terça-feira, 8 de setembro de 2009

O PROGRAMA


Um Programa, é uma base de trabalho e uma prova documental do que pretendem as forças políticas, para determinados objectivos.

O Programa, apesar de ser um compromisso, não é, contudo, o principal eixo de afirmação da força política que o apresenta, mas permite o conhecimento e a interpretação da direcção que esta quer imprimir.

Pela sua extensão, os programas, com substanciais diferenças entre os dirigidos ao País e os que se destinam às autarquias, tornam-se de difícil leitura e funcionam mais como documentos de consulta e fiscalização.

O cidadão comum, fala do programa mas normalmente só retém alguns dos pontos chaves, aqueles que lhes falam directamente às suas necessidades.

Os políticos também sabem disto e daí a sua preocupação em trabalharem as suas propostas de forma direccionada, com o intuito de "falarem" com os diferentes sectores de sensibilidades entre o eleitorado.

As novas técnicas de informação, que criaram o chamado marketing político-eleitoral, extraem do programa os chavões que no seu entender chegam mais rápido e de forma mais eficaz aos sentimentos primários do eleitorado e, desta forma habilidosa, espalham-nos sem explicações.

Esta forma de comunicar, a par do audio-visual, tira os políticos e as suas promessas do meio da confusão e dos impactos negativos que poderiam advir do contacto com situações de confronto popular, onde as perguntas e respostas poderiam trazer constrangimentos, dado que a história se vai escrevendo e não corre muito bem para o lado de quem muito promete e pouco cumpre.

O Programa não tem, portanto, a importância que alguns dos nossos leitores supõem. Até porque do programa à prática vai o historial de um mundo de incumprimentos e frustrações.

Atentem na vossa experiência de eleitores, quantos programas é que já foram rasgados (incumpridos) e que dão expressão ao vosso descontentamento e desconfiança?

Trinta e cinco anos depois do 25 de Abril, quantos programas já foram produzidos e lidos no País que herdámos do regime fascista e que, vivendo numa democracia pluralista, polvilhada de Partidos, continuam sem dar respostas aos anseios da população?

Os programas não são o aspecto fundamental da actividade politica e eleitoral, devem continuar a serem escritos mas, o que realmente interessa é a fiscalização e a consciência política da população sobre a forma como são usados como isco para a caça ao voto.

Sócrates e o seu Partido, elaboraram um programa que fazia determinadas promessas que foram rasgadas logo após o acto eleitoral. Desidério Silva/Carlos Silva e Sousa e o PSD, elaboraram dois programas que estão muito longe da realidade negativa que construíram.

Programas há muitos, promessas são demais e as desculpas para o incumprimento acabam por nos afogar em desmobilização e desinteresse que os Partidos bem sabem aproveitar.


FORUM ALBUFEIRA

31 comentários:

Anónimo disse...

O Autor deste texto deve ser alguém que também será um oportunista político da ignorância do eleitorado mais distraído!
Digo isto porque o PROGRAMA é a essencia da candidatura de qualquer pretendente ao governo ao às câmara municipais.
No caso das câmaras municipais dada o provincianismo das eleições e dado o baixo nível da exigência dos eleitores nas províncias, tem votado nas caras e não no PROGRAMA, e mesmo os políticos locais assim o fazem crer que assim o deva ser e continue a ser, porque legitima a sua candidatura, e mesmo porque muitos partidos não terão estrutura técnica para realizar um PROGRAMA ELEITORAL que responda às grandes áreas de actuação de um câmara municipal de um forma estratégica, com objectivos predefinidos, com metas definidas e com uma visão futurista daquilo que se pretende para o Concelho.
Há falta de visão estratégica para o concelho ou mesmo na incompetência técnica e politica que os partidos locais têm de realizar um PROGRAMA ELEITORAL com pés e cabeça É QUE SE PODERÁ DIZER QUE O PROGRAMA ELEITORAL NÃO É O MAIS IMPORTANTE…
Acredito que se houvesse uma lei que obrigasse a que os programas eleitorais fossem acompanhados da respectiva orçamentação, que a assembleia municipal fosse sempre determinada pelo partido que perde as eleições, já que é o órgão fiscalizador (como se pode ter o mesmo partido a governar e o mesmo a fiscalizar) e que os executivos municipais tivessem um sistema de avaliação que apresentasse o grau de cumprimento do PROGRAMA ELEITORAL e se o executivo não obtivesse um determinado grau de concretização desse programa, esse executivo não pudesse voltar a candidatar-se.
Assim, sim!
Agora dizer que o PROGRAMA eleitoral não é nada... não é o mais importante. Então vamos votar apenas na cara sem saber que propostas têm! Votamos na cara e nos chavões?
Enfim.
Parece-me um bom mote para um bom ensaio político, para quem o desejar fazer! Desafiava o BE a faze-lo, já que é o partido revolucionário da moda.

