sexta-feira, 8 de maio de 2009

CRÓNICAS DE JOSÉ EDUARDO SIMÕES

A MISTIFICAÇÃO DO "SEBASTIÃO"


Se na nossa vida comum, alguém toma atitudes que deploramos, não o julgamos por aquilo que possamos idealizar a seu respeito, mas pelas atitudes concretas que tomou (ou não tomou...).

Manuel Alegre divergiu, em certas políticas, da direcção do PS. Nem se pode dizer que tenha divergido muito... Ambicionando candidatar-se à Presidência da República pelo seu partido, a direcção deste pura e simplesmente ignorou-o. Candidatando-se como independente, conseguiu um brilhante resultado eleitoral. Duas conclusões se podem extrair daqui: 1- A direcção exige (e está no seu direito) que os candidatos escolhidos pelo partido sejam de sua (direcção) confiança absoluta; 2- Existe no PS uma base alargada que se identifica com o programa geral da Esquerda, e que desejaria que a direcção tomasse opções governativas por esse lado.

Neste contexto objectivo, não idealizado, muito menos messiânico, onde se insere a figura de David Martins?
Perante os pressupostos referidos, a conclusão parece-me evidente: Martins não teria a menor chance de alcançar os mandatos partidários actuais, caso não fosse um homem da estrita confiança da direcção. Não se lhe teria entregue a condução da política partidária concelhia, muito menos a candidatura à presidência do município. O exemplo de Alegre comprova-o, categoricamente.

Esta circunstância que, em si mesma, não é passível de censura, dado os partidos (todos) serem tendencialmente estruturas homogéneas, identificativas e agregadoras de pessoas com uma determinada linha de pensamento e com objectivos próximos relativamente à concepção de sociedade que se pretende implementar, ganha outra dimensão quando, negando as evidências e por mera conveniência táctica, eleitoralista, se pretende "deslocar" uma figura do seu contexto real.
Aí, a figura do político e as suas práticas ganham, da parte dos seus apoiantes, uma carga fortemente mistificadora.

Vejamos:
Há um ano investido como líder concelhio, a David Martins ninguém conhece obra (ou sequer opinião!) relacionada com o concelho, nesse período de tempo. Sem o dizerem expressamente, os seus apoiantes acabam por o afirmar, na frase de sua pretensa defesa: "Vocês não o conhecem!". Lá isso é verdade! Acontece que esse é o mais poderoso indício da sua inércia ou inaptidão...

Assim sendo, trata-se de uma mera "inexistência" política? Pior: trata-se de cumplicidade com as políticas existentes e com os políticos do "statu quo" central. Não se opôs nem a elas, nem a eles, num ano em que abundaram os casos em que poderia ter mostrado exuberantemente, se o quisesse, aquilo que o diferenciava dos demais - do seu partido e do partido dominante na autarquia Não quis!

Mas, ainda é possível piorar o "pior"! David Martins era deputado à Assembleia da República pelo círculo eleitoral do Algarve. O que fez ele, que medidas tomou pela Região? Não estou a dizer que não fez, estou sim a afirmar que elas devem ter sido suficientemente irrelevantes para a população não as conhecer ou distinguir... Por exemplo, São Rafael foi levado ao Parlamento através de uma deputada do Bloco de Esquerda do Porto!!!

E, ainda como deputado, de que lado esteve ele, na aprovação de uma Legislação Laboral, em certos aspectos mais reaccionária do que a LCT aprovada no tempo de Marcello Caetano?

É este quadro do PS, assim identificado pelo maior seguidismo político possível face à direcção partidária, que os apaniguados afirmam ser diferente? De quê? De quem? Só se for da Esquerda...

Merece, então, David Martins o benefício da dúvida dos eleitores? Será que um político com o perfil por ele evidenciado quererá cortar com a política dos seus antecessores no concelho e realizar políticas contrárias às por eles prosseguidas e às da sua direcção partidária nacional?
A resposta a estas questões, no meu entender, é um evidentíssimo NÃO!

David Martins é, muito simplesmente, o novo homem da estratégia política do PS em Albufeira. E não, o de uma nova política...

A política faz-se em função de motivos. Só quando mudam os motivos (e não as pessoas), é que mudam as políticas. Quem quiser, que acredite no contrário.


José Eduardo Simões

33 comentários:

Anónimo disse...

Aos senhores Simões - versus - mister Acosal só tenho a dizer o seguinte: eu explico outra vez!

