domingo, 23 de agosto de 2009

MARIA LUÍSA FEZ-NOS CHORAR...

OS MORTOS NÃO FALAM, MAS OS VIVOS PODEM PROTESTAR!


Albufeira foi palco de uma tragédia que consternou toda a população do concelho, habituada a bem receber e a qual não espera que estes acontecimentos se dêem, julgando que as autoridades trazem todos os aspectos da actividade turística e balnear controladas, para garantirem a segurança da presença e do regresso em paz dos que nos visitam.

A morte de cinco pessoas, os ferimentos de outros e o estado de choque de muitos que presenciaram, arrastaram à praia Maria Luísa, um cortejo de autoridades, cujo tom discursivo pautou pelo pragmatismo de Estado, que em resumo, se caracteriza pela total desresponsabilização pela gravidade dos factos e do trabalho que compete às diferentes identidades que interferem no controle das linhas de água.

Todos afirmaram publica e categoricamente, que o Estado não tem culpa mas sim as pessoas que morreram porque, ou não sabem ler ou são descuidadas.

Hoje, domingo, a propósito do derrube do monstro de areia assassino, o Ministro do Ambiente, velho conhecido dos albufeirenses como um dos grandes responsáveis pelas misérias do Programa Polis/Câmara, reafirmou que a operação faz-se por razões de segurança e só lhe faltou recorrer à mentira de que tudo já estaria planeado.

Bem à portuguesa, ou melhor dizendo, ao estilo de irresponsabilidade dos nossos políticos, depois das portas arrombadas, trancas na porta.

A confusão instalada de competências na orla marítima leva a que todas estas ocorrências e são várias ao longo da costa portuguesa, não tenham ido além dos trabalhos de circunstância, para consumo e silenciamento de quaisquer protestos da opinião pública.

O facto de directivas da CE, só recentemente terem tido decisão em conselho de Ministros, demonstram bem o descuido pela gestão de uma linha de costa de um País que tem algumas das suas partes em total dependência estrutural do Turismo.

No meio da confusão de irresponsabilidades instalada, factos como urbanismo selvagem, excesso de infiltração de águas sobre as arribas, ou tão simplesmente que as melhores zonas de praia são concedidas em licença para exploração privada, restando aos turistas de menores recursos procurar os poucos espaços que lhes são destinados e de maior probabilidade de acidentes desta natureza, são disfarçados por declarações de pesar, inquéritos sérios e de medidas que vão ser criteriosamente aplicadas para que não aconteça mais nada até ao próximo incidente.

Até o presidente da Câmara de Albufeira, Desidério Silva, que não revelou qualquer atenção por este assunto, saca em período eleitoral do argumento que lhe é querido, de que como está no terreno, seria bom o governo pensar na "delegação de competências" (sic).

Com tantos organismos com competências e fundos de intervenção, a atribuição destas competências ao actual executivo camarário, seria mais um motivo de preocupação da população, tomando apenas como exemplos as desgraças das inundações de que foram vítimas os populares e comerciantes da baixa de Albufeira, bem como o facto da Lei do Ruído determinar também competências de criação de um mapa com vista ao seu controle e defesa dos interesses das pessoas, factos que estão mergulhados num profundo desprezo.

Os acontecimentos da praia Maria Luísa foram graves, puseram em causa a imagem de um concelho que vive exclusivamente da actividade turística, pelo que não se devem repetir.

Às autoridades que têm a responsabilidade cruzada de intervenção na orla marítima, exige-se que façam o seu trabalho com rigor, que procedam à elaboração de um plano real de intervenção nas zonas costeiras e balneares de presença de actividade humana.

A época turística não acabou e os milhões de turistas nacionais e estrangeiros que frequentam as nossas praias, querem saber com rigor que podem confiar nas autoridades do País.

Cinco mortes de pessoas que simplesmente quiseram aproveitar o sol ou a sombra de um penedo, devem merecer todo o respeito do Estado, que tem a obrigação de cuidar dos cidadãos.