Anónimo disse...

Concordo e por isso, já escrevi noutros posts e volto a deixar a mensagem:

- por melhores programas eleitoras;
- por um programa eletoral estratégico;
- por um programa eleitoral com visão futura;
- por um programa eleitoral com objectivos concretos, não com palha e conversa da treta;
- por um programa eleitoral que caiba no orçamento do Muncicipio, não será só prometer, mas têm de ter condições para o implementar (tem de ter um orçamento).

Quem reunir estas condições no seu Programa Eleitoral vencerá as eleições.

Não ao Voto nas Caras: quem vê caras não vê corações!

Anónimo disse...

Utupias é o que é...
Quantos Portugueses votam em programas, sobretudo nas autárquicas?
Quem se lembra ou quer lembrar e ler os programas anteriores a ver se estão cumpridos? meia dúzia de gatos pingados sem nada mais para fazer...

jesimões disse...

Os executivos camarários não necessitam de ter sistema algum de avaliação do cumprimento do programa eleitoral do partido vencedor. A avaliação é feita pelo eleitorado nas eleições seguintes. Há que acreditar nas virtualidades deste método; ele é essencial para o crédito do próprio sistema.
Por que razão um eleitorado continua a dar maioria a um corrupto? Ou a um incumpridor? Ou a um incompetente? Por manifesta debilidade do sistema, ou de uma das suas componentes relevantes. Por isso, pretender "regular" a actuação de um executivo por avaliação (de quem?) parece-me uma intolerável sobreposição autoritária à expressão da soberania popular (que não devemos invocar apenas quando nos interessa) e uma expressa resignação à impossibilidade de correcção do sistema pelos seus agentes, no seu interior.
Estas anotações pressupõem, evidentemente, um regime de liberdades irrestrito. E nessas circunstâncias, qualquer factor correctivo que não derive da mecânica sistemática parece-me geradora de "reserva mental" sobre as suas virtualidades funcionais. Absolutamente desaconselhável, num país ainda tão pouco "interiorizado" na prática da Democracia.

Anónimo disse...

##..###
PROGRAMAS ELEITORAIS.
Vimos por este meio fazer um apelo ao FORUM ALBUFEIRA para que encerrem por uns dias este forum, para assim podermos concluir os nossos programas eleitorais para o concelho de Albufeira.
Enquanto não estiver encerrado não há possibilidades de concluirmos o nosso trabalho uma vez que todos os dias vimos aqui, e há sempre mais alguma coisa a acrescentar aos nossos programas.
Assim não vale.
Atentamente:
Direcção da campanha do PSD
Direcção da Campanha do PS
Direcção da Campanha do BE
Direcção da Campanha do CDU
Direcção da Campanha do CDS (ainda existe??)

Anónimo disse...

Comentário 14:57:
é pá já chega dessa infantilidade!
Não tens nada para dizer vai para a praia apanhar sol na moleirinha a ver se te passa.

Anónimo disse...

os programas eleitorais são como o correio da manhã...o conteudo é sempre o mesmo, basta mudar a data e tá pronto a sair.
ZORRO

Anónimo disse...

então se os programas eleitorais não servem para nada, porque vão votar? só se for por interesse, não é?
Os apologistas e os que acham que os programas eleitorais não servem para nada ou não são importantes, são aqueles que não têm nada para oferecer à comunidade?
Se algum dos Senhores tiver alguma coisa para oferecer à comunidade de Albufeira, então colabore na execução do programa do seu partido, porque isso será o maior contributo que alguma vez poderá fazer por Albufeira!
Quem acredita que ter uma bom programa para Albufeira, uma boa estratégia de desenvolvimento, uma boa visão para o crescimento do concelho não é valido, só pode ser ignorante!
Quem quer fazer acreditar que um bom programa não é relevante é porque está vazio de ideias, de conhecimento, de saber, de conhecimento de gestão e logo, não faz falta em Albufeira, porque tecnicamente falando não saberá nem terá ideias para gerir o Município de Albufeira!

