sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

NÃO BATE O BOTA COM A PERDIGOTA

O veto da Drª Manuela Ferreira Leite à candidatura do Dr. Gonçalo Amaral, à Câmara Municipal de Olhão, não foi mais do que tomar uma decisão de grande dignidade para com os militantes de base do Algarve que pode ter reflexos para as restantes candidaturas do PSD em todas as eleições que se realizam no ano de 2009, que vão das Europeias, Legislativas e Autárquicas, não só no Algarve, mas para o restante País. A classe politica profissional está completamente desacreditada, são necessárias outras politicas e novas caras para que os cidadãos voltem a acreditar nos políticos, respondendo positivamente à chamada das urnas, sob pena da abstenção subir para numeros superiores a 50% dos eleitores, pondo em causa qualquer possibilidade governativa, como avisava o Dr. Mário Soares, prevendo que em 2009, Portugal se torne ingovernável. Há que ter respeito pelos militantes de base, são eles os depositários da soberania partidária, dando corpo e alma aos Partidos que são absolutamente indispensáveis nos regimes ditos democráticos.

A possível candidatura de Gonçalo Amaral, sorrateiramente imposta à revelia dos militantes, aliás, como são quase todas elas, cozinhadas nos gabinetes dos iluminados, não se justifica de modo algum, a não ser que sejam revelados factos suficientes que a credibilizem e que possam ser discutidos nos órgãos próprios que são as assembleias gerais de militantes que devem nos termos da lei ser convocados para se pronunciarem, levantando as suas duvidas e afirmando os seus critérios políticos pessoais, contribuindo para o apuramento das melhores soluções, sobretudo para o Concelho de Olhão da restauração, um feudo do Partido Socialista com mais de 30 anos. Nas Câmaras Municipais de Olhão, Lagos, Portimão e Faro, que são das principais do Algarve e que estão na mão do Partido Socialista há vários mandatos, as candidaturas do PSD têm de ser muito fortes, muito ponderadas e encabeçadas por pessoas de grande valia politica, intelectual, profissional e cívica de modo a que não haja a menor suspeita da sua competência, conhecimentos e rigor. A não ser assim há que contar com o alheamento dos cidadãos que estão fartos de enganos.

Pelo que consta a previsível candidatura à Câmara Municipal de Faro, liderada pelo Eng Macário Correia, é uma aposta consistente, credível e com alguma possibilidade de vitória. Mas, a margem de manobra é curta e o Eng Macário Correia corre o risco de não ganhar Faro e o PSD, perder a Câmara Municipal de Tavira, onde se tem feito um bom trabalho. A recandidatura do Dr. José Apolinário, do PS, tem algumas possibilidades sérias de vencer, atendendo que o seu mandato tem sido pacífico, tendo herdado uma situação calamitosa, como já a havia herdado o Dr. José Vitorino. É natural que o Dr. José Vitorino, se apresente novamente ao eleitorado farense, repetindo a candidatura de 2005, mas agora de forma puramente independente, sem o apoio partidário do PSD. Tal facto irá baralhar as contas visto que parte dos eleitores do PSD e mesmo os do CDS votarão Vitorino, favorecendo a candidatura do actual Presidente. Este cenário a concretizar-se prejudicará a candidatura do Eng Macário Correia, com a agravante de o PS, apresentar para Tavira um candidato quase imbatível, se se confirmar a falta de comparência do Eng Macário na sua terra.

Os Partidos devem discutir com os seus militantes e aprovar as linhas mestras que conduzam à escolha dos melhores para governar as Freguesias, os Concelhos, os Distritos, o País e enviar para Bruxelas, deputados que não envergonhem Portugal e que defendam as causas nacionais sem subterfúgios, nem servilismos para com o capitalismo selvagem e uma globalização insensível e criminosa que se impõe pelo poder dos maiores países, com graves prejuízos para os mais pequenos, mais pobres e de fracos recursos. Nas Câmaras Municipais que o PSD governa no Algarve, os critérios têm de ser mais rigorosos para que não mudem de mãos como poderá acontecer em Albufeira, no caso da recandidatura do actual Presidente, que como diz a Comunicação Social nacional não tem sabido administrar este concelho, com graves erros de palmatória, falsas promessas, acordos não cumpridos e o mais que lá para a frente se revelará...

A situação na Câmara Municipal de Silves, não é melhor do que a de Albufeira, antes pelo contrário. É um concelho que se tem perigosamente super endividado, com três mandatos já vencidos, muito problemáticos, com processos judiciais e com pouca credibilidade para uma recandidatura que por lei será a ultima da actual Presidente, assim como a de Albufeira caso se venham a confirmar. Era bastante oportuno o PSD/Algarve, apresentar novas candidaturas nestes dois Municípios, encontrando novas soluções para velhos problemas que podem resultar na perda inevitável destes dois concelhos que são dos mais emblemáticos da região algarvia. Deve a Drª Manuela Ferreira Leite e a Comissão Politica nacional do PSD estar atenta a todas as candidaturas e atalhar em todos os sititos onde as regras democráticas de audição das bases não sejam respeitadas e outras possíveis candidaturas tipo Gonçalo Amaral, que não combinam a bota com a perdigota.