Os senhores que comentam este Post, neste blog controverso, e que se referem ao Polis Albufeira, desconhecem muitos promenores do que se passou, talvez porque tenham andado distraídos, e só em tempo de eleições queiram botar faladura elequente.
O Polis não teve nada a ver com o PS nem com a direcção do Governo, que se deverá preocupar com outras necessidades bem mais carentes do povo português, como se sabe.
O Programa Polis foi concebido através da UE para várias cidades europeias e portuguesas, aqui representado por uma Empresa Sociedade Expo, e proposto às várias autarquias que tinham a obrigação e o dever de o fazer aprovar - os projectos e as respectivas alterações, caso não se identificassem com os pareceres dos autarcas nas Assembleias Municipais, por onde passaram.
Em Castelo Branco, simplesmente o presidente da Câmara recusou - digo, recusou - o Programa Polis que lhe foi proposto, e tiveram de refazer outro. O mesmo ou parecido aconteceu noutras cidades, que me lembre Cacém e até Silves, levou grandes alterações para integrar o "espírito da cidade", que foram alterados pela exigência da Autarquia. Veio nos jornais. Só não querem ver os sectários e más línguas carreiristas.
O que aconteceu em Albufeira, deve-se exclusivamente à incompetência e péssima visão do executivo liderado por Desidério Silva (com o Programa Polis lançado no último ano de Arsénio Catuna, quando o actual presidente era vereador das OBRAS), e que este aceitou tudo conforme lhe foi proposto sem se querer incomodar com mais nada, exceptuando pequenos promenores de percuso. Ainda por cima, este executivo de Albufeira não acompanhou minimamente o desenrolar da qualidade das obras em curso, preocupado que estava em aparecer em todas as festas, feiras e romarias para aparecer no retrato dos 2 fotógrafos contratados a tempo inteiro pela câmara - Disse: dois fotógrafos (para se revesarem no horário e nos acontecimentos).
Pessoalmente reconheço que a oposição PS (F.Anastácio) poderia ter alertado muito mais do que fez, mas não era maioria e ainda por cima esta oposição não presta, todos o sabemos.
Acusar o candidato agora proposto pelo PS/Algarve, que pensa pela sua cabeça e está rompendo com os dinossáurios do PS/Albufeira, sabe-se lá com que dificuldades... (vai-se saber depois, podem crêr) é uma injustiça flagrante típica do portuga mal intencionado (para não dizer estupidez) que vai fazer a todos os descontentes com o actual executivo ter suportar mais 4 anos de incompetência PSD, e perder uma oportunidade histórica.
Porque não haverá mais candidatos além destes dois, por mais flores que por aí façam. NÃO HAVERÁ! Não há outra gente com competência que esteja disponível para avançar como independente, além da quase impossibilidade financeira de fazer uma campanha ganhadora.
Por isso, meus amigos, esgatanhem-se, forniquem o juízo a quem quizerem, mas façam um esforçozinho (sei que muitos não têm essa capacidade), unam forças e optem pelo mal menor. Esta é mesmo a única solução inteligente para quem não quizer pertencer ao grupo dos asnos presos onde cada um corre para o seu fardo de palha.

E mesmo assim, não se esqueçam que os velhos dinossáuros PS's de Albufeira, se não forem contenplados pelo aparelho (como os Simões & Ciª. fariam se lá estivesses no tal partido da esquerda inteligente que já li e ouvi falar), dizia, se não forem contemplados pelo candidato podem fazer (vão fazer) campanha de guerrilha subterrânea pelo PSD, como aconteceu nas últimas eleições. Lembram-se??

Como não tenciono perder por aqui muito mais tempo a comentar o incomentável, desejo-lhes saúde para assistirem (e engolirem) ao que aí vem, e... passem bem, com boas divagações mentais.

Jorge Guerreiro

Anónimo disse...

Que grande lavagem cerebral que você já levou boy George. O David tem de começar mesmo por aí pelo convencimento que o céu é rosa e tá visto que o 2º passo é encontrar uma linguagem de saída para um engulho chamado Polis, que às tantas até nem veio da CEE mas sim do céu , outro qualquer que haja menos o rosa.
O Polis então veio da CEE (que deve ser a cartola), o Governo governava e a famigerada Parque Expo (que deve ser a varinha de cozinha) é que preparou tudo, pediu o dinheiro do Estado para gastar nas obras e os coelhos das assembleias municipais e da s câmaras só tinham de responder se aquilo estava de acordo com o quadro clínico da cidade. Foi tudo mágica, e só há, você não sabe bem, dois presidentes que não gostaram das propostas e mudaram tudo.
E onde é que fica o sócrates no meio da sua trapalhada? Era a partner?

Anónimo disse...

esta do pólis já tá a pegar a pouco e pouco, é a tal da mentira dita muitas vezes que começa a fazer acreditar que é verdade...
agora vamos lá a ver outra:
atão qual é a explicação para uma que ouvi há uns anos sobre o Governo PS pressionar (obrigar) a camara de Albufeira a assinar e
entregar a gestão das águas ás águas do Algarve, tendo triplicado os custos porque agora temos que pagar á camara, á aguas do algarve e as firmas contratadas pelas aguas do algarve para fazer o serviço que era feito pelos funcionários da camara.

a camara era PS mas não queria entrar no negócio porque achava ser um mau negócio principalmente para os municipes, em Lisboa diz-se que bastou o grande chefe
(do PS) falar com o nosso pequeno chefe para por tudo na ordem.

jesimões disse...

O senhor Guerreiro já ouviu falar do partido da Esquerda inteligente!
Bravo!
Já identificou o inimigo à esquerda (visto que, à direita, o sr. Guerreiro não tem inimigos...).
Mas vai ouvir falar mais, pois a "procissão" ainda vai no adro e é ele que vos vai rezar a "missa"... De requiem.

Anónimo disse...

