quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O POVO NUNCA ESTEVE PRIMEIRO!


Entre as várias metas dos próximos 4 anos, uma delas, de entre todas, assume uma inegável preponderância, a criação das bases de sustentação da próxima candidatura do PSD.

O desenvolvimento da situação política do país vai acabar por ter interferência na definição da estratégia para esse fim, consoante se multipliquem os factores de crise que determinem o enfraquecimento e eventual queda do futuro Governo.

Seguindo a observação do principio de Peter, em que "todos somos promovidos até ao patamar da incompetência", Desidério Silva mantém intactas todas as suas aspirações de vir a ocupar um lugar "merecido" no parlamento. Conhecendo o seu estilo insinuador, não duvidamos que já terá feito ver aos seus colegas da direcção distrital, da qual é vice-presidente, "o como este passo é vital para o país que o chama".

Os dois próximos anos, se lançarem o país em eleições, cenário que eteve nos pressupostos do programa do PSD para 27 de Setembro, o PSD local pode matar dois coelhos de uma assentada. Sai o líder populista para o Olimpo e entra sem dor, o delfim que vai preparar o seu próprio terreno eleitoral que fica muito facilitado. Tudo numa simplicidade de processos mas na total falta de respeito para com o eleitorado, que conferiu a Desidério Silva um mandato para ser levado até ao fim.

Este é um velho truque, tristemente aplicado na sociedade portuguesa e que tem merecido o repúdio das populações.

Portanto, vamos ter um PSD e um Desidério Silva a desejarem uma situação política de "quanto pior, melhor", aliás já desenhada na estratégia nacional do partido , ao afirmar "de que não haverá coligação nem acordos parlamentares com o futuro Governo".

O Governo terá de procurar outros parceiros ou enfrentar sozinho o aprofundamento da crise, porque o principal partido da oposição não está disponível para as soluções, preferindo ver o país definhar ao longo de dois anos para satisfação da sua estratégia de poder.

Esta é uma velha teoria, absolutamente condenável, mas recorrente na prática política.


FORUM ALBUFEIRA

6 comentários:

Anónimo disse...

xi
isto tá em queda livre com a moderação dos comentários.

É só censura.

CIDADÃO disse...

Pelo cumprimento da lei do ruido.
Pelo cumprimento da proibição da venda de bebidas alcoolicas a meores.
Já vamos a meio de Outubro e o flagelo dos bares com musica altissima continua.

Anónimo disse...

o engraxador do albufeirasempre quando ler isto sobre o amigo desidério vai voltar a dizer cobras e lagartos deste blogue ihihihihihihi

brejos

O Engenheiro disse...

Esclareçam-me lá uma coisa. Quando, e já não é a primeira vez, se referem ao "delfim", referem-se propriamente a quem? Será ao Carlos Quintino? Não sei porque tenho a ideia de que não é flôr que se cheire...

Anónimo disse...

É só dor de barriga caro engenheiro! Devem ser arrufos de profissão!

O Engenheiro disse...

Deve ser pra rir. Eu sinceramente não tenho interesse nenhum politico na minha opinião, aliás, até hoje NUNCA ninguém me viu discutir politica aqui. Apenas falo na qualidade de cidadão e de entender o que é melhor ou pior pra mim. Mas começo a ver que aqui anda tudo à espera da carcaça pra bicar, qual abutre. O facto de eu não ir com a cara de alguém é muito vago, mas sinceramente não vou com a cara do rapaz, que hei-de dizer.. E responderem à minha pergunta?

PS: Jamais quererei saber de politica na minha vida, pra vossa informação :)