sexta-feira, 11 de julho de 2008

RUÍDOS E SILÊNCIOS


A questão do ruído voltou à ordem do dia.
O que se fizer agora por este assunto, assumirá uma importância extraordinária no próximo Verão eleitoral quente.
O balanço que se pode fazer da implementação do Regulamento do Ruído é negativo. As autoridades no seu conjunto, demitiram-se de o controlar, desenvolvem um papel de faz de conta, porque alguns senhores com interesses específicos na exploração da noite, sempre se recusaram a aplicar as normas do referido Regulamento e têm feito prevalecer a ideia dos "danos" para o Turismo.
Pois é em defesa do Turismo, dos diferentes aspectos da sua qualidade real, que no futuro assumirão uma importância determinante nas escolhas das pessoas, que devemos tomar medidas efectivas de ordenamento. Os anos da bagunça têm os dias contados. Com o alargamento incessante da oferta, a diferença vai fazer-se nos "pormenores".
Possivelmente, a cidade turística perfeita não existe, mas que se deve perseguir este ideal, não tenho a menor dúvida. Muitos locais já provaram o insucesso das políticas erradas.
Convencer os promotores imobiliários ou os operadores turísticos a todos os níveis, que o lucro fácil já foi, que o nível de exigência dos clientes subiu, que a crise económica instalada vai diminuir o número de viajantes e que é preciso mudar de rumo, não é uma tarefa fácil. No futuro, dos aspectos funcionais de uma cidade ao simples atendimento de balcão, tudo vai fazer a diferença nas opções.
Estará Albufeira preparada para estes desafios? Não está de todo!
Em Albufeira, como em muitos outros locais, desde as autoridades aos empresários, "projectou-se", viveu-se e vive-se descontraída e desatentamente para o imediato.
Infelizmente, os problemas têm-se avolumado. De vila turística próspera pelos seus encantos e pelo facto do seu crescimento acelerado não ter sido acompanhado das necessárias medidas de ordenamento, começamos a enfrentar dificuldades. Vamos ter de repensar muitas coisas e mudar alguns hábitos.
O problema do ruído é tão importante como, por exemplo, a necessidade dos parques de estacionamento ou um bom serviço de sanitários públicos. Mas estes problemas têm sido desvalorizados e até hoje não tiveram soluções.
A questão do ruído, requer determinação para enfrentar interesses particulares muito fortes. Apenas meia dúzia de empresários não cumprem a Lei e infernizam a vida de muita gente a pretexto do tal interesse turístico mas, na realidade, só pretendem é ganhar vantagem sobre os concorrentes. Se pensarmos melhor, com o exercício da autoridade, pondo todos a funcionar dentro das normas, ganham os que procuram tranquilidade nas suas casas, Hotéis e lojas, bem como as pessoas ficam mais disponíveis para circularem e fazerem funcionar todos os negócios. Não é a "competição" no ruído que faz dinheiro, mas sim a qualidade da oferta.
Se os decibéis musicais não baixam, com certeza que vão aumentar os decibéis da contestação!
A Câmara Municipal, tal como o Governo Civil, têm de levar este assunto a sério e usar dos seus poderes para fazerem cumprir a Lei. Em 2009, este assunto ajudará a escrutinar quem queremos no poder.

Luis Alexandre
presidente da ACOSAL

(texto corrigido que já não foi a tempo de ser publicado no jornal "A Avezinha" de 10 de Julho)

4 comentários:

A.M.G. disse...

Em Albufeira os bares fazem o que querem. Vocês só agora põem o assunto mas os nossos protestos são de muitos anos. A Câmara sempre assobiou para o lado. Porquê? De que têm medo? Quem manda na cidade?
Eu sou uma vítima do ruído. Há muitos anos que batalho e nada. Estou convosco. Penso que o vosso movimento vai ajudar a mudar a situação. O Sr. Luis Alexandre tem razão quando diz que a qualidade de uma cidade turística, também passa pela solução do problema do ruído

Ana Santos Matos disse...

Albufeira não muda porque a Câmara não quer ou está demasiado comprometida. Um pouco por todo o lado não se cumpre o Regulamento do Ruído e alguns bares, com é o caso do Liberty, apesar de visitado pela GNR,todos os dias volta ao mesmo.
Concordo com todos aqueles que querem soluções.

Albufeira a mudar disse...

Passados seis dias sobre o lançamento do Inquérito sobre o ruído, que já revela uma tendência clara, tudo continua na mesma.
Segundo nos disseram, o Sr. Presidente da Câmara visitou pessoalmente a casa de um queixoso e o bar de um dos prevaricadores, mas não se vêm resultados. Estas acções individuais, não podem substituir a autoridade e responsabilidade da Câmara!
A população e alguns proprietários de apartamentos que chegaram para um período de férias, já manifestaram o seu descontentamento. E possivelmente irão mais longe.

Liberty Bar disse...

LIBERTY BAR - Infámia Não!!!

Com todo o respeito que este fórum venha merecer, é indigno e torna-se uma infâmia o que alguns autores de comentários possam declamar a respeito de assuntos que desconhecem, tais como a Sra. Ana Santos Matos, sobre o Regulamento do Ruído.

Assim sendo, e após um ano de actividade, no cumprimento de todos os requisitos legais, o Liberty Bar tornou-se mais uma referência na promoção de Albufeira. Seja pelo cumprimento de todos os requisitos legais a que está sujeita, ou mesmo, pela diversão e bem-estar que oferece todos os dias a quem a visita.

A Gerência.