Bom... Afinal o David chegou e está a incomodar mesmo as hostes oposicionistas em Albufeira. Estão, não sei quem, não conheço e nunca reconheci como alguém com capital opinativo para tal, vêm agora, através de um blog com propósitos duvidosos, para não dizer, vergonhosos, fazer um ataque cerrado ao candidato à Câmara de Albufeira, David Martins. Para quem diz que não o conhece e k não previa um futuro político risonho, anda muito preocupado com o que ele faz e quem é o David. Pois se queira saber, como deputado da nação que é, eleito pelo Algarve, o David não terá como obrigação defender só Albufeira, mas sim a região que o elegeu, bem como todo o país. O Hospital do Algarve, a Barragem de Odelouca, o Curso de Medicina, a Requalificação da EN 125, entre muitas outras coisas, acontecem na legislatura que ele é deputado à Ass. da República, fora todo o trabalho que tem feito e com todo o reconhecimento, junto das associações, clubes do concelho de Albufeira, defendendo as suas necessidades, apresentando as soluções, conforme irá fazer durante a campanha eleitoral e, posteriormente, quando for Presidente da Câmara Municipal de Albufeira, será reconhecido e deixará uma marca muito positiva e com visão de futuro para o Concelho de Albufeira...
João C.

jesimões disse...

Sr. João C.: habitue-se à democracia... Só porque não partilham as suas opiniões, este blogue e os seus autores não têm que ser "duvidosos" ou "vergonhosos". Gente a pensar como o senhor embaraçam o próprio David Martins...
"A mulher de César não tem só que ser virtuosa, tem também que parecê-lo..."

Anónimo disse...

Ainda bem que consegue responder à minha opinião sobre o vosso blog, simplesmente a minha opinião, direito que tenho desde o 25 abril, há 35 anos... tal como os senhores têm o direito à vossa opinião...mas falemos verdade e é isso que deixa indignado a população de albufeira, pois só porque pertence ao partido que governa o nosso pais e não estando totalmente satisfeitos com o desempenho governativo, atiram-se a todos os que dão a cara pelo PS e neste caso, por Albufeira, pelos jovens, pelos idosos, pelos comerciantes, ou seja esta candidatura é a voz dos anseios da população do concelho de Albufeira. Se ainda duvida do trabalho parlamentar do David Martins, visite a página da AR e consulte a sua página pessoal... Falemos verdade.
João C.

jesimões disse...

Sr. João C:
A diferença é que eu não o acho a si "duvidoso" ou "vergonhoso", só porque é do PS. É a capacidade de diálogo e de esgrimir argumentos civilizadamente que faz a democracia e os democratas. Já devia ter percebido isso há 35 anos...

Não é porque pertence ao partido que governa o país, que David Martins não merece o apoio eleitoral.É pelos motivos expostos no texto, que o senhor ou não leu, ou não percebeu, ou não quis perceber.

É natural que vocês, mais o PSD, estejam um pouco confusos: NUNCA TINHAM TIDO OPOSIÇÃO EM ALBUFEIRA.
Mas vão ver que se habituam!...

Anónimo disse...

Sr João C
Diz que o trabalho do Sr David Martins junto das Associações e Clubes do concelho é reconhecido.Por quem?
Já estará e preparar alguns subsidios para algumas associações, que para além de nome elaborado não representam quase ninguém.
Raquel

Anónimo disse...

Por acaso achei este artigo engraçado, curioso até, e só tenho pena de nunca ter ouvido o autor numa assembleia Municipal dissertar sobre os seus ideais, que pelos comentários vê-se que o autor é uma pessoa inteligente, tal como a tal esquerda que algures li sonhar com a gaiola dourada... Só que essa passarada está, felizmente, em vias de extinção.
O que precisamos em Portugal é de uma oposição construtiva e que apresente soluções. Onde está? Quem é? Criticar por criticar, e destrutivamente, até a minha vizinha que vende laranjas na Patã faz melhor que alguns destes senhores blogueiros.
A realidade é que tudo isto vale muito pouco. Felizmente, não vai além de um veículo de distração e cuscuvilheices, como de costume sem qualquer tipo de formação moral.
Dizer mal de um presidente de câmara ou de um candidato sem estar na sua presença, revela o que de mais porco tem a sociedade: cobardia.
São esses os clowns de certo tipo de blogueirada.
Palmas para eles!!!

Filisteu

Anónimo disse...

... e já sabiam que o actual presidente da junta de freguesia de Albufeira, Helder ...... (creio) vai ser o próximo candidato à presidência da Associação dos Bombeiros?
Sabiam esta???
Ahhhh--- pois não.
Sabem o que isso representa em votos?
Façam as contas, mas já vão tarde, enquanto perdem o vosso tempo com a má lingua sem discutir no sítio certo o + importante: o tráfico de influências e a prepotência do PSD.

jesimões disse...

Tal como o nome indica, o Filisteu não é pessoa muito recomendável desde os tempos bíblicos.

A passarada em vias de extinção vai aumentar o score eleitoral quase para o dobro, segundo as sondagens... E os "vigorosos" vão pela rampa abaixo à conta dos ganhos da passarada... Sobre a inteligência destes filisteus, não tenho mais nada a acrescentar.
Sobre a sua concepção de democracia, ainda menos.

