quinta-feira, 30 de abril de 2009

CRÓNICAS DE JOSÉ EDUARDO SIMÕES

À ESQUERDA DO "CENTRÃO"

Confesso que achei hilariante, mas cumulativamente grotesco, que alguns senhores conotados com o PS e apoiantes da candidatura de David Martins, tivessem demonstrado repetidamente a sua preocupação, com o facto de, à esquerda, como vai sendo normal e habitual, não passar pela cabeça de ninguém votar no candidato rosa.
A sua preocupação resulta do facto de, dizem, tal atitude beneficiar objectivamente a candidatura de Desidério Silva e fazer o jogo da Direita.

Vinda de quem vem, esta preocupação dá, como afirmei, uma grande vontade de rir.
Será que esta gente pensa a fazer o pino? Será que não há espelhos nas sedes partidárias? Será que não se enxergam? Será que são apenas desonestos (a julgar-se a si e a julgar os outros) ou também aqui existe uma preocupante limitação do raciocínio?
Haverá alguém neste país, mais conhecedor do que é "fazer o jogo da Direita", do que esta gente, que não tem feito outra coisa, desde 1974?

Reflictamos sobre duas questão, uma de âmbito local, outra de âmbito nacional:
1-Porque será que os cidadãos de Albufeira, preocupados com o que se passava em S. Rafael, não recorreram à oposição camarária institucional, do Partido Socialista, para denunciar e tentar travar o que ali se passava? Em teoria, seria essa a via normal de o fazer, abrigando-se no estatuto de oposição que aqueles detinham...
2-O PS (auto-intitulado de esquerda... e ainda por cima moderna!!!) governou em mais de metade dos anos desta III República, fundada com o 25 de Abril de 1974. Algum país governado à esquerda, pode ter o maior desfasamento entre ricos e pobres de toda a Europa, como se verifica no nosso? É do código genético da Esquerda defender os fracos, em todas as circunstâncias; intervir, em nome do Estado, na defesa dos cidadãos mais desprotegidos, face às investidas do poder económico...

A Política define-se nos actos, e não nas intenções, ou na retórica. No essencial (refiro-me a grandes linhas estratégicas de governação...), alguma coisa separa PS e PSD, politicamente? Tentem encontrar uma só divergência de fundo!...
Pois é... Dois partidos sem contradições entre eles, que não sejam de pormenor, monopolizam o espaço político, repartem favores e negócios entre si... A esta verdadeira ditadura ideológica, as pessoas respondem como respondiam no tempo da ditadura política: pelo desinteresse e pela abstenção. Apesar de terem, agora, absoluta liberdade para intervir...

O que e quem permitiu este estado de coisas? O facto de, as clivagens que deveriam existir entre os dois principais partidos, não existirem, devido ao facto de o PS, em vez de assumir o seu posicionamento programático e ideológico próprio, ter adoptado o programa e as ideias do seu adversário, até se confundir com ele. Até lhe restarem, apenas, questões de pormenor, para debater.

À Democracia é essencial o contraditório, para permanecer viva; esse é um factor vital ao seu desenvolvimento. A nossa, de águas paradas pelo consenso deste "centrão" neoliberal e medíocre de ideias, tornou-se um pântano. Os tristes exemplos são noticiados todos os dias nas televisões e nos jornais.

Depois, são os outros (talvez a Esquerda !!!...) que fazem o jogo da Direita...
Será acaso que, ao nível municipal, quase nada separe estes dois partidos, sendo a avaliação popular de "péssima" relativamente à actuação das governações destes partidos gémeos-siameses? Claro que não: os interesses são rigorosamente os mesmos, os "fornecedores" é que são diferentes... Como poderiam, então, existir políticas diferentes? Isso subentenderia ideias contraditórias e objectivos diferenciados...

Chegados aqui, e invocando o tristíssimo desempenho político que o "histórico" das governações do "centrão" representa, deve concluir-se que não votar no PS é que é NÃO FAZER O JOGO DA DIREITA! Como, não votar no PSD, é NÃO ALINHAR COM A DIREITA!

Agora, David Martins...
Porquê David Martins como candidato do PS?
Resposta: Por razões de sobrevivência, e por razões de marketing, em nome dessa tentativa de sobrevivência.
1-Apresentar um jovem: uma geração diferente, eventualmente mais informada e presumivelmente sem os vícios das outras e (ainda) sem a teia de interesses particulares a defender; um jovem ainda tem de "mostrar serviço", quanto mais não seja para se mostrar um "digno" sucessor dos nababos mais velhos...
2- Sem ligações políticas à terra: numa terra onde a sua política foi um desastre consecutivo, convém que não haja pontes entre si e a política praticada anteriormente, aos olhos da população.
3-Conotado com trabalho parlamentar: vinculado à política ao seu nível nacional e mais elevado; prestigiante. Normalmente, os políticos regionais fazem o seu trajecto exactamente ao contrário.

Fazer esta escolha era, portanto, um imperativo absoluto para o PS. Um imperativo de sobrevivência. O PS enfraquecido de ideias, desmotivado para a acção e enredado na teia dos interesses, visa com tal escolha, simplesmente, desacelerar o ritmo a que está a definhar à esquerda. Adiar o inevitável: o crescimento da Esquerda coerente e renovada de ideias ou a sua própria dissolução no gémeo PSD, por inanição e osmose ideológica.
David Martins é o homem desta estratégia para Albufeira. Representa a mistificação salvadora, não da cidade, mas do seu partido. O cenário messiânico do filho da terra, self-made-man, mas convenientemente desconhecido... Com o desastre da governação Desidério à vista de todos, pretende o PS receber dos votantes o benefício da dúvida para o seu jovem, sob a forma de voto...

Só que o que está por detrás dele, permanece exactamente o mesmo... A política não são pessoas, são ideias e práticas. E as do PS, com Martins, vão continuar a ser as mesmas... pelo menos até ao dia em que a Esquerda, por força da decisão popular, o obrigue a confrontar-se com o que andou a fazer desde o 25 de Abril de 1974... Os resultados da Esquerda este ano (todas as sondagens o indiciam) são o toque a finados da política direitista neoliberal.O PS que se cuide!...

A Esquerda está onde sempre esteve, sem truques, a defender aqueles que sempre defendeu. A crescer e a ser recompensada pela sua coerência e pelos seus valores. Porque haveria ela de se preocupar ou dar o aval a políticas decadentes e antidemocráticas? Que interesse poderá ela ter em escolher entre os grupos económicos que, por detrás dos partidos do "centro", irão dominar o município de Albufeira no próximo quadriénio? Absolutamente indiferente!
O verdadeiro adversário do PS não é o PSD. O verdadeiro adversário do PSD, não é o PS. O VERDADEIRO ADVERSÁRIO DE AMBOS É A ESQUERDA.

Que se reúnam as condições para que a Esquerda possa apresentar-se ao próximo acto eleitoral autárquico, em Albufeira, de modo a poder mostrar à população o que a diferencia nas ideias e nas práticas relativamente a este poder "central" medíocre, incompetente e predador.


José Eduardo Simões

OUTRO ROMBO NA "QUALIDADE DE VIDA" DO CONCELHO!

ATÉ O AR CONSPIRA...


Ficámos todos a saber que um serviço de monitorização de controle da qualidade do ar no Algarve, não funciona.


E mais, que Albufeira é um dos dois piores lugares para se respirar. Até o ar está contra a propaganda oficial e logo em ano de eleições.

A notícia é omissa, se é um problema de falta de equipamentos, se é falta de recursos humanos, falta de vontade ou apenas mais uma medida economicista do Governo, a que a CCDRA, a entidade responsável, deu provimento.

Numa região turística, esta até é uma matéria de pouca importância e se ninguém disser aos visitantes, eles não sabem.

Mas os algarvios agora sabem e temem que a má qualidade do ar venha ainda das palavras ao vento das anteriores eleições e possa piorar com os 3 actos deste ano.

Diz o ditado, que promessas leva-as o vento mas, afinal, ainda pairam sobre as nossas cabeças e poluem o ar que respiramos.

Saquem das vassouras!


FORUM ALBUFEIRA

quarta-feira, 29 de abril de 2009

CRÓNICAS DE MANUEL AIRES.