Luis Alexandre

27 comentários:

Anónimo disse...

sim... e começam logo com a mentira que há uma semana houve uma vistoria! agora sabe-se que foram topogragos que lá foram... certamente fazer um levantamento topografico e não uma vistoria às arribas... podemos nós confiar nas autrodades, que por não terem nenhum plano real, desresponsabilizam-se... O mesmo foi com o tremor de terra, que no dia seguinte veio o responsavel dizer que muito remotamente aquele tremor de terra teria influencia na queda do penedo.
Não se trata de crucificar a Dra. Valentina, mas sim de saber a verdade. Havia um plano de monitorização? Há uma plano de monitorização? ou não há nada? É que oiço muita gente a dizer que todos já teriam sido avisados desta situação e de outras, mas que nunca houve acções em concreto para as suas chamadas de atenção...
Podemos nós confiar neta gente? Quensão eles? Terão eles competencia para governar as direcções gerais deste País, ou apenas para defender loteamentos em Paderne, nas terras dos seus familiares...??

Anónimo disse...

A meu ver, o actual presidente Desidério Silva será o menos culpado de toda a tragédia, pois segundo parece, a câmara é que paga às capitanias a vigilância e manutenção das praias, mas claro que para a nossa câmara gastar dinheiro a rodos sem qualquer fundamento e controlo é já o prato forte do dia, eles não têm capacidade para mais nada... Tambem o Homem, já tinha sido alertado para o facto que há 3 anos para cá que aquilo está a ruir, apesar de ele responder que deitar o leixão abaixo iria tirar a beleza na praia, ele mesmo que se quisesse, etariam logo a seguir os ambientalistas em cima dele, esses mesmos que criaram as dificuldades que criaram aquando a reparação das aribas da praia de Albufeira, no entanto como agora morreram 5 pessoas, já piam muito baixinho. A tabuleta provisória tambem é bem conhecida no concelhos, já que é mais fácil e mais rápido assinalar do que reparar, assim a responsabilidade é de quem é miope e não vê a placa, quem é que não conhece as nossas placas a dizer "perigo estrada em mau estado de conservação"? Ali na branqueira, vale parra há umas quantas, é que uma placa custa 40 euros e reparar uma estrada custa muito mais, e gastando-se nisso, não há dinheirinhos para trazer cá o Tony Carreira.

Anónimo disse...

ya ... e fazer jogos de futebol... será que trazer a Albufeira aquelas equipas todas é barato? quanto cobra o sporting por vir cá? e logo dois jogos com equipas de primeira linha. A bilheteira do Estadio do Imortal dá para pagar aquelas despesas todas? Hotel de 5 estrelas, comida, avião, etcc? ou as equipas vêm de borla ou vêm com tudo incluido e com um cachet? Não sei que caminho isto leva. Agora pediu aoturização à Assembleia Municipal para mais um emprestimos de não sei quantos milhões... Não seria melhor poupar e não gastar tanto em festas...

Anónimo disse...