Eles não tinham oposição, eram todos amiguinhos, uma autêntica família,padrinhos e afilhados, e agora estranham...

Não usam o nome próprio, mas chamam cobardes aos outros.

Deixaram que o poder lhes despejasse em cima o balde de lixo da Polis, e agora acham-se muito corajosos... e votam nos mesmos, nos tais!...

Tinha que pedir desculpa aos palhaços, para lhes chamar palhaços!

Anónimo disse...

http://albufeiravirtual.com.sapo.pt/

Anónimo disse...

Mas este jesimões passa a vida neste blog!! estará o homem reformado da câmara? será o duplo do acosal? terá sido capataz da etar dos salgados? será deficiente a precisar de se entreter?
Bem, assim já se compreende.
Mas podia escrever sobre temas mais´úteis para a sociedade.
Ou então deram-lhe a cassete do BE para estudar e só olha para o umbigo.
Pois, pois, o filisteu é que te topa!!

FANÃ O HOMEM RÃ disse...

Vira o disco e toca o mesmo.
Oh sor. Luís, mude um pouco o discursso que só lhe fica bem.
Incomode a nossa autarquia mas com inteligência

fanã disse...

este João C. que acho que o C é de cabrita ou seja João Helder Cabrita se é quem eu penso é tipo vira casacas veio do PCP não dava tacho agora o PS é que está a dar

Anónimo disse...

Ao autor do texto base que serve tantos comentários, só desejo saúde.
De facto, nada se aproveita nas suas conjecturas. Não gosta de ser criticado, e se o fosse, a Exª é que escolheria as palavras.
Sobre o messianismo, cada um fala do que sabe e do que crê!! Tb acho que o Sr tem alguma parecença com os Filisteus, pois é com cada pedrada a quem tem todo o direito de quer ser uma pessoa digna, pacífica e educada!!
Já que se mostra tão criativo a "pintar" quem não conhece;
já que se mostra tão empenhado por Albufeira falando de David Martins, em vez de fazer ou ter feito, ou dizer o que faria pelo concelho;
já que a sua luta é dar largas ao fel que os sonhos da noite não libertam;
já que a sua escrita tem como única namorada o "David Martins" (acho bem que ele não lhe responda e estou certo que não é você que lhe estraga os sonhos!);
já que a senilidade de alguns conceitos esclerosados com que avalia um político de hoje, sonhando com os políticos de ontem;
Ora bem...
Tanto haveria a dizer de quem se dedica a analisar outrem, a "mostrar" (conhece o "mostrai que mostrais do B. Brecht? Então leia e medite sobre si-mesmo mais do que os outros!) que até tira conclusões de uma pessoa pelo que não fez ou deixou de fazer, quando em política todo o cidadão de senso sabe que essa proporcionalidade do juízo se aplica sobretudo aos que governam, tanto e tanta "coisice" haveria para o ilustrar a si, pelo que escrevendo não diz e pelos que querendo atingir mais deles se distancia na sua análise, que é mesmo melhor aconselhá-lo a tratar os seus fantasmas, tabus e recalcamentos.
Como é que a sua esperteza consegue ligar UM indíviduo a uma "estratégia nacional"? Quem pode ver em si alguém de senso, quando afronta a metodologia dum homem educado e ponderado perante os erros dos seus opositores, enquanto não estiverem confirmados?
Quem é o senhor para apontar ao David "feitos ou não feitos" por Albufeira, se o seu parceiro Desidério Silva é que passeia a vaidade e a bacoquice dos que nada têm feito e foram mandatados para isso?
Quem é o senhor para caracterizar o David só pela sua estratégia ou metodologia, apontando-lhe a marca da sua própria inteligência e vaidade pela "EXUBERÂNCIA" com que ele podia, segundo o seu parecer, ter actuado ou falado? Inda bem que ele não é pavão em nenhuma capoeira!

Olhe. Diga-nos o que é que fez V. Exª por Albufeira! Eu depois dir-lhe-ei o que é que eu e mais alguns já fizemos também. Mas primeiro o Senhor! Porque nós só somos bons no que fazemos ou dizemos quando não nos conseideramos superiores ou inferiores aos outros. Iguais. Iguais na governação deste concelho.

jesimões disse...

Senhor Anónimo (tem assim tanto medo de afrontar o poder utilizando o SEU NOME PRÓPRIO?):

Estou "arrasado"! Brecht não lhe serve a verve, nem a postura! Arriscava-se, se eu não tivesse educação, a humilhação pública!...
Conhece aquele texto "Se os tubarões..."?.. Pois!... Não se meta nisso!


Quanto a política no divã, sinceramente não estou interessado, por não ser grande adepto das fantasias "científicas" de Freud... Mas, no seu caso, reconheço nessa sua escrita obsessiva uma qualquer pulsão de tal modo grave, que não devo eximir-me de lhe aconselhar a psicanálise. Eu explico: um mistificador deve estar consonante com outro da mesma espécie...

