segunda-feira, 3 de novembro de 2008

PROGRAMA POLIS/CÂMARA, NÃO HÁ MAIS FUGA ÀS SOLUÇÕES!

O Programa POLIS nunca esteve previsto para Albufeira!

Resultou de um compromisso eleitoral dentro do Partido Socialista e foi usado como instrumento de apoio à candidatura de Arsénio Catuna.

O ex -Presidente Arsénio Catuna viveu intensamente o lançar do Projecto, ao lado de José Sócrates, Ministro do Ambiente da altura e a sua morte impediu-o de ver o seu curso.

Com a vitória eleitoral do PSD e do actual Presidente Desidério Silva, que tinha sido vereador do executivo de Arsénio Catuna, viu aqui um bom veículo de projecção da sua imagem e de investimento para o Concelho e aproveitou-o. O Programa Polis/Câmara, pretendeu ser o expoente máximo, a imagem de marca de todo o curso deste Executivo que vai no segundo mandato, mas resultou em catástrofe.

A começar pela maneira como terá sido negociado e preparado, entregando a responsabilidade da execução dos projectos parcelares a uma entidade, a Parque Expo, que nada percebia da realidade da cidade, não se esforçou por conhecer nem a isso foi obrigada. O que é um facto, é que os serviços da Câmara não foram envolvidos, faltando explicar porquê e de quem é a responsabilidade.

Os resultados que estão à vista, não abonam o trabalho de nenhuma das partes.

O Programa Polis/Câmara foi planeado e executado, sem assentar em qualquer trabalho de estudo das condições naturais onde se ia desenvolver, sabendo à partida que se tratava de leito de cheia e que era uma intervenção localizada, deixando todas as estruturas circundantes no mesmo estado arcaico e, principalmente, uma ribeira a montante no seu estado conspurcado e selvagem.

O que até agora não foi dito e ninguém quer assumir, é que a intervenção foi uma decisão fundamentalmente política, com total descuido dos aspectos técnicos e práticos de fundo.

O Programa Polis/Câmara foi planeado como um autocarro de ajuda eleitoral e não como um plano sério e de intervenção profunda e indispensável numa cidade turística em franco desenvolvimento e projecção.

Os políticos só agiram em função de interesses imediatos e descuidaram tudo o resto. Bonita por cima e podre por baixo.

Agora, face aos maus resultados, ninguém quer assumir as responsabilidades. O Sr. Engº Sócrates não quer saber de Albufeira, não põe cá os pés, nem o seu Ministro do Ambiente dá sinais de preocupação. O PS em Albufeira segue a mesma linha ou fala envergonhado.

O Presidente da Câmara, que no decurso das obras desprezou todas as críticas e conselhos, não sabe até hoje como resolver estes problemas e anda às escuras. Deixaram-no só com os problemas que ajudou a criar.

Perante tudo isto e face aos muitos sobressaltos e prejuízos que a população se vê obrigada a viver sempre que chove com um pouco mais de intensidade, quem é que vai agarrar este problema e procurar as soluções adequadas?

A Câmara Municipal, que jogou na espera dos resultados e revelou incapacidade de soluções, não pode ser deixada com este assunto ao colo. O Governo Central, que tem como Primeiro Ministro o homem que lançou este Programa, tem de assumir as suas responsabilidades.

É uma exigência da cidade!


Luis Alexandre
presidente da ACOSAL

13 comentários:

antónio cerdeira disse...

Já diz o povo "o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita". O Polis foi mal planeado, era mais um daqueles grandes projectos para português e inglês ver e levar a populaça ao voto naquela direcção. A malta da Parque Expo, que já tinha ganho uns bons dinheirinhos à conta dos muitos milhões de contos das derrapagens da Expo 98, viram aqui e mais uma vez à sombra do sempre simpático e mãos largas PS, mais uma hipótese de safanço.
O Sr. Desidério, recém chegado ao poder e desejoso de "mostrar obra", aceitou todas as condições e empurrou a cidade para este desastre. Se tivesse envolvido os técnicos da Câmara, muitos erros se teriam evitado.
Mas este Programa Polis/Câmara, como resulta de negociatas políticas, só poderia dar em descuidos e asneiras que têm custado caro à cidade.
Ao PS local pós-derrota, passou-lhe tudo ao lado. Ao PSD local não se admirem que já no próximo ano receba os louros da aventura que foi o Programa Polis/Câmara!

Luis Alexandre disse...