Faço minhas as palavras de quem me antecedeu.
Zelar pela segurança dos munícipes num concelho qualquer deste país e de todo o mundo é uma atenção que todos desejamos ver naqueles que nos estão mais próximos. E os presidentes das nossas autarquias, alguns apenas, creio eu, ainda brincam "as casinhas", às festinhas, às associaçãozecas ou clubinhos. Quem saberá porquê?
Quanto a Albufeira, concretamente, porque não organiza a nossa câmara municipal, as nossas escolas, passeios diurnos e nocturnos (agora também na moda, como se eu e os meus amigos não soubéssemos passear!) pela costa e orla marítima do nosso concelho? Com um bloco de notas, todos teríamos de apontar muita coisa incorrecta. E é por isso que não acredito nesta câmara actual... Quem a tem governado tem dado uma imagem sobre estas coisas... Qual?
Sobre as competências, garanto-vos que se tivesse falecido alguém da nossa família, pela minha parte iria pedir contas ao presidente. Onde prova ele que se tem preocupado com estas coisas da Maria Luísa, da Baixa de Albufeira, da preservação da encosta da Baleeira (moradias que não nos deixam passear...), da zona de S.Rafael e Arrifes, Salgados... Ninguém de corpo inteiro pode admitir que o nosso presidente local, seja aqui ou em Braga, não se mexa,não revele acção, não se preocupe com os perigos do terreno que ele governa! Eu gostava de saber o que ele fez, escreveu, falou e a que entidades prova ele que já tinha revelado esta preocupação. As estradas têm proteccções metálicas, as que têm! Há zonas perigosas em que, se eu lá cair,devia ter tido cuidado pra não cair. Devia só andar na estrada. E às vezes há sinais e placas a anunciar o perigo onde eu acabei por cair! Como sou vesgo!...
Isto é forma, em pleno Séc. XXI, de descansar e acalmar a minha consciência, também a sua cara amigo, quando há Marias Luísas e outras? Não perdoaria ao Predsidente da Câmara do meu concelho que tanto inventa e em tanto lado aparece e diz estar presente, que não consiga agora dizer o que já tinha feito ou que medidas pessoais junto de quem de direito... Nâo, meus amigos! No desastre de Entre os Rios, o Presidente da Câmara da zona provou que já tinha agido, embora pesoalmente, junto das entidades competentes para as alertar dos perigos. Mas em Albufeira, quando vejo, vemos o contrário na ocupação e licença para construir junto às arribas, que poderei, poderemos esperar do actual presidente. Agora é que ele vem dizer que disse, no próprio dia da morte, ao 1º Ministro e P.República, bléu....bléu...bléu... Dá-nos música, dá...
O Primeiro de todods nós em Albufeira não é o Padre, o Médico ou o Engenheiro Gracias... O 1º de todos nós no servir da população é o Presidente da Câmara. Este que está lá não tem sido o primeiro,comprovadamente, nas coisas mais necessárias e difíceis da nossa pequena existência. E vamos ter cadeiras a boiar e betão para inaugurar. Imagine-se: isto, numa terra que era adorada pela sua beleza natural! Perguntem a Desidério quantos mais desenhos para os próximos 4 anos o filho e o sobrinho poderão pôr em prática?

Anónimo disse...

È lamentavel mas do conhecimento de todos os comerciantes da Av Sá Carneiro Norte a falta de policiamento na mesma.Os poucos turistas que visitam o n/pais masi concretamente a Av Sá Carneiro deparam-se logo á saida do Hotel Montechoro com uma multidão de ciganos a pedirem nas ruas, outros deitados em cima dos bancos existentes junto aos contentores do lixo, tossindo e cuspindo para o chão que é uma autentica vergonha, será que Albufeira não tem policias para patrulhar afim de dar alguma segurança quer a quem nos visita quer a quem ali tenta ganhar o seu sustento? Os comerciantes da Av.Sá Carneiro Norte também pagam os seus impostos logo deveriam ter direito a segurança igual á existente na referida avenida mas na parte sul nao acham?
Pois se não há recursos humanos para policiamento porque é que não se criam? Talvez se cortar um pouco no fogo de artificio que se faz ao longo do ano nesta cidade gastando rios de dinheiro, provavelmente se arranjaria mais policiamento.

Anónimo disse...

O policiamento que a Câmara já podia exercer onde está? Nos milhões que o Desidério gastou em coisas sem retorno!
Ele diz-nos que há retorno? Mas eu não vejo onde...
Os milhares e milhares com clubes e Associações também é só para passear e bailaricar... Nem conta apresentam a quem lhes dá os subsídios! Ogoverno tem de legislar sobre estes subsídios... Para mim só servia as instituições que me provassem ser idóneas, que tivessem apoio sério a idosos, crianças e deficientes. O resto rua! Trabalhem em grupo e organizem-se...
Quanto aos polícias. Tudo mal feito pelo Desidériozito.