O DESEMPREGO ALASTRA

O País tem muitas vulnerabilidades e nos conturbados tempos de crise que mergulha o mundo à beira do precipício, as chagas são mais salientes, não sendo mais possível esconder a miséria que grassa por toda a parte e abrange mais de dois milhões de pobres, que já o eram há anos, mas quando as estatísticas estiverem actualizadas esse numero irá para os 4 milhões, em virtude dos mais de 600 mil desempregados e 1 milhão de recibos verdes, colocando os patrões portugueses como os piores pagadores do planeta, numa exploração desenfreada que nem nos tempos do fascismo era visível. Não admira que o Belmiro de Azevedo venha cantar loas ao 25 de Abril, ele que há 35 anos era um insignificante empregado do banqueiro Pinto de Magalhães, hoje está cotado no rol dos mais 100 ricos da União Europeia, assim como o corticeiro Amorim e mais meia duzia de fortunas completamente incontroláveis pelo fisco e por governantes que lhes dão protecção e são seus serventuários. E tudo isto foi erguido nos últimos 30 anos em nome das liberdades, da democracia e do pluralismo, arruinando e destruindo a classe média.

Nada disto para o cronista é surpreendente, visto escrever sobre estes temas ao longo dos últimos 4 anos, num jornal local de Albufeira, quando alguns diziam que estava a exagerar nos tons críticos construtivos que escrevia. Infelizmente, de exagero nada tinham, porque a realidade ultrapassa de longe o estado a que tudo isto chegou e a região algarvia não foge a esta apagada e vil tristeza, apesar de alguns arautos quererem meter-nos os dedos nos olhos, ao vender ao País, o Algarve como uma região rica, prospera, tranquila, segura, e sem as dificuldades sentidas nas outras regiões de Portugal. Nada mais errado é o que revelam os numeros registados nos Centros de Emprego, “ a região lidera no desemprego com 20 987 desempregados inscritos só no mês de Março de 2009, aumentando 55,2% em relação ao mês de Março de 2008”. Quando se pretendia vender a região algarvia como um oásis, sabíamos que era pura mentira, pois vivemos aqui desde 1986 e com caracter permanente desde o ano de 2000, com residência em Silves, Albufeira, Faro e Tavira, por motivos profissionais. Em todos estes concelhos conhecemos bem a pobreza envergonhada que nos fala Macário Correia, em relação a Faro capital do Distrito. A cidade de Faro, “ é o concelho do Algarve com mais barracas a servir de habitação a pobres famílias. As crianças e os idosos de Faro se não fosse o enorme esforço das IPSS teriam ainda uma vida mais complicada ”. E Macário Correia para além disto diz muito mais no seu manifesto eleitoral com que se apresenta ao eleitorado farense para tentar inverter esta triste situação e recuperar a Câmara.

Apesar de tudo, Faro, não é uma ilha de desgraça neste Algarve, dito rico, turístico, moderno e sofisticado, como alguns faziam crer, vendendo pelo mundo fora, aproveitando-se dos dinheiros públicos das autarquias para esbanjar em viagens para tudo quanto é capital europeia, dos Palops, das Américas, Asia e Oceania, futebois, festas de arromba, mega excursões, carregando dezenas de familiares e amigos, num forrobodó interminável, sem prestar contas a ninguém, humilhando, perseguindo e prejudicando todos aqueles que não fazem parte dos apaniguados, enfim, um nunca mais acabar de “crimes” e violências que é preciso pôr termo no período eleitoral que aí vem, denunciando com verdade, provas e argumentos serenos, dando uma contribuição fundamental para eliminar a chaga social que nos fala Macário Correia, que conhece como ninguém a região.

Quando nos anos sessenta do século XX, os ingleses começaram a “colonizar” o Algarve, criando uma nova industria a que se chama turismo, destruíram-se todas as estruturas autotones da agricultura, do comércio, das industrias conserveiras e outras, da construção civil, artesanato, artes e oficios, tudo amassado em nome da nova galinha dos ovos de oiro, e o resultado aí está, com cifras de desemprego percentuais de aumento estimado em 55,2%, enquanto a média nacional é de 23,8%. Afinal, a industria turística hoteleira, contribui mais do que os outros sectores de actividade para o aumento desenfreado do desemprego e o mais grave é que são os três concelhos mais ricos – Portimão, Loulé e Albufeira, aqueles onde se verifica um maior numero de desempregados. E o que diziam os autarcas destes concelhos, ainda há poucos meses, que nos seus domínios era o paraíso na terra, onde havia mais hipóteses de trabalho, melhores remunerações e até escassez de mão de obra.

Afinal, outros concelhos mais pobres, como Vila Real de Santo António e Alcoutim são melhor administrados, procurando atenuar o desemprego com pequenas empreitadas municipais, tal como já o tinham feito com as operações oftalmológicas às cataratas dos idosos pobres, de que foram pioneiros no envio à caribenha ilha de Cuba, de onde centenas vieram a ver uma realidade luminosa que há muito não enchergavam. Isto é que é o verdadeiro apoio social que já vem de longe e não surge agora em momento eleitoral, como outros demagogicamente o procuram fazer. O que fez o rico concelho de Albufeira nestas e noutras áreas sociais ? Para além do foguetório de fim de ano, das vernissagens, dos artistas de cordel, das “tias de Cascais” e de outros locais nacionais, notando-se uma total falta de solidariedade para com os mais carenciados. E os pobres, Senhor ?

MANUEL AIRES

manuel.j.c.aires@gmail.com

terça-feira, 28 de abril de 2009

A FORÇA DOS CIDADÃOS!


MINISTÉRIO DO AMBIENTE OBRIGADO A AGIR EM FUNÇÃO DAS

DENÚNCIAS SOBRE SÃO RAFAEL!


Página 1

(Clicar sobre a imagem para ampliar)


Página 2

(Clicar sobre a imagem para ampliar)


Afinal havia matéria reprovável e valeu a pena mobilizar os cidadãos e outras forças sociais, para alertarem e repudiarem os movimentos de terras ilegais, desenvolvidos pela empresa CS nas áreas de São Rafael e Arrifes.

As denúncias feitas junto do Executivo camarário resultaram infrutíferas, revelando este alguma exaltação nas interpelações feitas em sessão pública de Câmara.

Factos ocorridos no território do Concelho, nunca mereceram qualquer preocupação dos dois Partidos com assento no Executivo. Com esta polémica ao rubro, os vereadores PS pediram esclarecimentos ao PSD e quando respondidos, não lhes mereceu qualquer comentário ou reprovação. Ficou tudo entre amigos.

O FORUM ALBUFEIRA e os seus amigos, nunca descuraram o assunto, tendo sido levado ao Parlamento com a resposta acima.

Este facto, prova que os CIDADÃOS POR ALBUFEIRA podem mover montanhas. Façam as vossas denúncias sobre situações, mais ou menos relevantes, e todos juntos procuraremos as respostas!

Estas acções ilegais não ficaram impunes e devemos manter a nossa vigilância e intervenção, até conhecermos os próximos passos das autoridades.