MANUEL AIRES

manuel.j.c.aires@gmail.com

http://manueldecastroverde.blogspot.com

7 comentários:

anónimo de cá disse...

Habemus Papa!
O PS tem cabeça às eleições autárquicas. Não é novidade.

A novidade está no número dois de saltos altos, dissidente e inspiradora do presidente Desidério.

Adivinhem quem é?

O Xico do Páteo (porta-voz)e o Algarve Reporter (promotor), já adiantaram o nome e o curriculum, onde consta que o desidério anda a aplicar propostas da senhora.

O clube de baile avô, pensado pela senhora para a promoção PSD pode vir a ser influenciado no futuro por uma cor rosa desmaiado(a) e o Museu do Barrocal, ainda na gaveta mas propagandeado, pensam que pode ser retomado pela senhora na sua tentativa de dois mandatos que dá a tal reforma confortável para toda a vida.

O que mais chateia nesta maneira de pensar e organizar o assalto ao poder, é que esta gente que não estiveram ao lado de ninguem nas suas dificuldades, aparecem fresquinhos, inspirados no Sócrates e na sua política, para nos oferecerem o céu, quando estamos atolados no inferno por culpa deles.

Triste sina a de Albufeira, que nunca mais se livra destes carreiristas.

Anónimo disse...

O Bota é aquele dos sapos ? do gonçalo Amaral ? O Bota tem de servir para todos os números e até é capaz de ter pedido ao Desidério pra não fugir, que deixava a familia laranja em maus lençóis e a revista Algarve Mais não ia gostar depois de ter dado a vitória há já mais dum ano atrás. o que eu sei é que se a judiciária trabalhase bem vinha investigar o que se passa nas e não era só o de braga que está rico em dez anos.

carlos

Anónimo disse...

Para o "anónino de cá" - AGENTE DUPLO:

Não há coisa pior na vida do ser humano, que a ignorância disfarçada de sabedoria!
Porque reduz à insignificância qualquer tipo de opinião que se produza.
Como é o caso do "anónimo de cá" que passa a ser anónimo de lá, longe, porque não tem coragem de assumir nome pela vocação de "Agente duplo".
Parece não saber o que diz, mas sabe - desconhece factos e fala em nomes de pessoas que dão a cara e sabem o que dizem, enquanto se enconde em dupla personalidade. Intriga destrutiva inspirada nos manuais do MRPP!
Pior quando se pretende denegrir nomes em benefício pessoal.
A prova está aí. Confirma-se o que o Algarve Reporter publica, e não se confirma nada daquilo que outros bolsam com o mero pretexto de promoção pessoal e se vitimizarem demagogicamente.

Habemos papões!!!
(ai habemos, habemos, likas-alex)

Remexido

Anónimo disse...

a agitação faz parte da vida do Remexido... mas este remexido falador não podemos contar com ele em armas...

Anónimo disse...

Mas qual é o problema com a candidatura do Dr. Gonçalo Amaral? Nã possui ele um currículo sem manchas e não foi um investigador da Polícia Judiciária condecorado e reputado? E com idoneidade?

Ou será que quando o governo deixou o casal McCann, independentemente do seu papel no desaparecimento da Madeleine, sair de Portugal mediante um acordo com o governo britânico tudo com contornos pouco claros, sendo o inspector Gonçalo Amaral um dos poucos que ousou denunciar o que se passava?

Então se outras candidaturas estão a ser equacionadas para as camaras por parte do mesmo partido, com apresentadores de televisão e actores e a de Gonçalo Amaral é que é populista e corre riscos de exposição mediática?

Por mim até considero que a candidatura de Gonçalo Amaral seria não só um trunfo eleitoral, já que as sondagens parecem demonstrar o mesmo, como julgo que se este se apresentar numa candidatura independente terá porventura mais votos que o candidato mandatado centralmente.

A propósito, acho que o livro " A verde da mentira" por mais que tentem abalar a a credibilidade e a reputação do Dr. Gonçal Amaral revela alguns aspectos que nos poderão dar pistas para o que terá efectivamente acontecido com a Madeleine McCann.

Anónimo disse...

Este Anónimo coloca muito mal o problema porque confunde o bota com a perdigota.Senão vejamos uma coisa é a pessoa Dr Gonçalo Amaral no seu aspecto humano, profissinal e moral, coisa diferente é oDr. Gonçalo Amaral politico, e nesse campo ele tem de sujeitar-se aos critérios que estão deterinados para que o PSD, aprove ou reprove qualquer candidatura desta organização politica. Se ele se candidatar como independente pode faze-lo e só a ele diz respeito, o que não quer dizer que tudo aquilo que se relaciona com os casos profissionais que teve de resolver melhor ou pior diz respeito a outra esfera que não foi chamada para o caso do PSD, não aprovar a sua candidatura, só havendo que respeitar quem para tal tem poderes para tal. Quanto a resultados eleitorais, prognóticos só no fim do jogo e cá ertaremos para ver se a solução encontrada foi a mais acertada.

Anónimo disse...

Este BOTA é um falhado na actividade privada no banco finibanco na quinta do lago e refugiou-se outra vez na politica que chula completamente, e põe os amarais onde quer para se proteger, só que a manuela não lhe apara os golpes