da crise económica e financeira.

A época passada já evidenciou sinais preocupantes, o inverno foi difícil e os números recentes publicados pela AHETA, de quebra de 20% na ocupação hoteleira vêm-no confirmar, o verão adivinha-se de perdas, sendo completamente legítima a apreensão quanto ao futuro. Lá para Outubro, far-se-ão os balanços.

O sector da restauração é um dos que pagará uma factura pesada, porque com a falta efectiva de rendimentos, procura-se poupar neste tipo de despesas e em termos turísticos não será diferente.

Como se deve agir antes que tudo venha a ficar pior, esta pretensão da ARESP é absolutamente legítima e pode contribuir para a sustentação de milhares de micro e pequenas empresas e do emprego.



5 comentários:

rosária m. disse...

Devo dizer que quando li a afirmação do presidente da Câmara de Albufeira, que tomar algumas medidas para socorrer os mais desfavorecidos, envergonhava o Concelho, tive um ataque de fúria.
Podiam ao menos, em ano de eleições apresentar um plano faz de conta e ficavam bem aos olhos da população e os jornais sobretudo os pasquins subsidio-dependentes da terra, faziam o resto.
E a rapaziada rosa que propostas é que fez para o Concelho dar apoios aos muitos que precisam de auxilio?
Os dois maiores partidos da terra deram uma imagem real do que valem!

Anónimo disse...

eles querem reducção no iva eles querem ocupação da via publica de borla eles querem tudo devido á crise . mas no fim do verão vão de férias para o Brasil Mexico Cuba Tailandia e outros destinos de luxo . não digo que sejam todos mas a maioria é

Anónimo disse...

Ainda que levassem tudo de borla, iriam queixar-se de que a época não tinha sido boa, não tinham vendido etc, mas lá que iam de férias ai isso iam.... Doa a quem doer férias no estrangeiro não mais poderão deixar de existir,... tarolas!!!!
Vão trabalhar malandros e moderem os preços, que somos um dos países com melhores condições climáticas ao exercício do Turismo, e um dos que mais elevados preços pratica... Ali na vizinha Espanha, conseguem fazer-se umas férias de luxo, por um preço bem mais convidadtivo que no Algarve (Albufeira), querem tudo de mão beijada.... Corja...Claro querem atrair Turismo, e querem "Gabinetes de Crise", que espanta os Turista, ao pensarem que vão ser assaltados por uma população esfomeada????. Existem maneiras mais dignas de ajudar e minimizar as dificuldades das pessoas. E o Presidente até tem estado do lado das instituições que apoiam essas problemáticas ou ninguém sabe disso?? É pena que só se utilize a política do bota-abaixo... Falar mal por falar. Documentem-se, vão até junto das nstituições de Solidariedade Social do Concelho e perguntem o que é que a Câmara tem apoiado nesses campos e talvez formulem outra opinião....

Anónimo disse...

caneca de cerveja a 4 € jarros de vinho e gelo (sangria) a 15 € 6 sardinhas 9 € e upa upa dourada de viveiro a 50 € . bnons automoveis férias exoticas vidas de lordes . vai lá vai até a barraca abana

Anónimo disse...

Haverá comerciantes com dificuldades. Calculo que sim. Da restauração também. Mas quem passa as licenças?? Quem permite aberturas de lojas por tudo e por nada, iguais umas às outras, sem ordenamento nem ´lógica de funcionalidade??
Queremos determinados produtos, e temos de ir a Faro ou Portimão! Não há farmácias em locais afastados do centro da cidade...
E sobre os empresários da restauração muito havia que dizer.
Em especial daqueles que passam o verão em Albufeira e o inverno no Brasil!
Será que esses também vão ser beneficiados com as medidas??
Meus senhores TENHÃO VERGONHA!

Nico