domingo, 27 de dezembro de 2009

TOMA LÁ UM ANALGÉSICO


Ao fim de oito anos de desgoverno em matéria de segurança, o presidente Desidério Silva, “arrancou” do Governo, uma dúzia de guardas inexperientes para reforçarem os postos do concelho.

Na verdade, foram colocados trinta novatos como reforço neste período de festas e concentração de gente e vão-se embora dezoito dos que estavam aqui estacionados e tinham algum conhecimento do terreno e dos seus problemas específicos.

Esta é mais uma derrota do PSD e do seu presidente, que tendo empreendido uma política de crescimento desmesurado das áreas ocupadas do concelho, numa proporção que se situará nestes oito anos em mais 35% do território e tendo a população aumentado uns bons milhares de indivíduos, a cobertura policial nunca acompanhou a realidade.

Os cidadãos que aqui escolheram investir e os que cá estavam, foram sendo confrontados com o aumento da criminalidade, que nos últimos dois anos atingiu números fora do normal e factos de grande ousadia, aumentando também o seu volume de queixas que esbarraram sempre na declaração oficial conjunta e proferida em momentos graves: “de que tudo corria na normalidade”.

O que podemos constatar com grande evidência, é que os ilícitos criminais e os seus praticantes aumentaram consideravelmente e a sua actividade pressupõe cada vez mais meios e profissionalismo. Tais factos não passaram despercebidos à imprensa que com regularidade aqui encontram matéria de notícia.

Pela sua dimensão e pelas suas características turísticas, para se fazer um trabalho com alguma eficiência no patrulhamento de proximidade e nocturno, Albufeira deveria ter um número de efectivos policiais nunca inferior ao de Faro e Portimão.

Desidério Silva nunca teve força, mereceu respeito ou revelou capacidade de convencer as autoridades nacionais, porque sempre preferiu acompanhar as suas declarações em conteúdo e intenções. Mas, nem por isso deixou de praticar a sua política de apoio à construção massiva, mesmo sabendo da falta de meios para salvaguardar o património, defraudando a confiança daqueles que acreditaram que o concelho estava servido das estruturas de segurança, bem como de outras.

Outro aspecto a ter em conta, são as deficientes estruturas físicas e meios de locomoção que a cidade dispõe, conhecidas que são, em surdina, as queixas dos efectivos instalados. As condições de acomodação e higiene são importantes na adaptação e estímulo de todos quantos prestam serviço nesta área de risco, contudo, nenhuma autoridade central ou local, se preocupou em lhes dar soluções. Também aqui, o executivo do PSD tem falhado, como se não fosse preocupação de quem dirige o município.

O Governo respondeu tarde e a más horas ao problema da segurança, o qual, entendemos que está longe de estar resolvido, num concelho em que as condições económicas e sociais se têm degradado perigosamente, a um ritmo superior ao do resto da região e do país e sem que se conheçam medidas nacionais e locais, para lhe darem soluções.


FORUM ALBUFEIRA

4 comentários:

Luciano disse...

Isto o que interessa é criticar. Se não vem polícia, é porque não vem. Quando vem, é porque vem...

O Engenheiro disse...

Á muito que me incomoda a falta de segurança em Albufeira. Eu vivo em Chelas, Lisboa e sinceramente não me sinto desprotegido lá. Aqui sinto que existe um clima de tensão grande e desmesurado, talvez devido à fraca prestação das autoridades locais. Agora vir criticar desta maneira, pondo em causa o trabalho de um presidente que já mostrou capacidades é realmente desnecessário. Irra, que isto já parece um arrufo de namorados. As melhoras!

Anónimo disse...

O sr. presidente diz todas as vezes que não há alarme, que tá tudo bem a começar na casa dele não.

Anónimo disse...

pois o culpado de não haver um GNR em cada rua é do presidente . pois deve ser ele que manda na administração interna .