1º-Dias antes de ganhar a câmara nas últimas eleições, tinha prometido que ia criar a polícia municipal. Sabem o que fez? Alguns meses depois criou lugar para dois polícias municipais! Dois. Deve ter sido para andar um com outro. Pouco depois, sempre a gastar sem nexo, arranja-lhes um carreco todo folclórico. Resultado: os dois mangas passaram a andar/passear de carro...
2º-O Vice-Presidente mete na Câmara o filho do seu amigalhaço de copos e do Rotary Clube, Aurélio Nascimento... Contra todas as formas de orientação e organização de segurança/policial, mete um garoto sem experiência como Responsável dos polícias municipais, tendo admitido mais um polícia. Com 3 polícias a andar de pópó, estes ainda precisavam dum Chefe. Mas toda a gente que conhece isto sabe que foi para justificar um ordenado razoável ao filho do seu amigalhaço!
3º-Agora consta que são 4 polícias. Já não sei como andam nem me interessa. Só sei que para por ordem nesta treta toda vou votar e ajudar o David Martins. É um homem sem padrinhos e amigalhaços. Têm muito mais nível ético, como trabalhador desde criança órfã, fez o curso à sua custa, nem o Estado o ajudou com bolsa de estudo sendo órfão e pobre. O Desidério não soube investir. E não foi em 4 anos. Oito! Oito anos se passaram e só cresceram alguns cogumelos e e ajudas a quem lhe fosse e sej fiel! Mas o voto é secreto Sr Desidério!
Se ele tivesse gasro mais em 12 ou 15 polícias, a Av. Sá Carneiro e alguns perigos noutras ruas tinham já tido melhor clima e ambiente. Mas ele fez as suas opções: bailaricos prós velhotes/sempre os mesmos. Foguetes e festas. Estudos por encomenda e dispendios estrondosos com iluminação de natal. Viaturas para todos os chefes e alguns func. da câmara, que nem se inibem de usar como carro privado (de ida e saída do emprego!) Mas vocês estão mesmo a ver o que eu vejo? Quem é que tem estas mordomias? Quem come à borla nas cantinas e ainda lçeva pra casa? Quem trabalha até às 15H? Nem alguns bancos já permitem isso.
Bem... rua com o Desidério. E o David quando para lá for vai ter a avaliação que este já devia ter sofrido nos primeiros 4 anos. Por isso não receio votar já nele. Há-de ouvir algumas das nossas razões, já que este não liga a nada do que se lhe diz. Votem melhor para a próxima...

Anónimo disse...

A policia Municipal foi criada não sei para quê, esses então mandar sair os ciganos, ui ui nem pensar passam avenida acima e nem olham mas se algum outro cidadão estiver por exemplo alguma placa do restaurante ou bar com publicidade no passeio, isso sim é muito grave e da para facturar então é actuação imediata, isto está lindo Srs.Governantes!!!!!!

Anónimo disse...

Na Sá Carneiro, os policias municipais mudam de passeio só para não se cruzarem com os ciganos que estão a vender ilegalmente.
Têem medo que algum cigano lhes dê umas chapadas.

O Engenheiro disse...

Triste é aquele que se aproveita da tragédia para se acotovelar tendo em vista o mês de outubro..

Roberto Raposo disse...

Sr. Luis Alexandre, responda-me só a uma coisa;
Se você passar um sinal STOP e lhe baterem, de quem é a culpa?

Então se a arriba estava sinalizada como perigosa, até porque a arriba caiu, mas a placa lá continuou, pois tiveram de a arrancar antes de começar os trabalhos de demolição do resto da arriba, de quem é a culpa?
A culpa é de quem ignorou a sinalização e pagou com a própria vida.
Os turistas, querem saber se podem confiar nas autoridades do país? Por favor que podem fazer as autoridades, quando não se respeita a sinalização de perigo?

Foi uma tragédia, aquilo que aconteceu, mas podia ter sido evitada, se a sinalização tivesse sido respeitada.

Abraço

Roberto Raposo

Anónimo disse...

Qual é a % de área concessionada na praia Maria Luísa? Será que não obrigam a ir para os cantos quem não pode pagar alarvidades dos chapeus de sol!

Zenóbio disse...

se as pesoas se informa-sem na delegação maritima viam que podiam pôr os chapeus de sól em frente ás concessões porque esses senhores só pagam X de metros quadrados não a praia toda ,vão lá e peçam para verem a lei, é como os cães só não podem andar nas praias entre as nove da manhã e as sete da tarde, a partir destas horas desde que estejam enssaimados nenhum concessionário o pode proibir porque as praias não são só deles , apesar deles pensarem que sim

Anónimo disse...

sr. roberto raposo então porque é que o MP vai abrir um processo crime? será aos mortos ?ou será aos vivos? você é um facilitista e se tivesse lá um governo do Psd voc~e até dava saltos a gritar contra.

carlos

Anónimo disse...

