terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

POLIS E EXECUTIVO CAMARÁRIO TÊM OS MESMOS ANOS DE VIDA, OS MESMOS OBJECTIVOS, FALHAS, ATRASOS, AS MESMAS INUNDAÇÕES E AS MESMAS RESPONSABILIDADES.

EXECUTIVO CAMARÁRIO ADMITIU FINALMENTE QUE ACEITOU A DIRECÇÃO DA PARQUE EXPO E NÃO INTERFERIR NAS OBRAS POLIS. (in o "ALGARVE")


Uma notícia do semanário “O ALGARVE”, na edição da semana passada, sobre o Programa Polis/Câmara em Albufeira, dá-nos conta em como o actual Executivo camarário cuida ao pormenor da sua imagem fora do Concelho, procurando trazer de fora para dentro, a ideia da sua popularidade além “fronteiras”.

Este é um velho truque eleitoralista, levado quase à perfeição pelo adjunto do presidente, Dr. Paulo Dias Rato, especialista em comunicação e organização de eventos.

É deste homem, o sucesso de tanta subida ao palanque, para os discursos retumbantes de auto-sucesso. Onde estão as massas, seja de que tipo forem, tem estado o Executivo!

Mas onde estão as contestações, tipo inundações ou atrasos das obras lançadas pela Câmara nas Ruas 5 de Outubro e Cândido dos Reis, já não é tão aconselhável, vai o vereador Carlos Quintino e mais um qualquer engenheiro, para diluir a conversa.

Voltando à noticia, o sr. presidente Desidério Silva, pela primeira vez reconhece aquilo que já foi afirmado em artigo de Luis Alexandre, que aceitou as exigências do Governo PS, de que as sumidades da Parque Expo, viessem planear e conduzir os trabalhos em Albufeira.

Assume-se, finalmente, que os maus resultados que se conhecem, executados debaixo do nariz do Executivo que aceitou o silêncio, poderiam ter sido evitados.

Os erros do Executivo recaem agora sobre os comerciantes, restauração e população, que tanto protestaram a tempo de se operarem as rectificações necessárias.

Não tínhamos voz, mas a Autarquia participou com 40% dos investimentos e ainda temos de arcar com todas as despesas de correcção e de manutenção. PÉSSIMO NEGÓCIO!

Um dos erros desta subserviência, foi ter-se começado a casa pelo telhado, encerrando ruas sem que se tivessem construído primeiro os parques de estacionamento, que nos deixaram completamente em desvantagem com as grandes e médias superfícies comerciais entretanto autorizadas por este mesmo Executivo PSD.

À pergunta do jornalista, de ser acusado de ter liquidado o centro, o presidente responde pronto que pôs cobro a uma situação de “sem lei nem roque”, de mistura de carros e pessoas, e que daqui a uns meses vamos passar da miséria à fartura de 1000 lugares de estacionamento.

O Executivo claudica nas suas responsabilidades e pagam a actividade económica e a população!


FORUM ALBUFEIRA

3 comentários:

Anónimo disse...

parabensao polis e a camara pela boa merda que fizeram só tenho pena que não tivessem ido com as inundações

Anónimo disse...

A Câmara de Albufeira tinha os planos para a festa e os convites feitos ao Socrates, mas as inundações e a população traíram as intenções.

Os foguetes aproveitam-se sempre, o discurso é que vai para o lixo!

o poeta

anónimo de cá disse...

Que o papel do presidente da Câmara foi sempre subserviente já todos sabiamos, agora que assinou de cruz a capitulação da Câmara é que não. Toda a merda que foi feita é da responsabilidade de quem manda na Câmara que deixou fazer tudo. Para mim está esclarecido que o Polis projectou e fez toda esta merda com o silencio da Câmara e o dinheiro dos bolsos dos albufeirenses.
A verdade vem sempre ao de cima não é sr. Desidério Silva ?