Não fiz absolutamente nada por Albufeira: primeiro, porque vivi meio-século fora daqui; segundo, porque a política feita por gente como o senhor, é perfeitamente desmotivadora. Mas sou cidadaão (desconfio que o senhor ainda não entendeu o conceito) e , enquanto tal, arrogo-me a expressão livre do pensamento em voz alta (que tanto incomoda, é patente, a sensibilidade auditiva de Vossa Senhoria), seja no aplauso, seja na crítica.

Há uma expresão no seu relambório que diz tudo a seu respeito, a respeito dos seus e das "elites" pacóvias deste país: "Quem é o senhor para caracterizar o David?"
Resposta: UM CIDADÃO!!!

As "fogueiras" já se apagaram no tempo do Marquês de Pombal, o "Botas" caíu da cadeira há quarenta e tal anos, mas a cabecinha, essa, continua a ter estes actos falhados" freudianos...

Sáude, tá?...

criativo disse...

JSimões,
Porque não faz um exercício diferente do habitual, e pensa e escreve com algo de positivo pelo meio?...O que lhe dói? Homem, escrever é um acto de responsabilidade, e a sua verborreia incomoda pelo negativo.

Faça ou apresente algo de positivo, se for capaz, sff.

Largue lá o passado e dedique qualquer coisa ao futuro. é o que importa, não?

Seria de agradecer.

Você parece um historiador tipo "Velho do Restelo". Não há vontade de evoluir que aguente.Porra!

Tudo aquilo que tenho lido seu, lembra-me o Bairro Alto. De chinela no pé! Varinismo do melhor.

You can do better!
You must!

PS.: Mas é divertido - pela negativa, claro. E não queime neurónios a responder, porque no que me diz respeito, estará a pregar num deserto - Divirta-se com os seus antolhos cerebrais

Anónimo disse...

Pois é Sr Simões. A cátedra das palavras "cidadão" e da insinuada "liberdade" com que nos mimoseia não servem para o Sr fazer de altar onde sacrifica o nome dos outros. A mim não me toca porque eu sou "cobarde" por não lhe dizer quem sou. Mas sabe porquê? É que tem feito nos seus textos uma tal demonstração de adivinho ou bruxo quando se refere a pessoas que duvido que cconheça bem, que prefiro dar-lhe o prazer das suas apetitosas e lindas descobertas...
É un crâneo a meter quem lhe apetece no saco. E disso falam os seus testamentos. Escrever é expormo-nos. E acho que ainda não percebeu ou não quer entender que o que lhe tento também mostrar é que o sr tem-se exposto mais a si mesmo do que propriamente àqueles de quem fala ou escreve! Nâo concorda?
Ah! Eu também!? Mas claro, meu caro. Eu não me queria expor em pequenezas de homens. Desculpe lá qualquer coisinha. Têm sido os seus textos e os de mais alguns colegas do alfabeto que me fizera algumas cócegas ao toutiço. Engraçado, engraçado é que o sr mesmo nas suas respostas continua a ser altamamente POSITIVO. Por exemplo, atira com a psicanálise a como forma directa de resposta a quem lhe começa a descobrir e a apontar os fantasmas e recalcamentos. Desculpe se o ofendo. Não é nem era intenção. Garanto-lhe que quando o leio (já fujo mntencionalmente de objectivações quando uso "o leio") o corpo que se forma deste lado revela coisas como "que por resolver" em relação a si. Aliás todos as teremos.
Onde lhe garanto que mais ninguém me manda ir a um psiquiatra, é nas ideias ou caracterizações que eu faça de alguém. Pura e simplesmente porque luto contra o PRECONCEITO. Ou não será uma leitura correcta do seu texto, naquilo que refere sobre o David, quando o vejo lançar arquétipos e moldes e de seguida "atafulha lá para dentro o David". O desgraçado tem que caber nas suas ideias ou permite-se a atenção ou o "desleixo" de o conseguir ver e perceber nas dele!???? Tá a ver que esta expressão desmonta ou clarifica o porquê de eu olhar para fantasmas que não tenho? E já agora olhe que o psiquiatra é tão útil e tem tanto valor como o cidadão que o sr se diz ser e onde se refugia. Ou será que me aponta o psiquiatra como antes se apontava "a fogueira" a quem de nós diz ou fala? Os sintomas do seu "tecido" têm uma forte carga subjectiva, meu caro. E é por isso que leio outros comentários a raiar a estupidez, pois as palavras afrontam ou libertam. Livre-se delas com algum cuidado, quando fala dos "Davides" ou deste seu anónimo simplório. Como vê, "sem querer", adjectivo mais quem o critica do que aquele que eu critico. Não me faz qualquer diferença. Bota abaixo, por exemplo, o David Martins, e no meu entender de "cidadãozinho" o que se faz neste blogue sobre pessoas ainda "sem rabos de palha", é tentar catalogá-las, selá-las, carimbá-las.... ou será "despachá-las"?!
Meu caro Sr Simões: sou sincero a dizer que não pretendo chatear ninguém.O que gostava de ver à minha volta e também neste sítio,eram ideias válidas, construtivas, renovadas (Att que os srs. fazem uso de solgans pouco inovadores e muito gratuitos,na forma...), ou seja, algo que nos desse para debater e aprofundar. Por exemplo: que dizer do Sr Desidério quando paga um valor superior a um artista que noutra Câmara ao lado vem por menos de metade do preço! Numa Campanha local, fará algum sentido catalogar um candidato por uma bitola "transcendental"? E não fará sentido ouvir os candidatos, de acordo e dentro dos seus "timings"? Acha justo que eu critique a sua pessoa (intrinsecamente) só porque gostaria de o ver tomar defesas e ataques que eu vislumbro ao meu jeito, no meu espaço e no meu tempo?
Isto vai longo. Saúde.

