terça-feira, 25 de novembro de 2008

ILUMINAÇÃO DE NATAL, DESPESISMO EM TEMPO ELEITORAL!

TODO ESTE FESTIVAL DE LUZ E DINHEIRO FOI INAUGURADO COM POMPA E CIRCUNSTÂNCIA PELO PRESIDENTE DO MUNICÍPIO.

440 mil euros é o espectacular número que atinge o valor dispendido em iluminação de Natal, ao qual se tem de somar o valor não definido do consumo de energia eléctrica para o tempo de exposição.

Porquê em 2008, com obras a decorrer em duas ruas importantes e não aconteceu nos outros anos?

O dinheiro agora dispendido é um exagero, se tivermos em conta que a Câmara fugiu às suas responsabilidades e às promessas de ajudar os comerciantes e população vítimas das inundações. Parte deste dinheiro aplicado em apoios, aliviava os prejuízos e o sofrimento que nos impuseram.

Por outro lado, este dinheiro deveria ser doseado e aplicado em investimentos de animação variada, no longo período de época baixa e não somente no Natal.

Também é correcto dizer que esta iluminação, sendo necessária, não resolve a situação de abandono, perda de qualidade e fuga de clientes, para a qual a baixa foi atirada pela falta de estratégia e acção da Câmara.

E os diferentes locais da cidade e das freguesias que reclamam mais iluminação, não são atendidos.

Em conclusão, este investimento passa ao lado dos principais problemas e deixa a claro as intenções exclusivamente eleitoralistas do Executivo camarário.


"BOAS FESTAS"? Seguramente para a Empresa Castros, que cobra mais dinheiro do que o que é feito pelo conjunto do Comércio da baixa.



Reforço da iluminação pública para a alegria da multidão... mas só neste Natal 2008...para o ano vem a contenção.



FORUM ALBUFEIRA

24 comentários:

Anónimo disse...

Vai lá vai!
Com tanta rotação, diga-se iluminação, dás cabo da carola.

Iluminado

Anónimo disse...

se não se pôe luz é poeque não se pôe é como se diz preso por ter cão e preso por ter ó meus amigos resolvam lá

o cheias disse...

é pá tanto nervosismo, o que está dito é que o exagero contrasta com as mentiras aos comerciantes que ainda hoje não esqueceram promessas e tanto dinheiro em tempo de crise oxalá na faça falta e a Câmara quer a aprovação de um pedido de emprestimo para obras do proximo ano. Isto não diz nada ?

joão disse...

Esta Câmara dá musica para enganar, dá luz para enganar e ainda leva todos de parvos que não percebemos estes truques eleitoralistas.
O sr presidente nunca tem dúvida, nunca se engana e vamos a ver se não tem uma surpresa.
Você nem uma vez ouviu as opiniões dos que não concordam consigo e cheira-me que você vai de vitoria em vitoria até alguma surpresa.

o surrealista disse...

Apetece-me comentar se estamos diante do:

"Brindei com mão serenata o sonho que tive durante minha noite-estrela"
"Diabo dos números"
"A Luz dos meus olhos"
"Aprender com jogos e Situações-Problema"
"A Luz do meu contentamento"
"Uma Luz nas Trevas"

(títulos de livros)

política à moda de albufeira (25) disse...

PSD e PS, são as duas faces da mesma moeda.
Da má moeda, que durante mais de 30 anos, geriram os destinos de Albufeira e produziram o espectáculo de massificação da construção que nos esmaga e tem contribuído para a perda de vitalidade da cidade.
Ano após ano, aprovaram a cimentação dos solos, não fizeram um jardim, as vias rodoviárias estão estranguladas, a habitação social e os mais desfavorecidos foram desprezados e o centro histórico foi cercado de betão.
Oito mil fogos por vender, não preocupam a Autarquia que se prepara para aprovar mais 5.000, para satisfazer promessas aos amigos do imobiliário.
Chamam-lhe planeamento a 10 ou 15 anos e os vereadores do PS fazem a tal oposição faz de conta.
Com o parque imobiliário estagnado, com perspectivas de absorção em 7 ou 8 anos, que sentido faz uma Câmara em fim de carreira, comprometer os Executivos vindouros aprovando um PU (Plano de Urbanização)que não é necessário nestes termos e muito menos urgente?
Os lucros do betão cegam.

Anónimo disse...

este ano é o ano dos grandes contratos e das comissões

Anónimo disse...