Anónimo disse...

Por o povo acreditar no que disse o Sr do post das 1:51 é que Silves esteve 30 anos esquecido...
O antigo Presidente de Silves porque era popular foi ganhando as eleições, mas tinha um problema:

NÂO TINHA IDEIA PARA DESENVOLVER A TERRA.

Por isso também acho que nos dias de hoje, votar nas pessoas, porque achamos que são simpáticas ou conhecidas, já não chega!

Mais vale votar num bom programa, do que numa pessoa só porque é conhecida e que ao fim dos 4 anos nada fez pela terra.

Anónimo disse...

Comentário 20:25:
votas no programa??? é pá és um herói!!! Se fores do CDS e o BE apresentar o programa que mais te agrada votas BE??? Fabuloso pá!
Deixa-te de conversa da treta pá...

Anónimo disse...

No comentário acima, onde se lê 20:25, deve ler-se 20:19

Anónimo disse...

Políticos da Velha Guarda!

Abram os olhos!

A população que vocês querem que vote em vocês não é a mesma população da vossa altura.

Hoje a população votante, vai à internet, tem um maior espírito crítico, não acredita nas notícias que vê e que ouve na televisão ou na rádio, tenta perceber verdadeiramente o que está por traz daquela notícia!

Políticos da Velha Guarda!

Actualizem-se! Estão em 2009 e não a seguir ao 25 de Abril, que podia dizer tudo o que quisessem que todos diziam amém!

Atenção a isso! Porque quem tem votado em vocês pode já não estar entre nós ...

Agora há uma nova geração que certamente irá influenciar os seus pais que agora estão com 60 a 70 anos.

Eu certamente irei explicar aos meus pais, que sempre votaram no cartaz mais bonito, porque razão o não devem fazer e qual é o candidato que tem o melhor programa.

Também sei ver o que é uma promessa realista e uma promessa para encher programa.

Também sei guardar os programas para ver se estão a cumprir o mesmo ou não.
E você? Tem os programas de há quatro anos? Ou apenas os guardou para fazer o próximo programa, com base naquele que alguém já tinha feito?

Políticos da Velha Guarda! Actualizem-se!

Não sou socialista, mas acho que a GALP, A EDP E A TELECOM devem ser nacionalizadas, por isso há muita coisa que mudou...

Actualizem-se! E tentem melhor compreender sociedade!

O Engenheiro disse...

Mas estas pessoas deste blogue não têm vergonha na sua cruzada contra o Desidério?

De uma vez por todas:


PROCURAM-SE SOLUÇÕES E NÂO OPINIÕES.

É por isto que a politica me desilude.

Anónimo disse...

Nacionalizar a GALP, a EDP e a PT?????? cruzes, credo, Maria, José, o Loucã arrota e voce assina por baixo...
Onde esta o $ para nacionalizar??? aumentando os impostos dos Portugueses para poder comprar as 3 empresas??? pense, meu caro, pense.

Anónimo disse...

Sabe amigo... pago as chamadas telefónicas mais caras da Europa... pago a gasolina mais cara da Europa... paga a electricidade mais cara da Europa... e não é por sermos um pais mais pequeno, é porque os Srs Administradores dessas empresas querem ganhar muito e dar muitos lucros aos accionistas.
Não sou BE e sempre votei à direita. Mas tenho olhos na cara e concordo que se deva privatizar estas três áreas, porque são estratégicas para o pais e não deverá estar na mão de privados.
E os bancos, acho que não deverão ser nacionalizados, mas ter uma apertada vigilância e passarmos a pagar as mesmas taxas e comissões que se paga no resto da Europa, não é esta vergonha! Portugal é o pais da Europa em que os bancos têm as tx mais elevadas e têm mais lucros.
Tenho Olhos e não gosto de ser roubado porque não roubo. O Sr. como gosta de ser roubado, aceita o sistema!
O País pode não ter dinheiro para pagar as Nacionalizações e acha que eu me iria importa se não pagassem as nacionalizações. O dinheiro que já nos roubaram com os jogos de monopólio dá para pagar ter nacionalizações, por isso podem bem passar sem receber o dinheiro.
Pense nisso meu caro!

