terça-feira, 17 de junho de 2008

Versos alusivos à recusa por parte da Câmara, de utilização do Auditório para a realização da Conferência "POLIS - Progresso ou Retrocesso".

Atitude autocrática em decisão autárquica?
Paralelismo com prepotência e cinismo?
Tentamos saber se há abuso de Poder…
Atenção!

Eu José Armando Simões, cidadão do mundo,
Lamento por mim e Fórum Albufeira, com Acosal
Lavrando protesto de inconformismo
Pela não cedência do Auditório Municipal…

Razão invocada, cheirando a pretexto
Parece inspirada naquela moldura
De uma chapa usada pela ditadura
E que rezava assim:

“Não dá garantias de cooperar na realização
Dos fins superiores do Estado”
(E com esta informação eu fui tramado
Por um Pires de Lima do passado
Que me negou Diploma do Ensino Particular)

Agora tudo é diferente porque toda a gente
Pode protestar… E por isso agora peço vénia
Para transcrever, comentar e comparar o teor
Da fundamentação da Câmara para esse
Desiderato subscrito por Dr. Rolo:
No…”cumprimento do despacho de 14. Maio
Do corrente mês…”(sic)-mês por ano é o
primeiro engano e o segundo é alguém pensar
que nos vamos calar.
E prossegue o ofício, somos…”a informar V. Exa.
Da indisponibilidade da Autarquia em ceder o
Auditório Municipal para os referidos efeitos
Uma vez que aquele espaço tem sido cedido apenas
para causas e iniciativas nas quais este Municí-
pio se revê e se pretende associar”. Fim de citação.

Concluindo
Não sei se há paralelismo
Na prepotência ou cinismo
Dos despachos em questão,
O da PIDE e o da Câmara,
Mas se voltarem a chumbar
Uma nova pretensão…
Seja por outra razão. José Armando Simões

1 comentário:

"Albufeira a Mudar" disse...

Belos versos que irão fazer as delícias dos verdadeiros democratas. Bem denunciado o autoritarismo saloio da Câmara.
Venham mais denúncias e comentários sobre os maus dias que vivemos !