Sr. Raposo! o stop estava ferrugento e era dos antigos! Lembra-se dos stops circulares com um sinal de estrada com prioridade a dizer stop lá dentro? Ou é muito novo?
Deixe-se disso... o que queremos é que daqui para a frente haja um plano de acção concreto de vistorias das praias e de remoção das situações de perigo!
Em vez de andarem a gastar o nosso dinheiro mal gasto, que trabalhem... façam vistorias, façam demolições, façam parques de estacionamento para as praias, melhorem os acessos das praias e não fiquem apenas no gabinete a dizer Não a Tudo.
As praias são de todos e para todos e são também o nosso ganha pão, por isso têm de ser o melhor que podemos oferecer.
Caminhos em terra batida, parques de estacionamento inexistentes, têm ser coisas do passado...
E já agora! que coloquem à entrada da praia informação sobre os perigos das praias: correntes marítimas, rochas na linha de água e localização das arribas com perigo de derrocada.
Aí sim... Estariam a trabalhar em beneficio de Albufeira, do Algarve e de Portugal. Até agora o que aquela Sra. Calixto soube fazer, é deixar no PDM de Albufeira (em Paderne) os terrenos da sua família fora da Zona Agrícola! Ninguém em Paderne pode construir, mas como era ela que mandava na aprovação do PDM de Albufeira na antiga CCDRAlg, logo mandou que os terrenos da sua família fossem urbanizáveis.
Paderne teve e tem Gente (Pessoas de “P” grande, Homens e Mulheres) Muito Ilustre e amiga de ajudar, mas acho que essa senhora não é e nunca será amiga do povo!
Tenho Dito!

Bate na Avó

Roberto Raposo disse...

Estamos a falar deste caso em concreto, e o facto é que a sinalização não foi respeitada, mas aliás, nem precisava ter lá sinalização, qualquer pessoa de bom senso, sabe que é perigoso estar junto a arribas, não precisa cair uma arriba para ferir ou matar alguém, uma única pedra de 200 gramas ao cair de 10 a 15 metros de altura, pode matar uma pessoa e para isso, pasta uma gaivota pousar e soltar a pedra, será que aí iam abrir um processo contra a gaivota?
Tenham paciência e não tentem encontrar um bodes expiatório para este caso.
Ainda hoje e apesar de todas as notícias e aviso, em qualquer praia se encontravam pessoas por baixo das arribas sinalizadas com sinais de perigo, ora isto é estupidez e irresponsabilidade, mais nada.

Sr Carlos, se fosse um governo PSD, falava exactamente da mesma maneira, pois o meu ponto de vista, não muda consoante o partido que esteja no poder, eu não sou desses.


Abraço

Roberto Raposo

Anónimo disse...

Sr. Raposo, se acha que as placas é que estão bem, porquê que eles agora não puseram uma placa nova de grandes dimensões em vez de deitar a rocha abaixo?
Sabe a quantos anos estava lá a placa provisória? 3!
Se é provisório, é por um curto periodo de tempo até o problema ser resolvido.
Agora já tem inspiração para fazer mais um tema musical sobre mortes para a sua banda satanica.

Roberto Raposo disse...

Banda satânica? Tenha juízo mas é.
Pois fique sabendo que dois dos elementos da banda são católicos praticantes, um até é major da força aérea e eu sou agnóstico, se não sabe o que é, é uma pessoa que não acredita em religião alguma, logo se Deus não existe, o diabo também não.

E mais, aceito a crença dos outros e não a critico, cada qual tem o direito de acreditar naquilo que quiser, esse é um dos princípios da liberdade. Liberdade, que eu prezo muito.

Tenho amigos cristãos, tenho amigos que seguem a doutrina Jeová, e outros ainda que seguem outras religiões, e não é por eu não acreditar que eles deixam de ser meus amigos.

Estes são os temas do nosso último trabalho:
1 - Intro (Benighted)+ Haunting The Night
2 - Midnight Maiden
3 - The Dead Moon Behind...
4 - A Sky In Fire
5 - Outro (Obscurity Of The Night)

Os temas falam sobre temas obscuros e sobrenaturais, e até de algum erotismo, não de satanismo ou religião.


Se acha que isto são temas satânicos, então é melhor ir tratar-se.

Informe-se antes de vir escrever bacuradas.