Vejam o que o jornal Público de hoje escreve sobre o comportamento de autarcas em Portimão e pensem e digam se tem algumas semelhanças com o que se passa em Albufeira.

Então?

Portimonense

Anónimo disse...

Ainda há-de correr muita luz até ao Natal.É preciso dar tempo...

Iluminado

Anónimo disse...

As Pessoas que escrevem estes artigos de certeza que não são de Albufeira nem gostam desta cidade.
É triste, ler tanta parvoíce sobre Albufeira, parece-me mais inveja de uma cidade com uma iluminação de Natal magnifica do que outra coisa.
Pela lógica das pessoas que aqui escrevem, seria mais bonito se a cidade não tivesse iluminação de Natal (???)

mas essas ou essa pessoa vinha logo apontar o dedo dizendo que não acontece nada em Albufeira
e que as pessoas tem diereito a isto aquilo para atrair ainda mais gente ao concelho etc...
Ah pois é só olham para o próprio umbigo
No ano passado também li um texto um pouco melhor elaborado do que este que fazia referência a este tipo de "mesquinhices" sem assunto, já não me recordo onde o li.
Quem escreve estas coisas deve pensar duas vezes antes de dizer coisas ridículas.

anónimo de cá disse...

O anónimo das 5.10, quer fazer jogo de palavras, porque ninguém está contra que haja iluminação mas, contesta o Forum, que este ano se tenha ido para o exagero e quando a Câmara não assumiu as promessas feitas à população quando das inundações.
E em minha opinião acrescento que a iluminação está acesa quando já não há vida nas ruas porque a Câmara a matou ao nunca ter tido iniciativas, mas como estamos a caminho de eleições este Natal até vamos ter pista de gelo e se calhar mais coisas.
Isto é feito por hipocrisia, porque nos outros anos não fizeram nada.

Anónimo disse...

Temos luzes e o centro da cidade está uma tristeza e as pessoas não aparecem para comprar. O sr. presidente e a Câmara não ligaram muito à ailuminação e ficam ofendidos com as criticas, pois que fiquem porque têm de ouvir as verdades. O ano passado foi metade do dinheiro e digam lá porquê ?Este ano é tudo à farta e digam lá porquê?
Voc~es é que pensam que anda tudo a dormir...

luis alexandre disse...

A iluminação de Natal, de há duas décadas para cá, assumiu um papel relevante na vida das cidades e vilas do País.
Começou como instrumento de animação e fraternidade e ganhou cada vez mais importância na ajuda à actividade comercial.
A degradação do comércio tradicional na cidade de Albufeira, provocada pelo seu crescimento desmesurado e consequente perda de qualidade dos seus clientes, aliada ao licenceamento indiscriminado de grandes superfícies, foi acompanhado do desleixo da Câmara em interpretar esta situação e em lhe dar respostas.
As iluminações de Natal foram sempre pobres e as acções de dinamização ficaram na gaveta. Daqui a incompreensão pelo súbito despertar deste Executivo. É um facto que a ACOSAL criticou a Câmara e demonstrou estas afirmações de perda de negócios através de um inquérito realizado e que expressou de forma profunda o descontentamento vivido pelos comerciantes da baixa.
Claro que a Câmara preferia que aplaudíssemos de forma cega estas suas iniciativas.

luis alexandre disse...

A iluminação de Natal, de há duas décadas para cá, assumiu um papel relevante na vida das cidades e vilas do País.
Começou como instrumento de animação e fraternidade e ganhou cada vez mais importância na ajuda à actividade comercial.
A degradação do comércio tradicional na cidade de Albufeira, provocada pelo seu crescimento desmesurado e consequente perda de qualidade dos seus clientes, aliada ao licenceamento indiscriminado de grandes superfícies, foi acompanhado do desleixo da Câmara em interpretar esta situação e em lhe dar respostas.
As iluminações de Natal foram sempre pobres e as acções de dinamização ficaram na gaveta. Daqui a incompreensão pelo súbito despertar deste Executivo. É um facto que a ACOSAL criticou a Câmara e demonstrou estas afirmações de perda de negócios através de um inquérito realizado e que expressou de forma profunda o descontentamento vivido pelos comerciantes da baixa.
Claro que a Câmara preferia que aplaudíssemos de forma cega estas suas iniciativas.

Moss Debe disse...

Mosse debe, tanta luz ésó pra encandear ou prós os ladrões verem melhor, a gente boa fica em casa e o nosso dinheirito anda a voar pros bolsos...

