quarta-feira, 3 de junho de 2009

CRÓNICAS DE JOSÉ EDUARDO SIMÕES

AS ESTÁTUAS

Ao ouvir uma certa categoria de políticos fazer as suas promessas, no desenrolar de uma campanha eleitoral, digo sempre a mesma coisa:
-Eu também quero isso tudo!
O problema é que, bem vistas as coisas... eles não querem! E mesmo que quisessem, não poderiam realizar aquilo que prometem...

O problema de as pessoas se deixarem enganar por demagogos, está na sua falta de informação e de cultura. Os políticos jogam habilmente com isso, quanto mais, quanto mais próximos do poder se encontram.
Por exemplo, no campo da Economia e Finanças, quem estudou esses assuntos a um nível de alguma profundidade, tem tendência para rir à gargalhada do que alguns políticos prometem...
Vejamos: a economia é um balança, onde os pratos se equilibram. Portanto, nunca será possível que os dois pratos estejam em cima... nem é esse o objectivo. Este, passa justamente pelo equilíbrio. Se um ou vários elementos de um dos pratos necessita de correcção, sabe-se que isso vai influenciar necessariamente os elementos do outro, fazendo-os baixar... Para o demagogo, porém, "fazer sol na eira e chuva no nabal" é possível... em promessas, bem entendido. Ele vai aumentar a produção e a produtividade, os salários reais e os mínimos, a competitividade; ele vai baixar a inflação, o desemprego, os impostos, a jornada de trabalho, etc, etc - tudo isto de uma penada! O Povo aplaude este "Nobel" da demagogia, e depois... não percebe que o homem não é um malandro porque não cumpriu, mas antes, porque prometeu aquilo que não podia cumprir!

Na Política, idem aspas: direitos de cidadania para cima, para baixo e para todos os lados, blá-blá-blá... Depois, pega-se na Constituição e confrontam-se os direitos lá contemplados, com a situação real. Perante o embaraço provocado por esta confrontação, dizem, então, esses senhores (sem se rir!!!) que, afinal, os direitos fundamentais não são para se cumprir, pois eles não passam de - objectivos ideais, uma "meta" que não se sabe muito bem onde fica, muito menos em quanto tempo se prevê lá chegar!...

Juntando as duas variáveis, ainda é "melhor", quando se considera o caso dos políticos e dos partidos dependentes (ou, pelo menos, não independentes) do Poder económico. Os grandes grupos económicos "investem" neles, com um objectivo igual ao que realizam em qualquer outro investimento: a obtenção de lucro. O seu lucro, não o do país! Depois, obviamente, exigem contrapartidas, retorno... Reformar, num sentido amplo e em benefício de todos, torna-se não só difícil, mas literalmente impossível, para o ascendido "vassalo" político. O "suserano" não deixa, obriga-o à "prestação da vassalagem"!...Aliás, não há muitos anos, o "bill gaitas" desta "paróquia" surpreendeu (os anjinhos...) quando ameaçou deslocalizar as suas empresas (e impostos) para a Holanda, caso o Parlamento português votasse uma lei que ele considerava prejudicial... Mas, pergunta-se, prejudicial ao país? Ora, ora... Às suas empresas!...

A capacidade de mistificação deste político, não tem limite, nem moral. O que realmente lhe interessa é fazer um uso eficaz dos meios de que dispõe, para tornar credíveis todas as baboseiras que profere. Até que todas as "barbaridades" se convertam em "música", na "música de fundo" dos incautos...

Metade da população já intuiu ou percebeu o esquema, e responde pelo distanciamento face a ele, seja no desinteresse em conhecer e discutir os assuntos, seja na abstenção para a escolha destes "representantes" (que, de facto, os não representam). Fazem mal: pelo distanciamento não se altera nada. É pela acção política de resposta, pela capacidade de intervir, de invocar direitos, pela vontade e mobilização de todos, que se demovem os políticos de prosseguir neste caminho. E, nesses dias melhores, quem não se quiser mover, seja político, ou seja cidadão, o mais certo é virar estátua...

José Eduardo Simões

10 comentários:

Anónimo disse...

Numa escala de 0 a 20,
dou 20 valores a este comentário.
Porem, custaria de saber, de entre os partidos que andam na praça, qual deles, sim qual deles, foge a esta regra, porque o comentário reporta a uma regra sem
qualquer excepção.
O Peneco

rosaria m. disse...