FORUM ALBUFEIRA

O que o Pólis deixou em Albufeira

Agora que a Sociedade Pólis está em vias de extinção, venho, a meu ver, apontar algumas das trapalhadas feitas e consentidas por certas pessoas que se julgam bem iluminadas, mas que contrbuíram e continuam a contribuir para a destruição das nossas zonas mais típicas e da nossa orla marítima, assim como a degradação da malha urbana antiga, especialmente junto ao mar.
Então vejamos:
Na Avenida da Liberdade foram colocados 4 repuxos a deitar água para cima de uma grelhagem em ferro, que se encontra colocada ao nível do pavimento, o que resultava que quando a água saía espalhava-se pelo pavimento, estando a zona sempre alagada. Mas felizmente que o equipamento depois de vários ensaios, o seu funcionamento não resultou, estando desactivado, encontrando-se a sua grelhagem transformada num monte ferro retorcido.
No Largo Engº Duarte Pacheco, antigo jardim flrido, hoje transformado numa montanha de pedras sobrepostas em estilo pirâmide, foi construído um pequeno lago para dar lugar a um espelho de água, devidamente iluminado no seu interior, o qual era abastecido por uma estreita vala iluminada, que transportava a água que saía de um repuxo que se encontrava colocado no seu lado oposto. Só que depois de vários ensaios, também todo este equipamento não resultou e o seu desfecho final foi o enterramento do lago e do repuxo, sendo colocao sobre eles vários tapetes de relva para esconder o que estava mal feito, restando somente à vista a estreita vala e a sua grelhagem, o que é um autêntico sorvedouro de lixo.
Em plena Av. 25 de Abril, frente ao antigo cinema, foi construído um espaço à "Picasso", com cerca de 9 m2, com 8 e 10cm acima do nível do pavimento, em pedra granítica, com bastantes quinas e puas de pedra bastante salientes, tendo já dado origem a quedas de pessoas que têm ficado bastante mal-tratadas. Esse equipamento consta de 3 repuxos, como foram também ensaiados não resultaram e estão desactivados, dando um aspecto hórrivel à Avenida, com críticas de toda a gente que por lá passa.
No antigo estaleiro da Praia dos Pescadores, hoje pomposamente chamado de Praça dos Pescadores, quando em toda a zona não existe qualquer motivo alusivo ao Pescador, é de estranhar tal nome toponímico, por que tudo o que fazia lembrar a faina piscatória foi destruído. Se se lembrarem em fazer uma estátua ao pescador ou outro qualquer motivo alusivo à pesca e sua faina, então sim, consideraremos adequado o nome de "Praça dos Pescadores".
Nessa mesma praça que mais pareçe um largo atulhado de pedras, deveriam dar-lhe o nome de "largo da pedra partida", pois a maioria delas, apesar de serem substituídas várias vezes, encontram-se partidas.
Esse mesmo largo tem a ladeá-lo, o que não constava no projecto inicial, 4 plataformas com blocos de pedras sobrepostos, tendo no cimo 3 valas com repuxos, em estilo bicas, iluminadas, que depois de ensaiadas não funcionaram, encontrando-se igualmente desactivados.
No mesmo espaço, mas nas traseiras do apoio de praia, também foi construído um pequeno lago a fazer de espelho de água iluminado, mas que depois de ensaiado, não resultou, estando também desactivado. Ao seu lado foram colocados blocos de pedra em estilo cascata, com quedas de água electrificadas, que também não resultaram, estão igualmente desactivadas.
Sanitários: Há talvez mais de 100 anos, foram construídos uns sanitários junto à Praia dos Pescadores, no início das escadas centenárias que foram destruídas para dar lugar às escadas rolantes (a melhor obra de toda a requalificação da cidade). As escadas antigas podiam ter ficado, como lembrança de uma das partes mais típicas da antiga vila.
Pois os antigos sanitários que foram destruídos, para dar lugar aos novos, eram compostos por 3 sanitas rasteiras, para homens e 2 para senhoras e por 4 urinóis com as respectivas abas separadoras. Nestas novas instalações que foram feitas, veja bem o equipamento que lá colocaram: 1 sanita para homens, 3 sanitas para senhoras, 3 urinóis sem resguardo e, veja-se o contraste, 15 lavatórios para as mãos!... Foram também instalados 2 lava pés, que foram logo desactivados por não estarem no lugar apropriado . Também foram colocadas várias bicas bebedouras, muito parecidas com os cinzeios que encontrmos às entradas das Repartições Públicas, e por se confundirem com cinzeiros, estão sempre cheias de beatas de cigarro e vários papéis porque o seu visual é de tal ordem que mais parecem papeleiras e todas elasse encontram desactivadas.
Na zona do "largo da pedra partida" e no Cais Herculano foram colocados vários candeeiros tão junto uns aos outros , que agora estão a arrancá-los e a colocá-los em locais menos recomendáveis, pois estão em contraste com os candeeiros antigos.
Também foram colocados 5 mastros porta-banderas, que até à data não tiveram qualquer utilização, apesar de se terem realizado diversas festas de grande gabarito.
Quanto às infra-estruturas de saneamento, não salta nada à vista, estão enterradas!... Mas oxalá esteja tudo em condições para que não haja a lamentar males maiores.
Na rua que dá acesso ao Cais Herculano, frente ao "Restaurante Zé Serafim" foi feito um novo pavimento, em pedra polida, própria para escorregar, e no lado da praia foi colocado um varandim em ferro, por sinal de muito mau gosto, para as pessoas se encostarem e apreciarem a vista da praia e do mar, mas na sua frente colocaram 3 mamarrachos em madeira, completamente desenquadrados do local, impedindo as pessoas de desfrutarem a vista da praia e do mar.
Depois de tantas trapalhadas feitas pelo Programa Polis, temos a Câmara Municipal a requalificar a zona baixa da cidade, não abrangida pelo Pólis, obra essa que me dá a perceber, está a ser feita da maioria do agrado das pessoas, o que é de louvar, como acontece na parte nova da cidade, na zona administrativa e de serviços.
Eu pergunto, então com tanta trapalhada e malfeitorias feitas, não haverá uma instituição do governo central que intervenha no problema, chamando a atenção para tanto desperdício dos dinheiros públicos?
Não terá uma palavra a dizer: O Ministério das Obras Públicas, o Ministério do Ambiente, o IGAL, o Ministério da Administração Interna, a CCDR ou outras?
Haverá muito mais a dizer, mas por agora agora ficamos por aqui.


JOAQUIM DOS REIS FERREIRA,
ALBUFEIRA
(publicado in "A Avezinha")
"POR UMA BOA REDE CONCELHIA DE VIAS DE COMUNICAÇÃO!"

"POR UMA REDE DE APOIOS AOS IDOSOS E FAMÍLIAS"!


"POR UM PROTOCOLO TÉCNICO-CIENTÍFICO COM A UNIVERSIDADE! POR UM CONCELHO PENSADO!"


"AMBIENTE, AGRICULTURA E PESCAS, COMO BASE DO EQUILÍBRIO!"


"PELA RECUPERAÇÃO DAS CENTRALIDADES COMERCIAIS (Baixa e Areias/Sá Carneiro)!"

"PELA RECUPERAÇÃO E DEFINIÇÃO DO CENTRO HISTÓRICO!"

"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"

FORUM ALBUFEIRA - CIDADÃOS POR ALBUFEIRA

segunda-feira, 27 de abril de 2009



MISSÃO HIGIÉNICA OUTUBRO 2009!

O QUE TEM ESTE EXECUTIVO CONTRA OS COMERCIANTES?

Com o pedido de publicação, recebemos a seguinte nota de imprensa da ACOSAL:


O prédio do descontentamento!

A Avenida da Liberdade, a mais comercial da baixa da cidade, no arranque da época turística, foi posta a ferro e fogo. Um conjunto de factos simultâneos, estão a estrangular a nossa actividade comercial e serviços, a incomodar residentes e a afastar visitantes.

Desde as escavações de um prédio em zona pedonal do meio da Avenida, autorizado desajustadamente pelo Executivo, ao inicio tardio das obras do parque de estacionamento e fecho da entrada na cidade pelo lado da EN125 e Lisboa, estes acontecimentos estão a provocar uma acentuada quebra de receitas, que comprometem a capacidade de resposta aos compromissos assumidos.

O Executivo não acautelou os interesses das pessoas, preferindo prejudicar centenas em defesa de um construtor. Competia ao Executivo, instruir este construtor, que esperou largos meses pela Licença, de que a zona em questão é bastante sensível e carecia de medidas de prevenção.

O Executivo camarário não se importa mas, o que dirá a ASAE, nas suas competências higiénicas, do facto de nove esplanadas estarem expostas a poeiras e ruídos?

A ACOSAL, propõe a paragem da obra particular e o seu recomeço só em Outubro, tal como a inversão do sentido da estrada de entrada na cidade, de modo a favorecer a opção de visitar também a Av.da Liberdade.


A Direcção

(devidamente assinado)

LEIA AMANHÃ, RESPOSTA DO MINISTÉRIO DO AMBIENTE, SOBRE O QUE SE PASSA EM SÃO RAFAEL.

A FORÇA DOS CIDADÃOS, QUANDO MOBILIZADA, PODE PARAR OS ABUSOS DOS "DONOS" DO CONCELHO!



FORUM ALBUFEIRA - CIDADÃOS POR ALBUFEIRA

domingo, 26 de abril de 2009

CRÓNICAS DE JOSÉ EDUARDO SIMÕES

SORRY GEORGE!

Numa reunião de escuteiros, ao fim do dia, o chefe Zezinho, o Filósofo interrogava os meninos sobre a sua boa acção diária.
O menino Davidezinho começou: "Eu hoje ajudei uma velhinha a atravessar a rua".
O chefe exultou, e continuou a inquirição.
Mas, logo de seguida, o menino Jorginho, que não tinha feito nada nesse dia digno de elogio, procurou uma forma de se safar: "Eu hoje ajudei o menino Davidezinho, a ajudar uma velhinha a atravessar a rua".
O chefe escuteiro, perplexo, disse: "Oh menino Jorginho, para quê dois meninos, para ajudar uma pobre velhinha a atravessar a rua?"
A que o menino Jorginho, atrapalhado, confessou:"É que o estupor da velhinha não queria atravessar a rua..."