E eu não brinco com a morte nem com os sentimentos dos outros, pois sei muito bem o que isso é, até porque perdi o meu pai há muito pouco tempo vitimado por cancro do cólon.

Fico por aqui, pois o seu comentário, nem merecia resposta.

Um abraço

Roberto Raposo

António Maria disse...

O sr. Raposo só vê em frente e nada o demove de culpar os distraídos que já estão mortos e a distracção das autoridades que têm a responsabilidade de tratar convenientemente dos assuntos da segurança dos cidadãos essa passa-lhe ao lado.
Tenha dó.

Roberto Raposo disse...

Sr. António, que responsabilidade tem uma autoridade, quando não se respeita a sinalização e os avisos?

Tenha dó é você e todos quantos estão a tornar a morte das coitadas das pessoas num caso político, para atacar instituições e pessoas.

É triste estar a usar a morte das pessoas para se tentar tirar daí dividendos políticos, isso sim é que mete dó.

As entrevistas que têm feito àqueles que continuam a se pôr em perigo por baixo das arribas diz tudo, não é preciso tirar mais ilações.

Como eu já disse, lamento muito a morte das pessoas, pois é triste a perda de vidas humanas, mas há que ver os factos e o facto é que não respeitaram o aviso da sinalização. E é como digo, ninguém tem culpa desta tragédia, pois com a natureza, não se facilita.

Abraço

Roberto Raposo

Anónimo disse...

SR RAPOSO SE HAVER UM BURACO NUMA AUTOESTRADA E OFERECER PERIGO A MESMA NÃO É CORTADA AO TRANSITO? E SE O SENHOR MAIS AS SUAS PARVOICES FOSSEM PARA OUTRA TERRA? DESAPAREÇA

Anónimo disse...

Mosse debe o Raposo é o melhor tira nodoas que já vi, qual Ajax qual carapuça, o Estado gosta é destes para continuar o regabofe ou será melhor dizer o PS que é quem está no poder ?

Roberto Raposo disse...

Parvoíce é essa de comparar alhos com bugalhos, pois quando há perigo numa estrada, sinaliza-se esse perigo, se não conhece esse tipo de sinalização, circule na entrada de Albufeira, que eu saiba está lá a sinalização de perigo e a mesma não está encerrada e se alguém lá cair num buraco a responsabilidade é do próprio, pois está lá a sinalização.
E não é só o Raposo, que vê que as coisas são assim, pois toda a gente com quem eu tenho falado, pensa da mesma maneira e olhem que não são todos do PS.
Parvoíce é tentar politizar esta tragédia e tentar tirar dividendos políticos da mesma. E olhem que ao falar assim estou a defender o Sr. Desidério, pois há quem diga por aí que ele também tem culpa do sucedido, portanto não venham com essa de que eu estou a tirar partido deste ou daquele partido. E não venham aqui ofender, pois essa é a defesa de quem não tem argumentos. Ofender é fácil, não é?

Um abraço

Roberto Raposo

Anónimo disse...

tão a discutir desastres naturais...procurem mais informação sobre o que aconteceu e se era possivel prever neste caso e noutros que podem acontecer em qualquer altura, num futuro próximo ou daqui a dezenas ou centenas de anos, e vão chegar a conclusões diferentes.
aquela rocha podia ser inspeccionada hoje sem apresentar perigo de derrocada e no entanto cair amanhã.
informem-se.
ZORRO

Anónimo disse...