Anónimo disse...

o centro de Albufeira devia abrir ao transito entre novembro e março, excepto passagem de ano.
o movimento que falta no inverno é o que o pessoal da terra fazia, mesmo que fossem poucos, estacionavam na 25 abril para ir ao café, bar, restaurante ou só para passear no centro e os poucos turistas da epoca baixa encontravam algumas pessoas na rua ou nas tascas e ficavam por ali tambem.
agora chegam lá em baixo não há pessoas na rua, casas fechadas tudo escuro (perdão: ás vezes encontram alguem para os aliviar de algum peso a mais) e dizem que não voltam ao centro no inverno.
ABRAM O CENTRO AO TRANSITO NO INVERNO o parque pago não serve para a maioria das pessoas, não poem lá os pés mas se puderem estacionar na 25 abril ou junto á praia dos pescadores o movimento vai voltar a pouco e pouco, (para apreciar as luzes de natal tambem)
muita gente de outros lados, Portugueses e Espanhois que antes passavam por aqui ao fim de semana quando apanharam com o centro fechado ao transito foi a ultima vez que vieram e quem ganha com isto? Lagos? Portimão? Vilamoura? se fazem centenas de kms para chegar aqui, podem fazer mais 15 ou 20 para um sitio onde possam levar o carro.
ABRAM O CENTRO AO TRANSITO NO INVERNO.
ficam todos a ganhar.
até os que tem esplanadas a ocupar o lugar onde antes havia carros, agora (no inverno) iam ganhar
tambem.
PRAÇA DOS PESCADORES E 25 ABRIL ABERTAS AO TRANSITO, (no verão fechem outra vez que já ninguem se chateia com falta de movimento)

antónio maria disse...

Aqui está uma ideia positiva que já ouvi da boca de outras pessoas e acrescento que o parque de estacionamento até devia ser gratuito nos meses de Inverno. A Câmara nunca tem nada a perder e ganhava o centro da cidade que está completamente morto. E quem o matou ?

Anónimo disse...

...o que é triste é a Cªâmara ver problema em tudo o que a população diz, ouvem mas não atendem, deixam arrastar tudo e querem que nos calemos, quando quem vem aqui escrever quer soluções, ver as coisas a andar para bem de todos e está na cara que houve despesa a mais com luzes de Natal, dinheiro que podia ser aplicado noutras acções que a Câmara nunca teve.

Anónimo disse...

Dando à luz pensam que conquistam o meu humilde espírito que não se alimenta de falsas esperanças, gostando sim da verdade mesmo que doa e me diga que o fruto do vosso trabalho é a miséria de um destino de vos ouvir prometer e pouco fazer.

Vocês levaram a minha fé e só me resta a amargura de vos ver contando mais histórias de embalar.
o poeta

Anónimo disse...

não sei se os comentaristas dete forum sabem mas teem 2 horas gratis no parque desde que apresetem um ticket de qualquer loja ou bar na baixa até pode ser só de uma bica

Anónimo disse...

Os da Câmara podem vir expliccar as razões de tanta despesa ? Quem é que vai ganhar com este aparato que é a primeira vez que se ve assim tão grande e porquê este ano ? No dia 3 ou 4 de janeiro vamos todos perguntar quem saiu a ganhar com tudo isto.

Anónimo disse...

Tanto dinheiro deitado à rua mas não fazem casas para os pobres e quando se vai à Câmara pedir ajuda pras rendas dizem logo que não pode ser que as leis não deixam e mais uma caterve desculpas. Muita tá mal e as pessoas teem de falar calados já estamos à muito tempo.

Anónimo disse...

se com o dinheiro que gastam nas iluminações de natal investissem em habitação social faziam melhor figura

Anónimo disse...

Hoje ouvi um residente de muitos anos do Senegal, dizer que este valor dava para matar a fome de tantas crianças, mas depois disse também que aqui não há crianças com fome (achamos nós!). Mas há um lar com 18 lugares para idosos já preenchidos. E também há centenas de crianças sem infantário e creche. De certeza que as ruas podiam estar iluminadas com enfeites menos elaborados e mais baratos e que um postal a dizer que se íam criar mais lares para tantos idosos abandonados à solidão por Albufeira fora, ou mais um infantário público, íam trazer mais alegria à população do que todo este aparato... infelizmente já quase sem frutos para quem vive do que vende.
Rogério