sábado, 17 de outubro de 2009

INSEGURANÇA EM ALBUFEIRA? NUNCA!


Apesar do recrudescimento dos assaltos "vulgares" verificados nos invernos de 2007 e 2008, as autoridades locais de Albufeira, continuaram a apelidar de alarmistas e desestabilizadores todas as vozes críticas que chamavam a atenção para a gravidade da situação.

Chegámos a ter dezenas de assaltos, a imprensa fazia eco do descontentamento da população e dos comerciantes e o executivo camarário e a GNR, negavam a gravidade dos factos e declaravam que tudo estava dentro "dos números normais para a época", como se nesta matéria um único assalto seja uma normalidade.

Como aqui já foi denunciado, a ACOSAL, consciente das suas responsabilidades levantou a voz e fê-la chegar ao Governo Civil que, adoptou o mesmo discurso de desvalorização da situação.

No entretanto, os assaltos partiram para um mais elevado grau de gravidade e espectacularidade, com assaltos à mão armada a Hotéis e outros com vítimas mortais e o presidente da Câmara de Albufeira e outros altos responsáveis continuam a declarar a normalidade.

A comissão de segurança concelhia, presidida pelo presidente do Município e em cuja composição figuram todos os membros do executivo e o presidente da assembleia, tal como o presidente de uma associação empresarial, nada fizeram, nem analisar a situação.

Foi preciso o Governo inglês pôr os pés à parede, indo mais longe do que as simples preocupações, passando a declarar o Algarve como uma zona de riscos acrescidos, para que todo o mundo acordasse para o que se estava a passar.

Finalmente, o presidente da AHETA resolveu abrir a boca e exigir que se tomassem medidas para se evitarem consequências mais desastrosas. O próprio novel presidente da nova autoridade regional do Turismo, saltou a terreno a aligeirar as afirmações de Elidérico Viegas. O verniz estalou entre os deputados Miguel Freitas (PS) e Bacelar Gouveia (PSD), também eleito pelo Algarve e presidente do Observatório Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo. As altas patentes das forças de segurança também se juntaram para negar tudo. É um verdadeiro desfile de declarações de alarmismo "que em nada beneficiam a região". E os factos quem os apaga? Haverá fumo sem fogo? De repente, pessoas com responsabilidades entraram em parafuso?

Os problemas estão no terreno, a imprensa volta à carga sobre o assunto e já se falam de redes internacionais que operam na região e não há razões para se parar para analisar o problema com outra responsabilidade?

Claro que o presidente do Município de Albufeira, no seu já conhecido papel de peneira, não conta para as soluções. Mas as forças sociais do concelho e da região não podem deixar de manifestarem as suas preocupações e exigirem novos modelos de segurança para o concelho e para o Algarve em geral.

O Turismo vive de imagens e a segurança figura na primeira linha delas. Temos todos de estar muito atentos ao que o próximo Governo vai fazer em prol dos interesses desta região turística.


FORUM ALBUFEIRA

4 comentários:

O Engenheiro disse...

A segurança em Albufeira está pelas horas da morte, isso é verdade. E não é só, já ouvi relatos de que a situação em Faro e Olhão, que diga-se de passagem nunca foi a melhor, também se encontra crítica. O fenómeno dos "gangs urbanos" está a alastrar-se e há que meter a mão nisto o mais rápido possível. Quanto a crimes organizados, diria mais que se trata de um problema nacional, e isso está longe de ser competência directa dos governos regionais.

Firmino Santos disse...

Ontem o CM dizia que o chefe do KDP tinha sido esfaqueado. Será que o rapaz se magoou no recreio da escola ou escorregou para cima da faca de cozinha lá de casa?
Para se ser uma verdadeira capital do turismo já não basta vender-se droga aos kilos é preciso ter um gang juvenil, muito barulho á noite nos bares, uns jogos de pazada com bebedeiras á mistura. Tamos lindos.
VIVA ALBUFEIRA1 VIVA O HOMEM DE CONFIANÇA! (DE QUEM?)

Anónimo disse...

Andam com um dia de atraso. Fazem posts ao domingo e aparece sábado.
Como é que podem atinar com o que escrevem se nem com a data atinam...???

Anónimo disse...

Deixem-se de coisas, 68.68% da população está satisfeita com os roubos. Roubos em todos os sentidos: roubos de ladrões e de outro tipo de aldrões que têm ADSE