Anónimo disse...

Em Portugal:
- NÃO se pagam as chamadas mais caras da Europa;
- NÃO se paga a gasolina mais cara da Europa;
- NÃO se paga a electricidade mais cara da Europa.
Onde recolheu estes dados? Na edição portuguesa do Tio Patinhas?
Diz que as empresas querem ganhar muito e dar muitos lucros - você trabalha? A sua empresa não tem estes objectivos? Se não os tem e você ainda tem emprego e pão para comer deve ser um milagre.
Vota à direita e quer nacionalizações??? ainda por cima sem que se pague aos accionistas???
Sabe quantos Portugueses investiram pequenas poupanças em acções das empresas que quer ver nacionalizadas??? E muitos com recurso a crédito???
Você está a leste do que é uma nacionalização, não sabe o que é uma nacionalização. Vota à direita mas é Gonçalvista.

jesimões disse...

Comentador das 20:25

O meu comentário deve ser avaliado no contexto: visava rebater a hipótese de tutelar e avaliar o desempenho dos executivos de forma exterior ao conjunto dos agentes que têm legitimidade para o fazer, que é o eleitorado.
O populista e o demagogo vencem eleições sucessivamente? Qual a solução? Retirar-lhe a legitimidade, obtida no sufrágio, alegando falta de capacidade? Não, essa é a pior das soluções e a mais genuinamente antidemocrática.
Foi isso que ficou expresso no meu comentário em cima, e é sobre isso que aceito sugestões, num quadro democrático e, portanto, excluindo tutelas exteriores a ele.

Anónimo disse...

Comentário 23:03:
você está no sitio errado e escreve muito mal. Tem tanta ansia de escrever "caro" que não consegue explicar a sua ideia/opinião.
Não se esforce tanto a escrever porque nem resulta nem as pessoas o entendem.

Anónimo disse...

Amigo! O modelo político das autarquias pós 25 de Abril está moribundo!
Este modelo não cria desenvolvimento, não cria competitividade nas regiões, não serve as populações!
A gestão de uma Autarquia deveria estar balizada por regras de compromissos.
Não cumpriu! Explique porquê! Não têm explicação, então não tem competência para o lugar!
Que se invente um novo modelo político para as Autarquias, porque este está para morrer por falta de rigor dos executivos e das assembleias municipais. Estou falando em geral e não em particular!

Anónimo disse...

2 comentários acima, onde se lê Comentário 23:03, deve ler-se 23:04.

Anónimo disse...

Sr. das 23:03 9 de Setembro de 2009. Eu não quero nacionalizações generalizadas. Quero esses três sectores estratégicos nacionalizados: energia e Telecomunicações, porque são estratégicos e não devem estar à mercê da maximização do lucro. São sectores estratégicos, são sectores de monopólio e pertencem a empresas privadas... Muito bem!
Sr., nós estamos em Portugal, na Europa, onde há tradição em sociedades mistas entre o liberalismo e o socialismo: o estado de previdência e não estamos nos EUA, onde reina o Super liberalismo.
Sim Senhor. Temos a energia mais cara da Europa. A guerra dos camionistas acnteceu por um acaso?
Diga-me porque que a EDP comprou uma empresa de energia eólica nos EUA por 500 milhões de dólares e não investiu esses 500 milhões de dólares em Portugal em energias renováveis?
Diga-me porque é que a politica energética é no hidroelectrico? Sabe porque? POrque tendo o hidroeléctrico podem ter contratos de exploração por muitos anos e não dar espaço a que empresas de energias renováveis façam concorrência.
Pode-me dizer. A EDP tem investido na eólica. Investigo é uma miragem para inglês ver. Se se investisse no eólico tínhamos a energia barata. Vá à Espanha e veja o que são parques eólicos. Vá logo ali à Andaluzia, junto a Gibraltar e veja o que são eólicas.
Sabe porque é que não temos empresas a produzir energia pela queima dos desperdícios das florestas? Porque no dia seguinte que essa proposta entrou no Ministério da Economia o regulador com o Governos inviabilizou economicamente esse projecto pelas taxas que aplicam a essa actividade económica. Talvez se esta empresa existisse houvesse menos incêndios em Portugal e nos pagássemos a electricidade mais barata!

jesimões disse...