Sr. Simões
sigo com atenção o que escreve, mas tenho dúvidas no processo em curso do regime, que até muitos dos seus construtores, se vêm obrigados a fazerem avisos que a coisa pode rebentar a qualquer momento.
Acha possível? ou são apelos à moderação de quem governa para não deitarem tudo a perder?
Dou comigo a pensar muito neste assunto e não me admirava nada que domingo, com bom tempo, a malta prefira a praia.
Se quer que lhe diga a verdade, quando penso na Europa, penso em tudo o já nos tiraram, porque dinheiro eu não o vi e não tenho segunda habitação, nem carro novo e o dinheiro ainda vai dando para as contas porque sou poupada.
Desculpe o desabafo, mas é a minha verdade.

antonio maria disse...

Lá vem a teoria da esquerda inteligente e da outra não inteligente e do povo burro.
Para mim o povo não é burro é enganado e vai no palavreado de doutores que têm a escola toda.
Todos acusam o povo de não votar e porquê ? abstenção é jeito de dizer não, de deixar esta a gente a falar sózinha.
O parlamento é assim uma espécie de casa grande e rica, cada filho tem o seu quarto, criados e boas mesadas para os chocolates. O povo burro fica para as sobras e se não lhes dá o voto paga o mesmo se der. Para que querem eles o nosso voto, saltam de partido para partido e o que há de novo ? Novos impostos, mais aumentos dos produtos, os ordenados não podem aumentar para os felizardos que têm emprego que os outros ficam no grande saco da fome.
Uma grande porra para as estátuas e como diz o comentário da D. Rosária a praia é tentadora.

Anónimo disse...

Façam uma estátua aquela Sra. de Gondomar que se voltou para a Ilda Figueiredo e disse vocês querem é TACHO . foi a unica verdade que ouvi na campanha eleitoral

Anónimo disse...

concordo com o sr simões
concordo com o peneco
concordo com a sra rosaria
concordo com o sr antonio maria
zorro

Roberto Raposo disse...

Quem não vota, não pode criticar, pois se deixou os outros decidirem por ele, só tem que aceitar o que os outros que foram votar, escolheram.

Pois eu amanhã, lá estarei para cumprir o meu direito e dever como cidadão.

Não votar, não é protesto, não votar é ser mau cidadão. Se acham que não há alternativas, que são todos iguais, porque é que não apresentam uma alternativa, se como falam aqui, acham que o povo pensa todo o mesmo, não era difícil criar uma lista e ganhar as eleições.

O grande problema é que há meia dúzia que fala e pensa falar pelo povo, mas o povo não pensa como esta meia dúzia de pessoas que vem aqui escrever artigos a falar mal de tudo e mais alguma coisa.

Sejam bons cidadãos e amanhã façam como eu e vão votar.

Abraço

Roberto

Anónimo disse...

eu gostava de saber é se é verdade que o voto em branco se tiver maioria as eleições ficavam sem efeito e tinham que escolher outras pessoas para as listas,
o que diz a legislação????
ainda não consegui tirar esta duvida...
o que acontece se os votos em branco tiverem maioria???????
ZORRO

Anónimo disse...

e já agora se não picasse o Roberto Raposo isto não tinha piada,
Amigo Raposo a partir de hoje só pode falar do Partido em que vota e tá proibido de falar dos outros.
não vale a pena dizer que tou tirar palavras ou por palavras no/ou fora de contexto...
se não vota no psd ou pcp ou verdes ou... tá proibido de falar sobre eles.
ZORRO
ainda bem que a gente não se encontra no café...a beber umas imperiais e a discutir estas coisas apanhava-mos uma tolada...

jesimões disse...

Sr Raposo:

O que se pode ler no post é um apelo à participação: "pelo distanciamento não se altera nada. É pela acção política de resposta, pela capacidade de intervir, de invocar direitos, pela vontade e mobilização de todos, que se demovem os políticos de prosseguir neste caminho".
Ter-se "picado", desculpe que lhe diga, é "enfiar a carapuça", relativamente à política do seu Partido.Essa má-consciência é sua, não vem no post. Viva com ela, se quiser, vote em quem lhe apetecer, que esse problema é exclusivamente seu.

Anónimo disse...

Pois eu não vou votar, já estou farto de chulos a sugarem fabulosos ordenados, Rangéis Moreiras Figueiredos Portas e outros asnos eu estou farto de os aturar, cambada de imcompetentes nem o País deles sabem defender