terça-feira, 7 de Abril de 2009

CIDADANIA SUBSTANTIVA

A cidadania, todos o sabemos, mais do que um direito é um dever.

O exercício da cidadania, é uma fonte de libertação do indivíduo. A extravasão das forças e das ideias é um ponto de equilíbrio, pondo as nossas qualidades dinâmicas ao serviço do bem estar comum. Aprendemos a estar em sociedade e a crescer interior e exteriormente.

A cidadania, desenvolve patamares de literacia e como é exercida em espaços de comunicação, obriga a confrontar-mo-nos com o bem e o mal, com o falar ou estar calado e com o fazer ou não fazer.

A cidadania está presente em tudo o que dizemos ou fazemos. Activa ou passiva, interventiva ou de contemplação, tem a sua marca na sociedade democrática que construímos depois do 25 de Abril de 74.

Existindo dentro dos Partidos, nunca deixou de se promover fora. Mesmo quando oprimida dentro destes, saltou fora e procurou dar contributos, sem cargas ideológicas pesadas. A cidadania é uma das formas regenerativas da sociedade. O aparecimento de novas formas e ângulos de ver os problemas sociais, não pretendem substituir nada nem ninguém. São o dever de dar as nossas opiniões para os desafios e compromissos comuns.

As eleições passadas para as autarquias, deram novas formas de expressão à cidadania e as de 2005, elevaram-na a outra dimensão em Lisboa, mostrando a capacidade e a perseverança dos cidadãos por objectivos justos e atingíveis.

As opiniões, desenquadradas partidariamente, provaram à sociedade que podem coexistir e são igualmente uma voz credenciada e influenciadora para uma gestão dos recursos e objectivos autárquicos.

A cidadania afirmou-se noutro nível superior e o balanço que se pode fazer do papel dos "Cidadãos por Lisboa", é salutar e contagiantemente positivo.

As perspectivas de subida da sua participação, são uma prova dessa afirmação na defesa intransigente dos interesses colectivos dos cidadãos. Lisboa só tem a ganhar!

Estes bons ventos varrem o País e ajudam a fertilizá-lo. Os bons exemplos inspiram.

Não estamos ainda a falar de um tremor de terra de grande intensidade, mas que abalou o partidarismo estabelecido, não tenham dúvidas. A formula seguida de absorção, era e vai continuar a ser a dos independentes. Mas independentes de quê? Só do cartão de cliente!

A "teimosia" dos cidadãos organizados em manter a diversidade, o respeito pelas tendências e a não obediência cega a regras, provou que fazia sentido e tinha espaço para funcionar, no respeito pelas liberdades democráticas, consignadas na Constituição.

Os Partidos ainda têm de aprender a lidar com os cidadãos organizados de formas diferentes, nas disputas pela gestão da administração.

E Lisboa foi só o começo!



FORUM ALBUFEIRA

4 comentários:

Anónimo disse...

ESTE BLOG É UMA M...

SÓ DÁ PENA, E VONTADE DE RIR!!

NO MEIO DESTES POSTES E DE ALGUNS COMENTÁRIOS...

SÓ ME APETECE É GANIR!!!

ALBUFEIRENSE ACORDADO

Anónimo disse...

oh luis vai dar banho à carraça!!!

Anónimo disse...

Alguns doentes mentais vêm aqui descaregar a doença e abusam dos modos, não é bonito ler mas se os admnistradores decidiram que é de passar devem ter as suas razões e mostra como há muitos imbecis á solta.
Sobre a cidaddania está muito em baixo, as pessoas não estão muito para ai viradas, há muito desencanto como a vida vem correndo. Albufeira é terra de gente mais esperta que inteligente , fala fala e não faz nada e chegámos ao que chegámos. As gentes são dificeis de compreender
e ponho-me a pensar que saidas é que temos para o futuro.

brejos

Anónimo disse...

Este Fórum é TERRORISMO verbal puro.
Trauliteiro e parolo, pseudo intelectual. Rasca e banal.
Não ajuda nada nem niguém, sobretudo quem não está de acordo com o poder instalado.
É o DESCRÉDITO de qualquer oposicionista.
É uma m....
Vão-se mas é catar!!

Albufeirense Acordado