Ao contrário do que algumas pessoas poderão pensar ou apregoar, as decisões, os efeitos, os custos e as responsabilidades do Programa Polis /Câmara são tranversais a toda a sociedade albufeirense.
Este Programa foi o facto mais relevante da actividade camarária nos últimos anos e deve ser analisada como tal.
Nenhum cidadão deixou de ser afectado por esta intervenção que acabou por passar ao lado dos principais problemas do centro da cidade. Perdas de rendimentos, dívidas, desemprego e problemas sociais, acidentes pessoais, quebra da actividade turística, inundações, despesismo, destruição de valores históricos e provocação psicológica da população, não são factores relevantes e de preocupação?
Aqueles que agora pretendem desvalorizar a importância do aprofundar desta discussão, ou não a percebem ou querem, mesmo que inconscientemente, salvar a pele dos responsáveis autárquicos e importantes sectores da oposição locais.

firmino disse...

Só mesmo a pobreza de espírito, é que pode justificar o ataque descabelado aos conteúdos do blogue do Forum Albufeira desferidos no "Albufeira Sempre".
O Forum, em minha opinião, tem feito um bom trabalho, revela capacidade de opinião e procura levar o tema até às últimas consequências, para proveito da cidade. Dizer que se abandonaram outros temas e afirmar que este não deve ser abordado, porque o executivo camarário tem sempre safas, é no mínimo desconcertante, até porque o autor do referido blogue já abordou ao de leve o tema, tal como todod os outros que coloca no seu blogue e cujas desabafos ali escritos têm de passar pelo crivo e humor do seu autor.
Como leitor assíduo do Forum, digo-vos que continuem o vosso bom trabalho, embora eu saiba que vocês não vão perder tempo com este assunto. Faço-o eu em defese do vosso bom nome.

alves costa disse...

Com a nacionalização do BPN e por tabela da Sociedade Lusa de Negócios, em que situação fica a Marina de Albufeira, que é detida por esta sociedade?
Aquele elefante às cores como já lhe chamaram, está meio parado ou mesmo parado depois da degradação da paisagem ali verificada. Estão ali enterrados milhões e só se ouvem falar de fardos especiais que dão à costa. As acções de dinamização que ali se varificam têm a colaboração da Câmara, isto é se tambem não tiverem fortes apoios financeiros. A Câmarta faz muita força para ajudar a levantar aquele monstro e ele não se levanta.

Anónimo disse...

Desta vez o sr. José Correia ou Zé d'Albufeira espalhou-se ao comprido. O qué que tem contra o Forum Albufeira e os seus membros? Deixe-se de evasivas e ataque com fundamentos. O que é isso da oposição não partidária? Na minha opinião a imensa maioria do povo é oposição não partidária. Então falar do polis é fazer o jogo da Câmara? E quando o sr falou só ao de leve? Você armou-se em reserva de alguém? Pense bem o que escreve.
O Forum está a fazer um bom trabalho e não é escravo de ninguem, E você é? Estou em pensar que sim.

l.s.s. disse...

O texto publicado no Forum, aponta para muita leviandade por parte dos políticos que lançaram e aceitaram o Programa Polis/Câmara.
De facto, só num País faz de conta é que estas coisas acontecem. Dispor de quase 40 milhões de euros e pensar só em objectivos políticos de um Partido e não organizar de forma correcta uma intervenção no centro nevrálgico de uma cidade tão importante como Albufeira, tem de ser condenado pela opinião pública.
Toda esta leviandade resultou em enormes prejuízos para os comerciantes e população e nenhum dos dois Partidos envolvidos tiveram a coragem de assumir as suas responsabilidades. Trocam entre si alguns piropos, mas no essencial respeitam-se, contra os interesses da população.
O Programa Polis/Câmara, foi de facto uma oportunidade perdida para uma cidade que necessitava de uma intervenção para resolver os problemas da sua rede sanitária, que não era separativa e tinha uma ribeira que arrastava todo o tipo de detritos para o mar.
Gastaram o dinheiro e os problemas continuam. Esta é a verdade com todas as suas consequências.

anónimo de cá disse...

Eu fui um dos que deixei de escrever no Albufeira Sempre, por não aceitar que um pseudo intelectual, se sinta no direito de censurar quem pode ou não escrever no "seu blogue". Eu fui um dos censurados.
Nos comentários despropositados e infundamentados agora proferidos, fica demonstrado o estilo individualista de tal personagem. Desde que não seja mal educado, julgo ter direito às minhas opiniões livres. Eu e qualquer cidadão. De outra maneira não faz sentido criar um blogue. Os blogues não devem ser para adulação dos seus "proprietários".
Ninguem me pediu para ser advogado de defesa, não pertenço ao Forum mas tenho o dever de consciência de dizer que este já foi atacado no seu arranque e nunca vi os seus membros atacarem quem quer que fosse. A liberdade de expressão permitiu que as opiniões derimissem. E até agora não houve recurso às ofensas pessoais.
Eu não vou deixar de ler o Albufeira Sempre, mas lançava o repto ao seu autor que siga o seu caminho e continue a ler o blogue do Forum, porque o seu artigo só prova que o sr. o lê.