Há um erro de julgamento recorrente, que leva os integrantes da área do PS a afirmarem que a Esquerda torce pelo seu fracasso, quando no exercício do poder.
Não torce!
Se David Martins fosse eleito e executasse uma política, ou políticas sectoriais favoráveis à população do concelho, isso seria do agrado da Esquerda.
Aliás, a Esquerda, desde 1974 que aguarda que o PS assuma o conteúdo ideológico da sua designação, e governe à esquerda, de acordo com os valores que afirma serem seus.
Porque não o faz?
Porque não quer e porque não pode.
A questão remonta ao tempo da Revolução. Perante os eventos desse período, o PS adoptou uma posição conservadora e timorata. Sejamos claros: contra-revolucionária.
Os tempos eram confusos e convulsos? Quem tem razoáveis conhecimentos de História sabe que uma Revolução, para o ser, não pode ser de outra maneira. E que vai deitando fora o que se demonstra desadequado, e guardando o que lhe é essencial, nas décadas seguintes. O PS, ao invés, apressou-se a deitar tudo fora... E a tomar como seus os valores opostos àqueles que anunciava:
-Quando reconheceu que "tinha metido o Socialismo na gaveta", ninguém ficou surpreendido, visto ser uma constatação evidente do seu procedimento.
-Quando, num congresso da Internacional Socialista, um dirigente do PS francês sintetizou a política da organização como "Nem morrer como no Chile, nem trair como em Portugal", Manuel Alegre, que chefiava a delegação partidária portuguesa saiu da sala... Deve ter percebido, com os anos, o que Chevénement queria dizer com aquilo...
-Quando se coligou com o CDS (partido-albergue dos órfãos da Ditadura), logo em 1978, percebeu-se o que motivava a sua política...
O PS começou, pois, por não querer a Revolução; depois, logicamente, por não a poder cumprir.
Retrocedendo para o "centro" (designação política e ideológica vazia, porque inexistente), o PS colocou-se como "longa manus" do poder económico e financeiro, que lhe cobra a factura de o aceitar na área de Poder. As contrapartidas são tão visíveis, que se torna absolutamente desnecessário referi-las em concreto.
O PS é refém das suas opções políticas. Por isso é que não tem autonomia para levar a cabo uma política redistributiva justa. Por isso é que não pode enfrentar os lobbies e as suas reformas se apresentam sistematicamente débeis ou, as mais das vezes, absolutamente ineficazes.
Poderá um autarca, por mais bem intencionado que seja, alterar este quadro? Não pode. Ele foi escolhido pelo partido e, para o ser, teve de demonstrar ser absolutamente fiel aos princípios estratégicos da sua política geral. Ele sabe ao que vem. Ele representa "os interesses" partidários na política local. Não pode ser de outra maneira!
Para além da cosmética política, David Martins vai ser igual aos seus predecessores. Não é preciso ser adivinho. Basta conhecer o quadro geral em que estas coisas se processam. Os interesses do poder económico continuarão a comprimir a política do PS numa cidade em que esses interesses são por demais evidentes e avultados.
O PS escolheu o lado em que preferiu estar. David Martins também. O resto é ilusão para quem gosta de se iludir.

O "clube de fãs" do senhor Jorge Guerreiro visa captar à esquerda o que o PS, pelos motivos acima referidos, não consegue, nem conseguirá alcançar. Porque nem um bando inteiro de "escuteiros" vai obrigar a "velhinha" Esquerda a atravessar a rua... Em razão de valores e de princípios de que não só não nos envergonhamos, como, pelo contrário, de que muitos nos honramos: os valores da libertação, da igualitarização e da solidariedade humanas pelo Socialismo.
Sorry, George!


José Eduardo Simões
"POR UMA REDE DE APOIOS AOS IDOSOS E FAMÍLIAS"!

"POR UM PROTOCOLO TÉCNICO-CIENTÍFICO COM A UNIVERSIDADE! POR UM CONCELHO PENSADO!"


"AMBIENTE, AGRICULTURA E PESCAS, COMO BASE DO EQUILÍBRIO!"


"PELA RECUPERAÇÃO DAS CENTRALIDADES COMERCIAIS (Baixa e Areias/Sá Carneiro)!"

"PELA RECUPERAÇÃO E DEFINIÇÃO DO CENTRO HISTÓRICO!"

"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"

FORUM ALBUFEIRA - CIDADÃOS POR ALBUFEIRA

sábado, 25 de abril de 2009

TEMOS CANDIDATO E TEREMOS PRESIDENTE ATÉ AO FIM?

Desidério Silva, poeta menor da política, dadas as suas origens em Boliqueime e sem desprimor para as gentes dessa terra, tem alguma tendência seguidista de copiar o chefe supremo, seu conterrâneo.

O Desidério da maioria absoluta, noutra escala, é uma cópia de Cavaco Silva, quando foi primeiro-ministro de Portugal, nas mesmas condições.

Os dois raramente têm dúvidas, raramente acertam e raramente se preocupam com os interesses finais das populações. A maioria absoluta, é uma espécie de doping, que faz estes homens suporem que são o centro do mundo.

Cavaco "fez obra" vistosa mas deixou o País a caminho do agravamento da crise e da depauperação das condições de vida de um povo, que não mais parou.

Desidério "fez obra" e traz Albufeira, muito para lá das portas de uma crise do Concelho, dentro da crise do País e da Mundial.

Os dois, em presidências diferentes, mostram o desnorte do momento que criaram! Um olha para o País a empobrecer e manda recados, lavando as mãos como Pilatos. Outro, olha para um Concelho mergulhado em problemas sociais e, como Judas, começa por negá-los.

Os dois têm um percurso semelhante, não ouvindo ninguém, julgando-se os centros das atenções, cuidando apenas dos seus mundos individualistas e oportunistas, bem como dos seus seguidores.

Cavaco dizia ter um projecto de futuro para o País, governou em cima dos milhares de milhões de borla da CE, que não se cansou de dividir pelos capitalistas necessitados e que passados poucos anos, a tal suposta criação de riqueza, se transformou na curva descendente da economia.

Desidério Silva, tomado provavelmente pelo mesmo vírus, não se cansou de assinar projectos de construção, distribuiu benesses pelos amigos e financiadores, numa ânsia de receitas camarárias, sem projecto de sustentação da cidade e aldeias do Concelho, ao ponto de termos crescido desmesuradamente e não haverem respostas para os problemas que aumentaram perigosamente.

Professor e aluno, comungadores das mesmas teorias de satisfação do umbigo, tinham afinal um projecto passageiro e de satisfação da vassalagem. O País, tal como o Concelho, foram usados como trampolins.

Cavaco já lá está no patamar superior, de fiscal sem vontade de agir, e o sr. Desidério vai a eleições para lançar o sucessor e dar o salto para o Olimpo do falatório para uns e da sua presença votante, entre muitos outros.

Outro traço comum destes dois políticos, é a profunda admiração, com ou sem cópia do uso de estilo , de Alberto João Jardim. Cavaco ouve e cala-se. Desidério Silva ouve e aponta, para mais tarde aplicar.

Para Cavaco, a falta de democracia na Madeira não é problema bem como em Albufeira, quando vem de férias, não quer ser incomodado pelos ruídos. E tem o seu direito, mas os moradores e visitantes de Albufeira não podem dizer o mesmo.

São formas diferentes de ver a Democracia, que aos 25 de Abril de 2009, está profundamente moribunda para a imensa maioria da população e forte e abastada, para os descendentes e novos alunos de 24 de Abril de 74.

Todos os anos temos um Abril, mas qualquer mês é bom para a mudança!

Luis Alexandre

O COMENTÁRIO

Anónimo Ana Almeida disse...

ESTE BLOGUE É O QUE DE MELHOR SE FAZ PELA DEMOCRACIA EM ALBUFEIRA.

Passa ao lado das provocações e desabafos, que nunca tiveram matéria aproveitável.

Em nenhum outro momento e lugar, tantos assuntos de interesse para o concelho foram trazidos à tona e com muito valor de esclarecimento.

Bem hajam porque não é fácil.

As vossas palavras de ordem, muito oportunas e de valor, pronunciam alguma acção futura? Cidadãos por Albufeira? Será uma pedrada no charco!

Hoje é 25 de Abril, mas a nossa esperança está muito acinzentada. Em 35 anos, vejo muitas amostras de Salazar e muitos Marcelos pintados de rosa e laranja.

Morreu o golpe de Estado, falta a Revolução!

25 de Abril de 2009 13:07



MISSÃO HIGIÉNICA OUTUBRO 2009!
"POR UM PROTOCOLO TÉCNICO-CIENTÍFICO COM A UNIVERSIDADE! POR UM CONCELHO PENSADO!"

"AMBIENTE, AGRICULTURA E PESCAS, COMO BASE DO EQUILÍBRIO!"


"PELA RECUPERAÇÃO DAS CENTRALIDADES COMERCIAIS (Baixa e Areias/Sá Carneiro)!"