Anónimo disse...

Ó Sr Simões!
Os testemunhos que recebe não dizem, não dirão mesmo nada de si?
Que diabo, homem! Seja...
O que acha desta "política de púlpito"? - "Mais habitação, mais felicidade!" ... Que raio! Ficaram-se pelo PREC?
Quem é que vive obcecado?
Já começam a meter dó... porque o futuro e o andamento do mundo não vos perdoa. Mas podem ficar onde estão, desde que não digam baboseiras sobre as pessoas. Ou gostam que as digam de vocês? E depois não se refugiem na "cidadania"... não vale fazer batota, porque quando se ataca e desrespeita alguém, podem vir pedir-nos "contas" (sem ofensa).
Vão ver que até conseguem ser e ter algo de positivo, bem como apresentar as vossas ideias de forma mais criativa... Até nisto são "generalistas".
Isto não tem graça nenhuma. É melhor desandar daqui que isto só tresanda. Apliquem e vivam "os conceitos" como entenderem. Eu aconselharia a que reflectissem também nos "preconceitos".

jesimões disse...

Sr. Anónimo:

O David não tem que caber nas minhas ideias. Por que diabo teria eu de caber nas dele/vossas?...ou, no vosso jogo (porque é sobre esse "jogo" que o texto trata verdadeiramente)?...

Não vejamos a política como congénere da "futebolite", ou seja, ser-se adepto de algo "porque sim".
O texto traça pressupostos, em função dos quais, concluo algo. Frios, objectivos. O que o senhor contrapõe, ao invés, é emocional: o senhor está na "bancada" de cachecol e bandeira a não tolerar a lógica do método hipótese-tese, aplicada à política!...

Onde menti nos pressupostos?
No caso-Alegre?
No facto de os mandatos de Martins não serem possíveis sem uma "colagem" absoluta à direcção?No silêncio cúmplice de Martins, já responsável concelhio? ("Exuberância", no texto, pretende significar "em grande quantidade" e não "aos saltos e aos pulos")
Na demanda do BE (que não tem deputados pelo Algarve) sobre S. Rafael?
Nada disto é mentira, pois não?
Pois concluo, de seguida, em função disto!

Agora, do outro lado, que vejo?
Quererem apresentar o político (convenientemente!) como EXTERIOR a tudo isto! Tenho muita pena, mas isto tem um nome: MISTIFICAÇÃO!

Um repto: apresentem o vosso candidato como as pessoas (que não são parvas!) o vêem.Qual é o vosso receio de o apresentarem como quadro do aparelho partidário?... Querem ganhar a Esquerda? Mas dessa vocês auto-excluiram-se em 1975, como é que vos vai ser possível recuperá-la?...
Pelas POLÍTICAS, e não pelos POLÍTICOS, perderam-na!

O meu texto não tem nada a ver com David Martins. O meu texto alerta para a MISTIFICAÇÃO no seu estado mais deplorável, aquele que pretende iludir as pessoas menos informadas e mais oprimidas para o voto numa POLÍTICA que infelizmente JÁ CONHECERAM, com os resultados que estão à vista em cada canto da cidade e do concelho.

Cumprimentos.
JES

jesimões disse...

Sr Anónimo II:

Ainda não percebeu: eu não ataco pessoas, ataco políticas, com que não concordo. Estou-me marimbando se o candidato do PS se chama José Martins ou David Sócrates...

Os "testemunhos" não têm que dizer nada de mim, quando muito da política que eu defendo, e essas pessoas não. E essa opção, enquanto cidadão, escolho-a livremente, se não se importa...

A "cidadania" não é batota...
"Quem é que eu me julgo...?" Julgo-me um cidadão, que tem todo o direito (dever!!!) de julgar um político.
Eles é que estão ao NOSSO SERVIÇO, por isso nós é que temos de julgá-los... Isto é básico, em democracia.

Quanto ao futuro não perdoar, é verdade. Mas ainda estamos para ver a quem ele não vai perdoar. Não se auto-iluda, a esquerda não cristalizou nos "clichés" mentais em que ao senhor lhe convém tê-la encerrado. O PREC, creia, foi mesmo uma grande lição, para o mal e para o bem...Se ela estivesse morta, não subia nas sondagens...

Mas... já percebeu ao menos que eu não desrespeitei nem Martins, nem ninguém? Que apenas falei de política?

Anónimo disse...

MAS ONDE É QUE O QUARTETO DA CORDA ARRANJA CANDIDATO???

SÓ SE FOSSE O Zeca (das cabeleiras) E NEM ESSE; COITADO; PORQUE JÁ ESTÁ NO LAR DA GUIA!!