ALBUFEIRAsempre disse...

Não percebemos que se conclua do post "Política local", ontem publicado no ALBUFEIRASEMPRE, que este blog hostiliza o "Forum Albufeira". Nada mais errado. Acompanhamos com interesse, e até com generalizada concordância, desde a sua criação, o que nele se tem escrito, designadamente os debates públicos lançados recentemente sobre a problemática Polis/Câmara. Achamos mesmo que há algo importante de comum entre ambos: o objectivo assumido de discutir Albufeira e servir os albufeirenses. Embora cada um a seu modo. E com as suas próprias estratégias editoriais. O que é, no mínimo, legítimo.

Não vale a pena fomentar guerras onde elas são ridículas. Aliás, todas as guerras são ridículas. E insensatas. E as que visam opôr duas entidades que se respeitam mutuamente e, na prática, parecem complementar-se - ainda mais insensatas.

Discutamos o essencial, pondo de lado o acessório.

rosária m. disse...

O Programa Polis/Câmara foi um fracasso! Os seua responsáveis têm de ser jolgados pelas suas promessas e pelos seus actos. A História deu-lhes uma oportunidade e eles falharam. Uma cidade com a importância e as necessidades de Albufeira não foi respeitada. A crista dos Srs. Sócrates e Desideerio tem de baixar. E tambem deixo o recado : reponham o que destruiram e resolvam o problema das inundações. È uma obrigação vossa!

Anónimo disse...

Discutir o essencial, como diz o "Albufeira Sempre", para o Forum será continuar o tema Programa Polis/Câmara. Mas o texto do "Albufeira Sempre" ridicularizou esta discussão. Adiantou até que a Câmara palitava os dentes com este assunto. Aqui houve maldade, porque logo a seguir falou na tal oposição não partidária, que no actual contexto só se poderia referir ao Forum Albufeira.
Por mim está encerrada esta discussão, embora eu não tenha nenhum tipo de ilusões em pessoas assim.

ana almeida disse...

Com o meu olhar no feminino, penso que o anúncio do Programa Polis suscitou uma enorme expectativa na cidade.
A população confiou que os responsáveis políticos nacionais e locais, sabiam o que estavam a fazer. A população não conhecia os projectos. Eu própria admito que desconhecia que se iam implantar uma escada rolante e um elevador no Peneco. Rapidamente passei da surpresa à desilusão.
De uma maneira geral, os resultados desta intervenção provocaram-me uma angústia muito grande. De uma maneira geral a cidade ficou a perder. A Praça dos Pescadores ficou um empedrado nu, desprotegido, sem elegância e até o cheiro a mar não é o mesmo. A "meia laranja" que era o palco da força de viver da antiga vila, pelos negócios, pelos mexericos pelo chegar e partir das camionetas da carreira,pelos acontecimentos mais importantes, está morta e entregue ao frenesim da caça ao cliente.
As obras tiraram o trânsito automóvel e provocaram um rombo nos negócios sem que houvesse a preocupação de criar os estacionamentos necessários para que ali nos possamos deslocar. Quem vive fora do centro da cidade tem muitas dificuldades em organizar quaisquer planos para compras ou para fazer praia. Os próprios serviços camarários abandonaram estas áreas, seguiram-se os bancos, consultórios e muitos outros serviços. Isto dá que pensar. E as autoridades não acautelaram estas situações? O Programa Polis/Câmara não respeitou as forças económicas e a população com maiores dificuldades de mobilidade. Este projecto decorre há vários anos e as autoridades não discorreram sobre estas matérias?
Eu consigo perceber a tristeza que se vive na cidade!

política à moda de albufeira (13) disse...

As medidas anunciadas pelo Governo, para combater a crise económica e financeira, deu-lhe um novo fôlego e dissimulou as suas falhas.
A Câmara de Portimão, percebendo os sinais dos tempos, deu inicio à corrida eleitoral decidindo baixar os impostos autárquicos e restituir a sua percentagem legal de 5% do IRS. As famílias e as empresas agradecem e o seu voto fica mais direccionado.
Em Albufeira, o presidente da ACOSAL fez esse pedido em artigo publicado mas, até hoje, a Câmara não reagiu. A oposição não sabemos se deu pelo assunto.

Marafado disse...

A irresponsável e catástrofe local continua em ritmo acelerado depois do Pólis, demonstrando que o verdadeiro responsável pela continua calamidade que nos atinge nos últimos anos é devido ao péssimo presidente da câmara que temos. Agora que deixou de esconder-se atrás do Pólis, esconde-se atrás de um funcionário da câmara municipal, o Engº Gracias Fernandes!