"PELA RECUPERAÇÃO E DEFINIÇÃO DO CENTRO HISTÓRICO!"

"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"

FORUM ALBUFEIRA - CIDADÃOS POR ALBUFEIRA

sexta-feira, 24 de abril de 2009

UM OLHAR NO FEMININO!

Crónicas da Mariazinha

É com profundo desalento que constato que o turismo em Albufeira se centra em Palmeiras, Sol e Mar. Pobres dos que acreditam em lugares tradicionais, carismáticos e representativos de uma cultura latina, centrada na pesca, nas gentes simples, no artesanato e nos saberes culturais. O que terá sido Albufeira ou o Algarve á alguns anos atrás não se vislumbra nos horizontes camarários actuais, não se reconhece o Lugar Vila, os artesãos não têm destaque, as feiras e romarias parece passarem sem se saber muito bem onde ou quando, se é que elas existem. Poderíamos não ter tradição de feiras mas é altura de fazer renascer culturas de interesse, mercados alternativos para que, quem com dificuldades luta contra a crise ter mais oportunidades de escolha e acima de tudo aproveitar estes como uma maior valia turística, mostrando aos demais que por aí passeiam os seus escaldões inconscientes que há algo mais para ver em Albufeira do que Palmeiras prostradas em avenidas monumentais para “inglês” ver e Sol e praia, esta última enquanto a tivermos, porque a olhar pela velocidade com que o mar avança sobre nós tarde olharemos para a organização urbana não realizada em anos transactos que permitiu que a construção entrasse mar dentro, rochedo acima e por aí fora surgissem paredes e monstros de betão como cogumelos em época de chuva.

Mas o meu objectivo não é procurar erros crassos que alguém outrora muito atrás cometeu, mas sim não consentir que outros iguais se repitam. Alertar quem preocupado com problemas pessoais, não tem tempo para observar atentamente os erros do poder concelhio, dizer que todos queremos o mesmo, e que o melhor para mim não é o melhor para todos, mas que o melhor para todos também é bom para mim.

Assim começo por questionar onde ficou a tradição Albufeirense? Onde ficou a vontade de marcar a diferença dos demais destinos turísticos europeus e não só? Onde ficou guardado o orgulho de ser simples e rico de saberes de outrora? E já agora onde fica a publicidade das raras actividades culturais que por aqui acontecem, já sei, no cruzamento dos Bombeiros, amarrada a uns postes lá vão aparecendo umas faixas que no trânsito dão imenso jeito ler.

Não quero atacar, mas sim reclamar o direito á tradição, o direito á cultura regional e o direito á informação.

Mariazinha

"AMBIENTE, AGRICULTURA E PESCAS, COMO BASE DO EQUILÍBRIO!"

"PELA RECUPERAÇÃO DAS CENTRALIDADES COMERCIAIS (Baixa e Areias/Sá Carneiro)!"

"PELA RECUPERAÇÃO E DEFINIÇÃO DO CENTRO HISTÓRICO!"

"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"

FORUM ALBUFEIRA - CIDADÃOS POR ALBUFEIRA

quinta-feira, 23 de abril de 2009

AVENIDA DA LIBERDADE A FERRO E FOGO!


Entrada de quem vem de Norte, pelo Vale Paraíso, fechada com desvio de trânsito para outras direcções.


Parque a norte da Avenida, com aviso de encerramento, sem mais quaisquer explicações sobre execuções e os seus prazos, deixando-a sem lugares para moradores, comerciantes, funcionários, visitantes e clientes dos diversos serviços ali ainda instalados.
O cartaz não tem identificação! Será por isso que a data não foi cumprida?


Obra da discórdia, cujos proprietários esperaram anos pelas licenças e logo agora, é que a Câmara autoriza o seu inicio sem acautelar os interesses dos munícipes e visitantes.



NEM BOM SENSO, NEM ORGANIZAÇÃO! OS MUNÍCIPES QUE AGUENTEM!

Na entrevista de candidatura à Câmara Municipal, em 22 de Novembro de 2001, o actual presidente, Desidério Silva, a uma pergunta do entrevistador do seguinte teor:

"Que comentário faz às obras que se realizam um pouco por todo o Concelho, criando prejuízos às pessoas que lá vivem e por lá passam..."

Resposta: ... As obras são necessárias, mas nunca podem servir para prejudicar as pessoas e nesta fase algumas foram prejudicadas. No futuro, isto não pode voltar a acontecer."

No longínquo ano de 2001, os interesses eram outros, porque agora no caminho para a reeleição 2009, o sr. presidente-candidato não aplica os critérios que criticava quando ainda era só um pretendente à cadeira.

O que se passa na Avenida da Liberdade, é uma verdadeira afronta aos comerciantes e moradores ali instalados.

Depois de um 2008 em queda, de um inverno péssimo e uma Páscoa, de arranque de época negativo, todo este acumular de obras é mais um passo para a degradação das condições de vida de largas dezenas de comerciantes e serviços.

A Avenida está privada de estacionamentos, tem a entrada de Lisboa desviada para outras direcções e a Câmara, ao mesmo tempo, sem cumprir o seu papel acautelador dos interesses das pessoas, ainda resolve autorizar uma obra em pleno coração da sua zona pedonal, com sons insurdecedores e poeiras, que afastam os poucos clientes que circulam.

Lojas e esplanadas ficam às moscas e o Executivo camarário a quem têm sido lançados apelos, fazem ouvidos de mercadores.

Até quando? Lembre-se das suas palavras sr. presidente, proferidas por si enquanto aspirante do poder.


FORUM ALBUFEIRA



MISSÃO HIGIÉNICA OUTUBRO 2009

FOLHETIM MEMÓRIA DE ELEFANTE!


ODISSEIA DESIDÉRIO! O PEIXE MORRE PELA BOCA!

Abrimos este espaço memória com as afirmações monumentais do candidato Desidério Silva, publicadas no ano 2001, a 22 do mês de Novembro e foram:


“Parece que é um vírus que percorre todas as autarquias, a aceleração das obras perto das eleições.” (In A Avezinha)


Esta tirada, na qualidade de cabeça de lista do PSD na altura, o que terá de semelhante com o que se passa actualmente no Concelho?

Para o presidente-candidato, se lhe perguntarem, dirá que os contextos são diferentes. E não é que são! Em 2001 era candidato à cadeira e agora é dono da cadeira! Uma grande diferença!

Em 2001 era propaganda PS e em 2009 é propaganda PSD. Há ou não diferença? Claro que há!

E para ser diferente, para pior, não só faz para inaugurar em cima de eleições, como paga mais caro para tal acontecer e fura a Lei, na ganância de mostrar obra.

E não é que o sr. Desidério ganhou as eleições com este discurso?

(Não temos imagens deste e dos próximos capítulos mas, a linguagem é bem demonstrativos da natureza dos políticos sem escrúpulos e sem memória.)


FORUM ALBUFEIRA

terça-feira, 21 de abril de 2009

"PELA RECUPERAÇÃO DAS CENTRALIDADES COMERCIAIS (Baixa e Areias/Sá Carneiro)!"

"PELA RECUPERAÇÃO E DEFINIÇÃO DO CENTRO HISTÓRICO!"

"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"


FORUM ALBUFEIRA - A FORÇA DOS CIDADÃOS!

A SAGA DO DAVID! (1)

Praça dos Pescadores, um dos lugares históricos destruídos conscientemente, alvo da fisga do herói David! Mais um passo propagandístico?


CHUTA PESCADORES, PÕE PESCADORES, MAIS UMA BOLA DO PS?



Mostrando ao Concelho, que se o Partido Socialista não ganhar as eleições não é por falta de dinheiro, saiu o número um do jornal chamado “mais”, que pretende pôr tudo cor de rosa!

David Martins, o enviado, fazendo jus à sua formação e convicções socratistas, entrou pelo lado dos pescadores, assegurando o regresso destes ao areal da Praia dos Pescadores, de onde o chefe do seu Partido, o Engº Sócrates mais o presidente da Câmara, Desidério Silva, os haviam tirado.

Uma das “benfeitorias” do Polis foi a descaracterização de um local com muita expressão histórica, a Praia dos Pescadores, que agora é um monte de pedras partidas, de esquinas perigosas, e um imenso areal debaixo da cobiça de um pretenso candidato a concessionário que só não se concretizou porque o assunto foi adiantado em público.

“O David já cá está”, acordou para um assunto que foi proposto por outros.

E como se explica que venha prometer a reposição daquilo que o chefe mandou fazer? Olhe que os seus seguidores não levantaram um dedo! E agora já concordam consigo? O PS está vivo e igual a si próprio!

Que mais episódios vão encher as páginas de um jornal de mera propaganda?