Não sei se lamente, mas não estou de acordo com as teses de "não politização" da tragédia! Respeito. Mas o meu entendimento ético da política, inspira-me que os políticos devem ter princípios éticos últimos aos quais se dedicam de alma e coração. Ora, o que penso desta tragédiam é muito simples: leio, interpreto, descubro na praxis política do presidente desta câmara em 8 anos, toda uma série de fenómenos catastróficos e naturais que não descubro em mais nenhum. Nas cheias da baixa, não se vê "mão interventiva deste autarca". Nos esgotos que o ano anterior conspurcaram pelo 3 praias em pleno verão e este ano já uma também está uma desgraça para o turismo do concelho. A autarquia, deve saber que isto não deve nunca ficar para segundo plano. Mas tem ficado.
Permite-se a construção em cima das falésias a certos senhores. E isto é altamente lesivo para a segurança das pessoas...
Hã coisas que um presidente demonstra, ele próprio, que carece de visão política. Não falemos aqui de visão manhosa e artimanhas. Em Albufeira, os adeptos do Dsidério e até outros, desculpam-lhe tudo com a máxima de que "sabe ser político...". Pois eu, meus caros, acho o contrário. O bom político, o mais honesto (em ideais), o mais consciencioso e o mais prudente é aquele que demonstra na prática estes critérios para com os outros, a gestão da terra, das praias e arribas que estão na terra, e não nas nuvens! O político Desidério não sofre com a politização de nada? O que acontece no concelho que ele governa não lhe diz nenhum respeito? Nem político? O político tem que demosntrar capacidade preventiva perante ameaças e perigos... Deixemo-nos de conversas infantis, e tratemos os políticos na sua natureza e alcance político. O cidadão Dsidério não fez mal nenhum. Mas o político Desidério não fez bem nenhum. Por omissão! E, como ele é católico, devia saber ser um político ainda melhor e mais prudente com os perigos que existam no seu território. É que os católicos penitenciam-se também pelas omissões. Por isso não gosto que falem em "não politizem isto, não politizem aquilo!" Há concelhos com muitos problemas destes e talvez mais perigosos, e ninguém se pode abeirar do perigo porque foram interditadas as zonas com vedações de madeira... Lá será difícil acontecer "politização". Mais não é possível fazer! Mas na Maria Luísa havia défice de acção securitária... Nestes tempos que são os nossos já não basta pensar em sinais de trânsito, que são a regra! Também já se usam protecções metálicas e outras. E aqui? Onde mora a esperteza e a artimanha do político Desidério para tornear ou simplesmente ajudar a "fintar" os perigos e as tragédias? As chuvas, brevemente, dir-nos-ão se exagerámos nalgum juízo sobre este autarca. Para mim o passado que aqui descrevi basta para definir o seu perfil facilitista para o perigo e para o mal, e activista no supérfluo e desnecessário. Pois é. Um dia o político tem mesmo de ser confrontado com a sua política/acção, ou omissão. Ficamos à sorte? Então boa sorte...

Anónimo disse...

Este blog continua a ser um mimo de demagogia e trauliteirada!

O trágico acidente veio mesmo a calhar para terem assunto...

E preciso ter lata!

Anónimo disse...

Sr. Raposo, você devia era retirar os antrolhos da frente. Se as placas é que sao boas, porke é que agora estao a arrancar as pedras?assim punham placas novas e resolvia o problema.
esteja mas é caladinho que de rochas não percebe nada, talvez de comboios, vá pra estação

Tertuliano disse...

Morrer numa praia de Albufeira sem ser por afogamento é demagogia? Se lá tivesse ficado um familiar seu o que seria? Trauliteirada? E se isto o incomoda como assunto, qual é o seu assunto preferido? Futebol? Tony Carreira? Bailarico?
Como é que acha que o mundo avança? Será um tema interessante? Ou será melhor falar da etimologia das palavras? Por exemplo: donde virá "demagogia"? Precisa de ajuda? Parece-me que sim... porque não foi feliz na sua utilização.
O autarca de Albufeira tem um compromisso político connosco. Não é um compromisso de diversão, de "boa vida", mas sim de resposta e defesa pelo nosso bem estar. Não tenho nenhuma dúvida de que ele é o "nosso interveniente directo e responsável pela segurança ou insegurança do que acontece em Albufeira. Se tivesse vedado alguns locais, a Câmara nunca seria maltratada ou coisa que o valha pelas outras entidades. Um autarca da Serra da Estrêla pode muito bem sinalizar e vedar o acesso a uma zona da serra que represente muito perigo para as pessoas. Por mais que isso pertença, administrativamente, ao Ministério do Ambiente. Os valores morais e ético-políticos têm de ser accionados. Em Albufeira são todos pudicos... perante a morte? Mas que é isto? Que raio de afazia é esta? Gostam de ver as cadeiras a boiar e as caves inundadas? Então votem no Desidério e clamem pela Polis! Gostam de ver praias com mortos? Então votem no Desidério e clamem pelo governo. Mas! Sobretudo! Votem neste magnífico exemplar que estão a fabricar há 8 anos....