TENHAM JUÍZO E NÃO DÊM IMPORÂNCIA A QUEM A NÃO TEM.

ESTES 'CIDADÃOS' POR ALBUFEIRA, SÃO-NO MAS È PELO TACHO!

ESTE BLOG SÓ SERVE PARA RIR!

Anónimo disse...

Claro que percebi...
Só que a minha forma de exercer a cidadania, leva-me a criticar os políticos que estão directamente envolvidos nas "construções" e "desconstruções" do concelho para que foram eleitos.
O senhor falará do que quiser... Mas quando se escreve ficamos sujeitos a todas as cidadanias que o senhor também deve tolerar.
Mas vamos à política!
Donde infere e como justifica a sua avaliação ao escrever que David Martins não trará "uma nova política"? Tenho o direito (que raio de conversa! nunca imaginei ter que escrever desta forma, e se o faço é porque o senhor apela sempre aos seus direitos de cidadão para justificar tudo o que deita cá para fora, ou não é?).. bem, fique-se com os seus direitos todos. Pode ser que o deixem de ouvir mais cedo do que pensa... Já reparou que os seus comentários aos comentários dos outros vão sempre parar nesta "safadela"...?! Nã!... Nã me cheira que este tipo de análises sejam "independentes". Senão serão independentes de quê? Desculpe lá o que vou dizer, mas isto faz-me lembrar a igreja e os bispos que também se acham sempre independentes de tudo... Que não pertencem a nenhum partido? Tudo bem! Mas é preciso não exagerar sobre os outros, pois um ladrão presidente de câmara não torna os outros todos como ele é!
O início do seu texto teria que ser "situado". É muito abstracto e virtual! Parte duma realidade em abstracto, pressupondo, pelo corpo do texto, que há por aqui um político novo em Albufeira que é "julgado pelas atitudes concretas que tomou (ou não tomou...)" e "não por aquilo que possamos idealizar a seu respeito". Ora isto é a negação absolutizante do que podemos conceder a alguém em termos de realização pessoal (subjectiva), e de realização social e colectiva (objectivada na participação da "res publica"). De qualquer forma, o mais claro que se pode dizer a este respeito, é que a concretização ou não de atitudes pessoais sobre a vida publica/política, quando referenciadas a terceiros, depende só de quem as faz e da estratégia/conduta que entende seguir... Não me parece que isso seja muito relevante para definir alguém, que, em vários momentos, pela sua acção e influência conduziu a interpelações e questionamentos de quem governa. Em política "independente" seria interessante que a análise não fosse tão tendenciosa.
Fique descansado que ninguém o quer limitar, impedir ou amordaçar do quer que seja. Permita-nos só que o contestemos, quando achamos as suas palavras pouco sustentadas e, sobretudo, deslocadas dum juízo cabal sobre pessoas que ainda não puderam demonstrar tudo o que valem! Essa de "não se conhecer David" ser aproveitada como mote para dizer que "nada fez ou disse" é demagógica! Por isso é que o povo, em geral, percebe melhoro íntimo duma pessoa do que os pretensos analistas da realidade política. É que estes últimos falam, falam mas não dizem nada... Isto é, entendem o que afirmamos, mas porque são e têm tendências, lá vão interpretar a frase como mais lhes convém! E, meu caro, o que tenho visto e lido aqui, é comprovado pelo 1º período do seu texto. "tomam-se atitudes (pelas vossas palavras) que deploramos, e jugo ou julgamos a vosso respeito, não pelo que idealizamos, mas pelas atitudes concretas que tomam ( e não tomam...)
Isto de meter Desidério e David no mesmo saco não deixa de ser muito tendencioso, opinativo e revelador da incapacidade de análise das diferenças existentes entre ambos. E, numa simples palavra sua, tudo começou e ficou claro: nós (alguns leitores) deploramos (para usar o seu termo) algumas destas atitudes, leia-se, palavras e considerações valorativas.
Esperem pelo programa ... se conseguirem cultivar um pouco a vossa paciência. Se o Desidério faz coisa que não deve, não o julgamos nós, mas sim o povo através do voto...

Anónimo disse...

Este JMSIMÕES é um escroque à boa moda do antigamente, agora ao serviço da demagogia saudosa do aventureirismo da esquerda do PREC.
Porque é que não ficáste lá mais 50 anos, assim não davas trabalho ao coveiro para te abrir sepultura!
Vai dar banho ó cão, e morrer longe, de Albufeira - paraquedista!

jesimões disse...

Sr Anónimo:

A conclusão "David Martins não trará uma nova política", infiro-a dos pressupostos apresentados, relativamente aos quais eu cuidei de perguntar se eram mentiras, e a que o senhor, pelo silêncio, confirma serem verdadeiros(porque são mesmo, são factos). Se os pressupostos são verdadeiros, as conclusões são válidas. Podem não o ser para si, por teimosia ou (desculpe) "clubismo", mas parece que sim, que são. (Atenção: eu não estou a dizer que tenho "a verdade", digo que tenho "a validade" argumentativa suficiente para o fazer.)
Este é um "mind game", dir-me-á. É, mas todos nós o fazemos. Se uma peça do "puzzle" se enquandra num canto, você não vai embirrar pô-la noutro lado. Se eu o tentasse persuadir a votar em mim, por absurdo, você teria a tendência para invocar o seu desacordo com a área política em que me situo, ou a ideia que tem dela, antes de me deixar abrir a boca. E iria conjugar pressupostos conhecidos e válidos, para chegar a conclusões que o confirmassem (ou não). Porque iria eu pensar que isso seria preconceituoso?