Comentador 23:13 e 23:54

Volte para escola. Ou, visto que não sabe ler, veja só os bonecos.

jesimões disse...

Amigo de Silves:

Eu não conheço a realidade da sua terra. Mas, diz-me que um populista incompetente (são todos... se fossem bons, não precisavam de ser populistas) ganhou sucessivas maiorias, atrasando o desenvolvimento local. Acrescenta: "Não tinha uma ideia para desenvolver a terra". E eu posso perguntar: e a Oposição, tinha uma ideia para o tirar de lá?Pelos vistos também não...
Reformar o modelo autárquico, adequando-o melhor às realidades locais, como diz, é uma coisa. Agora, preverter o sistema, não!

A qualidade dos executivos e assembleias passa pela disponibilidade que os cidadãos mais capazes têm para exercer os cargos. E o que se vê, no Algarve e um pouco por todo o lado, é que eles se abstêm sistematicamente de o fazer, na hora de assumir as responsabilidades... E esta falta de sentido de cidadania abre as portas aos incompetentes, ao demagogos, aos corruptos, etc. Sem se resolver a questão deste demissionismo (ou indiferença) das pessoas válidas face ao exercício do poder, não há reforma autárquica que nos valha...

Anónimo disse...

jesimões: Já tás melhorzinho na escrita. Já fazes menos esforço e escreves quase normalmente. Muito bem. Tás a fazer progressos.

Anónimo disse...

Comentário das 0:32: és funcionário da EDP...

Anónimo disse...

..................................."""Quem acredita que ter uma bom programa para Albufeira, uma boa estratégia de desenvolvimento, uma boa visão para o crescimento do concelho não é valido, só pode ser ignorante!"""
........
digo mais...quem acredita que ter um bom programa, é que é bom, mesmo que não o cumpra (como se passa na maior parte das coisas prometidas) é uma pessoa altamente inteligente...eu prefiro continuar a ser ignorante.
ZORRO

Anónimo disse...

Ignorante e burro! Se não tem um bom programa, tb não tem equipa para governar! Até posso admitir que à falta de pessoas competentes para fazem um bom programa, possam contratar empresas de serviços externos! Assim pelo menos ficam a saber o que seria melhor para a terra.
O seu problema é que à boca das eleições nunca se preocupou se o programa apresentado há quatro anos atrás, estava ou não cumprido e isso demonstra indiferença para o que se passa na sua terra.
Acho que o Sr. nem deveria ir votar, porque não sabe para que vota.
Lembro-lhe que apesar de em Portugal o voto ser obrigatório não há sanção para quem não vote, assim o Sr. pode muito bem passar sem votar, porque ninguém lhe vai fazer mal.
Se vai votar apenas para ser visto na mesa de voto e cumprimentar os seus amigos e candidatos, simule a esses que votou, ou vote em branco ou que seja considerado nulo. Os seus amigos e candidatos não vão perceber!

Anónimo disse...

continuo a dizer que é melhor passar por ignorante, do que por inteligente (vulgo esperto)
porque, como diz o que se olha ao espelho
"PARA FAZEM..."
"podem contratar empresas de serviços externos..."?????
então seria melhor votarmos nessas empresas, pelo que o esperto diz...
ai ai estes candidatos, tão mal rodeados de gente sem carácter e com tão poucos argumentos...fraquinhos, fraquinhos.
assim é mais fácil decidir, por exclusão de partes.
o Rapaz não sabe o que eu sei e no entanto faz comentários e considerações sobre o que desconhece, tipico de um bom aspirante a politico.
vai tentando...
ZORRO

Anónimo disse...

pois, pois... é melhor contratarem uma empresa externa ao partido para fazerem o programa se o não souberem fazer. Concordo, pelo menos assim podem-se gabar de ter um programa!!

Anónimo disse...

Por acaso, foi no blog do ALGARVE REPORTER onde o agora candidato Manuel Aires se estatelou ao comprido, com a crónica do "BE Partido sanguessuga...", em boa hora publicado num site de referência no Algarve.
Os independentes por Albufeira serão as sanguessuguinhas!
O resto que vai por aí é só demagogia e treta barata!!!

Alcides

Anónimo disse...

O que o Eanes se vai rir, quando lhe contarem essa das sanguessugas!...