O Partido mudou de opinião, só porque o David chegou? Ou porque é preciso pagar o preço dos erros?

A opinião do FORUM ALBUFEIRA é que foi construído um porto de abrigo, com muitos anos de atraso, e este deve servir de base de apoio à actividade e segurança dos bens dos pescadores. Contudo, a praia deve ter barcos e apetrechos sobre o areal, numa reposição de carácter turístico, protagonizada pelos pescadores em colaboração protocolar com a sua associação de classe.

Esta é uma ideia que deve ser associada a outras de apoio à actividade piscatória, que sempre foi uma força do passado e tem de ser preservada e respeitada e porque não incrementada?

Temos ideias!


FORUM ALBUFEIRA

Pela recuperação e definição do centro histórico!

"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"


FORUM ALBUFEIRA - A FORÇA DOS CIDADÃOS!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

A MONTANHA PARIU OUTRO RATO!

(Pelo segundo ano consecutivo, que o Executivo de Albufeira monta a farsa, recorrendo a um estudo realizado por um tal INTEC-Instituto de Tecnologia Comportamental em colaboração com o Semanário "SOL", onde este Município é apresentado como um dos que usufrui de mais qualidade de vida. O ano passado, este estudo teve honras de sessão pública com convites e, particularmente a imprensa local dá-lhe grande destaque, muito provavelmente a pedido.)


A MENTIRA DA QUALIDADE DE VIDA!


Criou-se um mito em Albufeira, de que tudo vai bem na Educação e que este é um dos sectores, onde o executivo camarário desenvolve "um bom trabalho".

Sempre desconfiei, usando os indicadores de criminalidade juvenil, frequência precoce de estabelecimentos de diversão, quantidade de famílias desarranjadas, número de adolescentes e juvenis que fumam e consomem drogas, agressividade intramuros das escolas e o mau aproveitamento e abandono escolar.

Um estudo realizado por um insuspeito professor da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da UALg, Dr. Pestana Cruz, apontou o Concelho de Albufeira, como aquele que tem maior índice de depressão infantil.

Mais de 50% dos nossos jovens, apresentam sinais depressivos preocupantes.

Quando de há dois anos a esta parte, o Executivo camarário faz parangonas em jornais da sua "confiança", de que Albufeira tem uma elevada qualidade de vida, perguntamos se estes "investigadores", também associaram estes números e sector da vida social.

Um Concelho turístico, em função do volume de solicitações próximas e desestabilizantes, oferece perigos extras aos nossos jovens, situações que carecem de preocupações, acompanhamento e medidas a condizer.

Um Concelho que apresenta estes números catastróficos de instabilidade emocional, oferece elevados riscos de comportamentos desviantes, com incidências nas capacidades prestativas destes jovens na vida em sociedade.

Da instabilidade emocional à falta de valores e objectivos estruturantes para a formação e para a vida, é um passo.

Uma geração assim, não dá garantias de valorização e participação decisiva no progresso colectivo e podem determinar o marcar passo ou mesmo degradação desse crescimento colectivo.

Este problema, que é do conhecimento das autoridades educativas regionais e autárquicas, foi apenas noticiado fora do Concelho. Nenhum órgão local se referiu a ele. Não interessa para a propaganda política, porque tem o dedo, a mão e os corpos de PSD e PS.

A geração depressiva que aí vem é da sua responsabilidade!

Amanhã, quando os problemas se agravarem, temos de os associar à permissividade e falta de políticas de intervenção atempadas.

Albufeira é um Município de fachada e ostentação. Os seus responsáveis dos últimos 35 anos, nunca se preocuparam muito com a Educação e a sua importância na construção de um Concelho sustentado em conhecimento, cultura e valor profissional.

O Ensino profissional, no Concelho mais turístico de Portugal não tem qualquer expressão, a Cultura é municipalizada, desgarrada e sem projecto, a recreação nunca teve espaços verdes, o Desporto é desenvolvido pela carolice das colectividades e numa falta gritante de equipamentos para a sua prática e só ao oitavo ano de mandato, alguns verão a luz do dia.

A ocupação e formação dos jovens, nunca foi vista como uma tarefa primordial do desenvolvimento social e económico das pessoas e da sua vida colectiva. Os valores orçamentais que lhe foram e são destinados, revelaram-se insuficientes e agora todos fogem destes dados que nos envergonham e reflectem perturbações acrescidas no futuro.

A população do Concelho não está consciente da gravidade e profundidade deste problema, pelo que se torna urgente discuti-la e responsabilizar as autoridades.

O FORUM ALBUFEIRA não mais abandonará este tema e insistirá nele, sempre que necessário!



Luis Alexandre

domingo, 19 de abril de 2009

AINDA A SESSÃO PÚBLICA DE CÂMARA.



DELAPIDAÇÃO DO ERÁRIO PÚBLICO!

Na sessão de Câmara de 7 de Abril, o FORUM ALBUFEIRA voltou a abordar o tema "quem paga os dinheiros reclamados em multas e indemnizações às empresas paradas em estaleiro", nas obras dos parques de merendas e de estacionamento (P6), no topo da Av. da Liberdade.

O sr. presidente retorquiu, que era cedo para se falar no assunto, porque a autarquia estava em negociação com a ARHAlgarve.

Em negociação do quê? Então as multas têm negociação? O incumprimento da Lei também?

Caso vença esta teoria, conduzida pelo presidente da Câmara de Albufeira, fica em aberto uma nova teoria diplomático-financeira, com consequências previsíveis.

Como de certeza os empreiteiros vão fazer as suas exigências e revisão de preços, alheios a estas trapalhadas, vamos aguardar os desenvolvimentos que irão animar os próximos tempos.

Como sempre, o tempo explica tudo!

Aguardemos, como manda o nosso presidente.



FORUM ALBUFEIRA

O CONCELHO EM 8 PONTOS:


- MAIS VIDA, MENOS CONSTRUÇÃO!

- MAIS NEGÓCIO E MELHOR EMPREGO, MENOS SAZONALIDADE!

- MAIS EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO, MELHOR CIDADANIA!

- MAIS VERDE, MAIS QUALIDADE!

- MAIS SAÚDE, MELHOR PROFISSIONALISMO!

- MAIS HABITAÇÃO, MAIS FELICIDADE!

- MELHOR GESTÃO, MAIS RECURSOS!

- MAIS CONCELHO, MELHOR INVESTIMENTO!

O SEBASTIÂNICO DAVID MARTINS JÁ ATERROU!

O jantar foi servido quente e o discurso também! O bom do David já cá está! Outra vez! Foi o delírio! A família rosa aperaltou-se, uns a bem outros contrafeitos, para ouvirem as novas velhas propostas. Não fiquem preocupados, não está previsto mais nenhum Freeport para Portugal. Em Albufeira também temos o nosso com outro nome, para a Guia. O PS e o Desidério começaram e o Desidério mais o PS acabaram a aprovação. Para descansar quem não foi comer o manjar, o homem não prometeu um elevador na praia dos pescadores e uma escada rolante no Peneco. O chamado bom senso recomendava. O homem vai fazer parques verdes mas nem conhece as promessas não cumpridas do de Valmangude. A Marina e o Bem-Parece vão ficar no sitio. O IGAL, vai ser proibido de vir a Albufeira, bem como as brigadas anti-corrupção. Fica aberta a excepção para a ASAE e para o fisco, devido ao enriquecimento ilícito da imensa maioria dos micro e pequenos empresários. Por medida de precaução social e económica, os negócios chineses não podem ir para além de 99 em cada 100, no perímetro do Concelho. Os concessionários de praia, também não podem ocupar mais de 90% do espaço disponível. O CS e outros, passam a ser obrigados a avisarem com a antecedência mínima de 24 horas, a realização de obras em terrenos públicos. Por causa dos Arrifes, todas as estações vão ter controlos remotos, porque o PS não quer ser acusado de mandar os ratos roerem os cabos.
Os vereadores, se elegerem algum, vão receber um subsidio, para não faltarem às reuniões. Também vai ser fixado um prémio, pelo não às medidas que favoreçam cidadãos laranjas e outros sob suspeita. O Programa Polis vai ser homologado e quem prevaricar sobre o que foi feito, pode incorrer na expulsão do Concelho. A ACRAL, por ter colaborado no progresso da decadência, para além do terreno que recebeu de borla, vai receber o financiamento para fazer o lar do reumático para os comerciantes. A saúde no Concelho vai ser reforçada com a melhoria do piso à volta do Centro de Saúde e novas placas em cor de rosa, uma cor feminina mas de paciência, avisando que os doentes serão atendidos ainda naquela semana. As escolas do Concelho, numa tentativa de combate ao abandono, mau aproveitamento, drogas, tabaco e violência, vão liberalizar todos os aspectos do seu funcionamento, esperando assim que o interesse aumente. Contra os boatos, as funcionárias públicas não vão ser obrigadas a subirem as saias ou a usarem somente lingerie de cor rosa. Os funcionários da Câmara, poderão ver reduzido os horários, dada a grande quantidade de pretendentes rosas a funcionários. Dado o espírito esforçado rumo ao socialismo, todas as associações que jurarem fidelidade verão melhorar os apoios. Incluindo as organizações da Igreja. As estradas do Concelho nunca terão portagens. As Freguesias terão um reforço de festas e está prevista a encomenda de estudos para se apurar se têm necessidades e evitar os bluffs. As taxas e impostos, serão também revistas, não aumentando antes de 365 dias, sendo facilitado o seu pagamento numa fracção. Muitas outras medidas estão previstas, mas é melhor esperarmos pela imprensa de hoje.