A independência tem só a ver com o facto de as ideias não serem expressas de acordo com um partido, mas abrangendo uma área muito mais alargada, que está muito bem identificada... É uma independência comprometida em razão de valores muitos claros. (A ortodoxia eclesiástica prefere a dependência incondicional...)

Eu termino o texto, escrevendo: "Quem quiser, que acredite no contrário."
É o seu caso. Eu escrevi um texto sobre um jogo político (perfeitamente lícito) a que chamo de mistificação, e procuro denunciá-lo, de acordo com os meus valores políticos - atitude também perfeitamente lícita.
Em política não há boas pessoas, há bons políticos. E o ataque pessoal esconde sempre a falta de argumentos políticos. Os meus pressupostos (verdadeiros)e as conclusões (validadas por eles) são argumentos políticos, queira ou não o senhor entendê-los como tal.
E se os escrevi, não foi por "freudianices" de pacotilha, mas porque "Se na nossa vida comum, alguém toma atitudes que deploramos, não o julgamos por aquilo que possamos idealizar a seu respeito, mas pelas atitudes concretas que tomou (ou não tomou...)" - e que validam a nossa tese.

Cumprimentos.

criativo disse...

Meus amigos:
Cada vez que se dá uma resposta ou se envia algum comentário ao Simões, que parece utilizar a escrita como uma técnica de onanismo,levamos com mais não sei quantos comentários do homem, na mesma linha dos anteriores.

Isto é, sempre a descer.

Façam-nos um favor a todos que podem aproveitar este espaço para algo de construtivo: Reduzam-no ao seu real valor.

Ele não passa duma lebre, como se chama em alta competição aos escolhidos para "puxar" pelos tempos dos atletas de 1ª linha.

Se falarmos ou escrevermos esquecidos da sua existência, 2 coisas vão acontecer:

- Aumenta-se o nível da discussão que se pretende neste blogue;
- Talvez a lebre aprenda alguma coisa, e deixe de se pensar "lobo".

Atirem-me com informação de qualidade, sff. Ficarei muito agradecido com o que aprender, e quem sabe, possa contribuir com algo de positivo.

Albufeira e os seus problemas interessam-me muito. É por isso que aqui venho.

Para aprender e dividir.
Obrigado

jesimões disse...

"E não queime neurónios a responder, porque no que me diz respeito, estará a pregar num deserto - Divirta-se com os seus antolhos cerebrais"

Eu cumpri... Mas o presumido "criativo" presume-se tanto, e tanta qualidade, que não aguentou: respondeu, creio, a si próprio...
Que tristeza criativa!...

cãopeão disse...

meus srs, Biva o Futebol Clube do Porto, tetra campeão e sem ajuda da ACOSAL ,ou do sr. Raposo e jesimões ou guerreiros, mas com ajuda dos arbitros,BIBÓ PUERTO CARAGO

cãopeão disse...

desculpem queria dizer BIBA e nouen Biva

cãopeão disse...

e cuidado coum o Fernando Pereira pois quem não four do F.C.P, tá foudido ou canudo BIBA o FÊCÊPÊ e o bobi e o tareco

Anónimo disse...

Muito bem! Mas não acredito nos seus pressupostos. Da forma como os usa, qualquer ateu pode crer que deus existe! São conclusões tiradas de pressupostos feitos a jeito. Mas em Albufeira não lhe vão dar o flanco. É que a independência "destes políticos" foi aqui desmistificada: EM POLÍTICA NÃO HÁ BOAS PESSOAS, MAS BONS POLÍTICOS! Ora toma para aprenderes!! O Sr mistifica teimosamente o que há muito todos sabemos. A escolaridade já não é a a do seu tempo!
A mistificação com que se arma em esperto, está na sua arrogância de independente. Isso é um luxo, homem! Não tenho negócio que me permita tanto. Tenho que me integrar no que está reservado ao povinho...por enquanto, enquanto não houver estruturas a que possa dar maior crédito. E a independentes não dou mais! Já por lá andei e estive quase a cair. Lembra-se da última tentativa com o X. Xufre?
Mas deixe o veneno pró seu clube, porque vai precisar de muito. E se tiver vontade de continuar a ser um (bom) cidadão deixe de por epítetos e títulos às pessoas que, de facto, não conhece! A sua análise, síntese e antítese dá mesmo vontade de rir, pra não chorar. Escusa de responder porque não o visitarei mais! Como pra si sou "certamente" um "seguidista" de qualquer coisa, de preferência de tudo o que você não gosta, vou mesmo seguir a proposta dum comentador anterior. Tchau! Tchau, Maria Ivone!.... Bons argumentos...e menos leite estragado!