PS sobre outra medida que o PS pensa tomar:
os parques de estacionamento que estiverem feitos, serão livres, pelo menos à entrada, só havendo lugar a pagamento à saída.
E também não está previsto, voltar a enganar o povo de Albufeira!


Zé de Fora

sábado, 18 de abril de 2009

LEIAM NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA, UM COMENTÁRIO SOBRE UM ESTUDO INCÓMODO PARA OS RESPONSÁVEIS POLÍTICOS DE ALBUFEIRA.
"POR UM CONCELHO AUTO-SUFICIENTE EM CRECHES E LARES DE IDOSOS!"

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"


FORUM ALBUFEIRA - A FORÇA DOS CIDADÃOS!

CENTRO ANTIGO POR OPÇÃO E NÃO CENTRO HISTÓRICO POR FORÇA DE RAZÃO!



Duas fotografias, do modernismo em plena zona histórica de Albufeira. Vale tudo, desde que se convença o Executivo e os seus cúmplices do PS.

O PSD e o seu corso local, já se sabe que não quer nenhuma declaração de Centro Histórico!

E o David Martins, socratista de formação, será que vai anunciar a sua conversão à defesa do Centro Histórico? Lata têm eles, nem que seja por influência de um especial independente...





Dizem as más línguas, que este prédio foi lançado por um ex-acessor de Aníbal Cavaco Silva e como todos sabemos, decorreram as obras como entenderam, sem que houvesse grandes preocupações por parte do executivo autárquico.

Dizem também as más línguas, que se trata do mesmo empreendedor que desbastou uma parte do cerro a 100 metros da linha de água da praia dos Olhos de Água e que para se fazer o acesso à garagem privada do condomínio, a rotunda para ali autorizada "comia" o passeio público e não o terreno privado.

Curiosamente, este assunto que foi noticiado na imprensa local, nunca mereceu uma condenação pública do presidente de Junta do PS!


FORUM ALBUFEIRA

"POR UM CONCELHO PARTICIPATIVO!"

"POR UM CONCELHO SOLIDÁRIO"

"FORUM ALBUFEIRA - A FORÇA DOS CIDADÃOS"

sexta-feira, 17 de abril de 2009

FALTA DE MEDIDAS ESPECÍFICAS...

COMÉRCIO E RESTAURAÇÃO, À DERIVA?

Na área comercial e restauração, ligadas à actividade turística, instituiu-se através da experiência de anos, que os resultados do período da Páscoa reflectem o que se vai passar nos principais meses da época alta.

Apesar da subjectividade desta leitura, na verdade tem sido utilizada como uma forma de análise que permite aos empresários organizarem-se para esses meses de trabalho mais intenso. Sobretudo, no que se refere à contratação e à sua duração.

Depois de um ano de 2008, morno para o Turismo, os acontecimentos de Setembro passado provocaram um temor que se veio a confirmar na quebra generalizada de visitantes nacionais e estrangeiros e, consequentemente, nos volumes de vendas de Inverno, que caíram de forma vertiginosa.

A sazonalidade da actividade conheceu números preocupantes, muito abaixo dos estimados e que estão empurrando cada vez mais empresas para o incumprimento a diversos níveis.

De 2001 para cá, com o desenvolvimento excessivo da oferta imobiliária e a abertura de mais espaços comerciais, independentemente da dimensão, o volume de negócios foi-se esbatendo, tornando-se uma prática normal, hipotecar as receitas do Verão seguinte, em empréstimos de sobrevivência de Inverno.

A Páscoa 2009, na linha do Inverno, foi um fracasso e um sinal preocupante. De uma maneira geral, os números da ocupação hoteleira, são usados pelas entidades oficiais como indicadores aos agentes económicos e à população. São trabalhados com muito cuidado, cumprindo uma missão de influência dos mercados. Compreende-se.

No fecho do mês de Março, na comparação homóloga com 2008, as perdas foram superiores a 30% (Albufeira quase 37%) na ocupação hoteleira. No comércio e restauração os números foram bem mais graves. E temos de levar em linha de conta que a Páscoa de 2008 foi nesse mês.

Na actividade turística, o alojamento é a prioridade e como tal, sendo necessidade básica, não determina os comportamentos nas outras componentes do consumo. Os números das dormidas, nada têm que ver com os das compras e alimentação.

Os noticiados 30% de quebra no alojamento, podem duplicar nos outros sectores, e os números da Páscoa de 2009, ainda que de forma empírica, estão a suscitar fundadas preocupações com o futuro.

Para esta Páscoa, o Comércio e Restauração encolheram-se e a habitual contratação não se verificou. Muitos empresários das pequenas e micro empresas vão continuar a contrair-se, mantendo os números do desemprego em alta. A falta de confiança e a debilidade financeira, tenderão a agravar-se, com reflexos previsíveis na degradação da vida das empresas e das famílias de proprietários e trabalhadores.

O sector hoteleiro já reivindicou e quantificou as ajudas, que dado o seu peso estrutural na actividade turística, serão com certeza atendidas. Ao contrário, os apoios às pequenas e micro empresas do Comércio e da Restauração do mesmo sector, são englobados em programas gerais, não respeitando as condições específicas da sazonalidade.

Esta incompreensão do Governo Central e a falta de medidas direccionadas, subscrita pelos dirigentes regionais, pode no final de Setembro atingir dimensões catastróficas, com um tecido económico e de sustentação de muitas localidades, em completa agonia.

Com as atenções concentradas em eleições, a vida real pode não poupar os distraídos!

Luis Alexandre

quinta-feira, 16 de abril de 2009

O PS, MIGUEL FREITAS E A MAGIA!

DIA 18, NUMA NOITE DE NEVOEIRO...


O Hotel Montechoro, agora sem salários em atraso, foi o palco escolhido para o conhecido prestidigitador Miguel Freitas, dirigente regional do PS, fazer a apresentação do já apresentado Dr. David Martins, o homem incumbido do milagre de levar a família dita socialista, ao poder em Albufeira.

O inefável Miguel Freitas, padrinho da candidatura de Fernando Anastácio, de má memória, prepara-se a sua segunda tentativa.

Mudar não mudou nada. Para ele não são as políticas e os prestadores que estão mal e basta mudar a mosca principal e o palavreado, para imaginar enganar os cidadãos do Concelho.

O Sr. Miguel Freitas, sonha em acrescentar o orçamento milionário da Câmara de Albufeira e outros pelo Algarve, recorrendo aos malabarismos dos rótulos discursivos e ocos. Há anos, um desses rótulos, foram os Programas Polis e agora, numa variante, são os Polis Humanistas. Numa novidade copiada, de BE e CDU, vai introduzir os "orçamentos participativos".

Este prometedor nato, que se esqueceu de visitar o "seu" Programa Polis/Câmara de Albufeira, vem agora, pelo cair da noite, renovar as promessas à população, trazendo pela mão o menino David, doutor, com uma dúzia de cargos aos 34 anos e profundamente desconhecedor das pessoas e dos seus problemas.

Não está em causa o homem, mas o sacrifício que lhe é pedido e que ele, como nos contos de fadas, julga ser capaz de empreender.

Entregam-lhe a chave de uma casa em escombros, uma herança psicológica de derrota, a indiferença das pessoas e um monte de improdutivos e desacreditados para comandar.

O descontentamento sobre o PSD e o seu líder local, não vai deslocar-se para um PS desacreditado. E não são estes passos de propaganda cara, cartazes e jantares, que apagarão o silêncio cúmplice de oito anos de presença nos Órgãos Autárquicos.

O jovem David, socratista de formação e entusiasmo, é lançado para o terreno, onde o chefe Miguel Freitas não compareceu para cumprir a sua promessa de visitar as alarvidades feitas pelo Programa Polis, lançado pelo PS e pela Câmara, onde os munícipes enterraram 40% do dinheiro público local e ficando com as reparações e reposições às costas.

Sábado 18, acendem-se os holofotes para ouvir os delírios rosas, os compadres e as comadres, com assento na vereação e na Assembleia estão em pulgas para ouvirem o elogio público do seu trabalho, o elevador do Peneco espera não ser esquecido, os Arrifes também mas, as novidades poderão estar na passerelle dos convidados especiais.

Bom jantar e por uma noite, esqueçam a ajuda no consumo colaboracionista de laranjas!



FORUM ALBUFEIRA

À ATENÇÃO DO EXECUTIVO CAMARÁRIO!

Foto do inicio das obras, numa zona pedonal do centro da cidade mais turística de Portugal.



Pedido de publicação por parte da Direcção da ACOSAL, que transcrevemos na íntegra.


Revelando uma enorme falta de bom senso e pouco interesse pela debilidade financeira da imensa maioria dos comerciantes, o Executivo autorizou o inicio de obras, numa zona de grande concentração comercial e esplanadas, em plena zona pedonal da Av. da Liberdade.

Embora saibamos, que o Regulamento de Obras Municipais legitima estas acções, o que está em causa é a inoportunidade e os prejuízos para empresários, moradores e visitantes.

Numa baixa castigada por obras, e se os promotores imobiliários esperaram tanto tempo para começar a obra, o Executivo tinha a obrigação de acautelar a situação.

Com a previsão de mais ou menos um mês de ruídos e pó e tendo-se verificado ontem a usurpação indevida pelos empreiteiros, de espaços públicos não autorizados e tendo estes manifestado até a intenção de criar um corredor de segurança para camiões e máquinas pesadas em frente às lojas, é de todo urgente que o Executivo negoceie uma solução para este caso.

O presidente da ACOSAL tem estado em contacto com o vice-presidente do Executivo, no sentido de se encontrar uma solução. Caso tal não mereça a atenção devida, poderão ponderar-se outras acções.

A Direcção

quarta-feira, 15 de abril de 2009

ALBUFEIRA, CONCELHO VIVO!

O CONCELHO EM 8 PONTOS:


- MAIS VIDA, MENOS CONSTRUÇÃO!

- MAIS NEGÓCIO E MELHOR EMPREGO, MENOS SAZONALIDADE!

- MAIS EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO, MELHOR CIDADANIA!

- MAIS VERDE, MAIS QUALIDADE!

- MAIS SAÚDE, MELHOR PROFISSIONALISMO!

- MAIS HABITAÇÃO, MAIS FELICIDADE!

- MELHOR GESTÃO, MAIS RECURSOS!

- MAIS CONCELHO, MELHOR INVESTIMENTO!



FORUM ALBUFEIRA

UM PARTIDO IMPARÁVEL!

PS – O GRANDE EDUCADOR!

Inusitadamente, a cidade de Faro, foi palco de mais uma investida do Partido dito Socialista na área dos costumes dos cidadãos, em particular os que vão integrar a “Loja do Cidadão”.

Depois de mandar cortar o sal no pão e das preocupações economicistas do Governo, com os gastos de saúde provocados pelos bons garfos de Portugal, a moral dita socialista, volta a atacar entre os empregados do Estado.

Uma tal Agência de Modernização Administrativa, nome muito pomposo para um apêndice do Governo, deu aulas de formação às futuras funcionárias de um serviço de contacto com o público e para a suposta defesa dos interesses deste, estão proibidos os decotes, as mini saias, os saltos altos e a roupa interior de cor negra. Desmentida uma parte destas imposições, não terá ficado nenhum pormenor para trás?

Não temos dúvidas, que o chefe de um tal serviço público de bons costumes, homem ou mulher, deve ser um exemplo puro de cumprimento de tais regras na sua vida pessoal, para desgraça da família, e terá usado Faro como um balão de ensaio para futuras acções no mundo dos serviços públicos.

Esta Agência, uma espécie de ASAE para o funcionalismo, demonstrou ao Governo, que lhe dá cobertura, as enormes vantagens da aplicação destas regras e outras que se seguirão, na rentabilização, eficácia e poupança de meios financeiros do Estado.

Não sabemos se esta nova geração de cidadãos-funcionários, poderão sorrir para os utilizadores, se não serão responsabilizados pela caneta até à prova do seu consumo total e se no futuro não haverá mesmo uma farda, com ou sem mangas de alpaca, mas alinhada com o rigor que o PS quer instituir.

A qualidade dos serviços passa então, na opinião do Partido rosa, pela educação dos excessos comportamentais e estilo de apresentação dos funcionários, como se alguns eventuais incidentes dispersos, legitimassem esta investida na vida e costumes dos indivíduos. Cuidem-se funcionários públicos e em particular os professores, que ainda levam com um bibe de uso interno.

Não estamos perante uma brincadeira, mas sim mais um ataque às liberdades dos cidadãos. Esta é mais uma forma de condicioná-los e moldá-los à obediência. A educação e o rendimento não dependem de fetiches de uma pretensa Agência de Modernização, que tem muitas áreas com que se preocupar no uso perfeito da palavra modernização. Simplifique o Simplex, em algumas das suas áreas e crie mecanismos mais eficazes de controlo da gestão financeira dos Bancos. É um começo de trabalho, entre o muito que há para fazer ao nível da Administração do Estado.

O Pimeiro-Ministro, que veio a Faro dar um empurrão na candidatura de José Apolinário, lançando a obra mais mediática em quatro anos de mandato, nem se preocupou muito em abordar os problemas de uma região deprimida e as soluções para evitar o seu agravamento, que atingirão o pico lá para os lados do fim da época turística.

Com o volume de desemprego mais alto do País, em crescendo, com um tecido de 70% de micro empresas em dificuldades, com o parque imobiliário parado e o incumprimento bancário a subir, com a quebra esperada da actividade turística e da circulação de dinheiro, o mais alto responsável do Governo, deixa apenas como marca da sua passagem,” não subam as saias”.


Luis Alexandre

terça-feira, 14 de abril de 2009

O FILME ELÉCTRICO DAS PROMESSAS ADIADAS!

OS IMPULSOS ELÉCTRICOS DO PRESIDENTE!


Palavras de Desidério Silva ao Jornal “Correio da Manhã” de 8 de Janeiro de 2008:

“A Câmara de Albufeira está neste momento, a negociar com a EDP o enterramento das linhas da Alta Tensão que passam por cima de várias habitações na zona do Centro de Saúde e que vão ter à subestação eléctrica local. A obra deverá avançar no decurso do corrente ano (2008) e representa um investimento de três milhões de euros. Disse ainda, que os elevados custos da obra seriam suportados pela Câmara, mas o valor será depois deduzido, no prazo de cinco anos, nos pagamentos a efectuar à EDP. Pretende-se aproveitar o espaço em causa para criar um parque de estacionamento na periferia da cidade, com cerca de três hectares com capacidade para um milhar e meio de viaturas”.

Como prometemos, o FORUM ALBUFEIRA, levantou novamente esta questão na sessão pública de Câmara do dia 7 de Abril.

A resposta pronta do sr. presidente foi de que já havia reunido com a comissão de moradores dos Caliços, a área afectada pela passagem aérea dos cabos de alta tensão, e que lhes havia informado das intenções de levar por diante a promessa mas, dentro dos parâmetros técnicos exigidos pela EDP.

Mais de um ano depois da eléctrica promessa, feita numa daquelas acções de propaganda a propósito das críticas sobre o incumprimento de outras sobre os parques de estacionamento, ficámos a saber que foi feita no desconhecimento total das exigências técnicas, ficando no ar as dúvidas quanto às razões da afirmação categórica de que as obras se iniciariam ainda no decorrer de 2008.

Foi mais uma descarga eléctrica extemporânea, ficando os cidadãos daquele local a saber que o prazo de execução depende de uma série de factores e obras que se podem estender por quatro anos. Nada foi dito se a referida intervenção se iniciará este ano, mas ficou a promessa de coincidir com o próximo mandato.

Não conhecemos as reacções dos cidadãos dos Caliços, mas a jogada de dar explicações aos interessados deve ter passado, pedindo-lhes o voto de confiança para a execução na hipotética situação de reeleição.

As pessoas ficam com a carga eléctrica e o presidente respira de alívio ao safar-se da embrulhada, ganhando energia para enfrentar as próximas descargas que o esperam.

Temos um presidente eléctrico, que corre atrás das descargas, um filantropo, como alguém disse na sessão. E pouco mais.

FORUM ALBUFEIRA